Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

luar

Vestida de luar

VESTIDA DE LUAR

Na madrugada, como quem não quer nada

Ela apareceu para me avisar

Caminhava e brincava à beira-mar

Chutava as águas, corria e voltava, girava

Não sossegava no mesmo lugar

Dizia a bruxinha que não parava de falar

Não se preocupe, tenha fé, tudo vai melhorar

Quando o sol raiar a bruxinha não poderá ficar

Mas não fique triste, o mundo é de quem persiste

Siga com amor, faça seu caminho

Leve alguém sempre, com carinho

E se pensar em desistir, lembre-se

Voce não pode abraçar o mundo

Mas prometeu não deixar ninguém para trás

Quando quiser, chame, estou aqui

Estou em você, você em mim

Na noite escura ou de luar

Se precisar, é só chamar…

E foi embora sobre as águas do mar…

Alda M S Santos

Banhos de Lua

BANHOS DE LUA

A noite parecia não ter fim

Virava e mexia e nada do sono vir

Carneirinhos contava, a mente divagava

E, desistiu de dormir, enfim

Levantou-se devagar, e saiu dali

Cabelos emaranhados, descalça a caminhar

Longa camisola de seda a flutuar

Foi atraída pelo brilho fascinante do luar

Na imensidão de água, sob o brilho intenso da Lua

Foi despindo-se de tudo que a incomodava

Vestes, dores, medos, culpas, até ficar toda nua

A Lua de longe carinhosamente a chamava

E no encontro com o mar mais fascinada ficava

E, num banho de lua e mar, ao amor se entregava

Alda M S Santos

Na cachoeira, ao luar…

NA CACHOEIRA, AO LUAR…

Um dia ela acordou sem acordar, sabe como é, estava noutro mundo.

Andava nas trilhas da mata, pé ante pé. Ia em direção ao som que ouvia.

Era um som mágico. Não sabia se os outros também ouviam.

Não importava!

Ela só queria ir em direção à cachoeira. Seguia assim, toda faceira!

Buscava proteção!

Parecia ouvir passos indo na mesma direção, mas não via ninguém. Apenas sentia!

Sentia que alguém a seguia, mas nada temia. Era uma boa vibração, tal qual a que vinha da cachoeira e de seu coração.

Era noite ainda, o intenso luar iluminava o caminho.

Chegou à cachoeira, maravilhosa!

Sem sequer se despir, nela entrou. Lavou tudo, deixou lágrimas rolarem, lavou a alma…

Sua veste branca parecia uma segunda pele, grudada.

Foi atraída por uma força incomum.

E lá estava ele. Olhar profundo, doce, pidão!

Não teve medo, lentamente foi se aproximando…

E a ele estendeu a mão, os lábios, o corpo, a alma, o coração…

E toda a sua vida…

Alda M S Santos

Mais no meu blog vidaintensavida.com

#flalfestival 2019

Miniconto- palavra “proteção”

Sob o luar

SOB O LUAR

Sob a luz intensa do luar

Quero relaxar, me entregar

A um banho quente, envolvente

Que afaste tudo da mente

Exceto o prazer de ser gente

Quero um banho de Lua!

Sob a beleza da Lua

Por uma noite sem fim, sem pudor

Ou por toda a vida, de alma despida

Poder sem medo me abrir, me expor

Preciso de um banho de Lua!

Sob o poder e encanto da Lua

Deixar tocar e brilhar em mim

Raios de amor, gotas de poesia

Da pele suave à alma nua

Pura magia…

Quero um banho de poesia!

Embriagada de poesia ao luar

Mergulhada na ânsia de amar

Um nostálgico desejo me faz te chamar

Não quer comigo também se banhar

No mar, sob o luar?

Precisamos nos banhar

De lua

De poesia

De amor…

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: