Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

família,

No mesmo lugar

NO MESMO LUGAR

São seis filhos, tantos netos

Vários bisnetos e até uma tataraneta

Mas ela não queria ir com eles morar

Dizia: “aqui é meu lugar”

Agora, 96 anos, não teve jeito

Foi com uma das filhas ficar

Lúcida, esperta, mas nesse mundo tão mau

Não dá pra facilitar!

Tantos queriam levá-la para perto

Poder dela com carinho cuidar

Mas nenhum podia ir com ela morar

A casa ainda está no mesmo lugar

Mas falta vida ali

Ela não mora mais lá

Mas a sentimos em todo lugar…

Salvo quando vem filho de longe visitar

Aí ela vem para sua casa cuidar

Mas o terreiro não é mais o mesmo

Aquele que sempre me encantou

Está tão árido!

A fonte secou, a cacimba soterrou

Roseira reclamou, o galo não cantou

Galinheiro caiu, a horta murchou

Ainda há uns pássaros na goiabeira

Que se adonaram do lugar

E reclamam quando a gente vem passear

Mas agora vou aproveitar

Estamos aqui, ela também

E aqui ela veio conosco ficar…

Assim será até quando Deus nos permitir

Poder em seu colo descansar

E, a bem da verdade, nosso coração é que é seu lugar..

Alda M S Santos

(Con)viver

(CON)VIVER

Ato ou efeito de viver com o outro

Não perto dele, mas junto com ele

Não apenas no mesmo espaço físico

Mas dentro do outro…

Conviver é interagir, é trocar

É ensinar, é aprender

É gargalhar juntos, chorar mais juntos ainda

É ouvir mesmo quando falta a sintonia

É ser colo quando o outro chora

É ser brisa quanto tudo parece pesado

É encontrar no outro o sorriso quando tudo está sisudo

É rir das próprias bobeiras e fraquezas

É orar juntos, beber juntos

É se perdoar, seguir o caminho mesmo cansado

Passear de mãos dadas, viajar, mesmo “na maionese”

É entender o outro apenas num olhar

É decifrar silêncios, é pedir explicações

É ser carinho e segurança, mesmo na corda bamba

É saber oferecer, mas também saber pedir, aceitar

É poder discordar, debater, brigar, se preciso for

É dormir e acordar lado a lado, é ser prazer, é fazer amor

É ter medos juntos, enfrentar o adversário no mesmo time

É nunca ter medo um do outro

É saber que somos uns para os outros aqui

Os maiores presentes que poderíamos ter recebido

E quando Ele em algum momento nos perguntar

“Que fez dos presentes que te confiei”?

Possamos responder com convicção

“(Con)vivi bem, respeitei, sobretudo, amei”!

Alda M S Santos

Pais e filhos

PAIS E FILHOS

Pais e filhos, filhos e pais…

Não sabemos o que o amanhã nos reserva

Quem vai para o outro lado da vida primeiro

O que podemos encontrar do lado de lá

Quanto tempo ainda nos resta do lado de cá

Uma hora a vida irá nos separar

O que é possível ser feito, que façamos agora

Quando ainda estamos por aqui

Para que não tenhamos que lidar com o arrependimento

Além da dor da falta e da saudade

Não importa o que cada um fez ou deixou de fazer por nós

Se acreditamos que cumpriram bem ou não seu papel

Vale o que nós fazemos por eles

Pela nossa capacidade de amar, de nos doar

De sermos gratos a quem nos deu a vida

De dar a eles um pouquinho de alegria e conforto

Cuidemos de nossos pais, eles não estarão aqui para sempre!

Te amo, papai! Que todos os dias sejam seus!

Alda M S Santos

Como pipa no céu

COMO PIPA NO CÉU

Quanto tempo o tempo tem?

Para trás podemos contar

Para frente não há como saber, apenas imaginar

Quanto tempo o tempo tem?

Para trás tantas lembranças boas

Há sonhos e realidade, muita vida, união

Para frente um mundo esperado a construir

Como sinto saudades…

Outro dia eram pequetitos

Sempre juntos a brincar e artes aprontar

Grudados estávamos sempre a nos amar

Como a pipa colorida que soltam hoje no céu

Meus para sempre meninos lindos

Voam agora longe de mim, noutros espaços

Mas há uma linha especial a nos unir

E nada nesse mundo será capaz de cortar

Voam longe, mas no mesmo céu

Amor verdadeiro é assim

Independente da distância há uma linha especial a uni-los

Meus pequenos anjos que o amor me deu, que me fascinam

Eternamente amarei…

Quanto tempo o tempo tem?

Não sei!

Sei que, como fiz até agora

Tentarei aproveitar ao máximo cada sorriso, cada vitória ou batalha

Cada momento juntos é precioso

Cada pipa colorida que juntos soltarmos

Até quando for permitido estarmos sob o mesmo céu

Depois, o futuro a Deus pertence

E confio no que Ele nos reserva…

Alda M S Santos

Um dia normal

UM DIA NORMAL

Nada de extraordinário ou excepcional

Tudo que preciso e quero

É a bênção de um dia normal

Por isso não me desespero

Um dia normal nasce primeiro dentro da gente

Da vontade de fazer diferente

Antes até do nascer do sol que nos aquece

Na família que nos ensina o amor, nosso presente

E nos corações agradecidos em prece

Quero somente a paz de um dia normal

Aquela certeza de que tudo está em seu devido lugar

Sem necessidade de ter que colher algo especial

Apenas o sorriso no rosto, reflexo de uma alma plena

E finalmente, sob a luz do luar, descansar…

Quero apenas um dia normal…

Alda M S Santos

Na medida exata

NA MEDIDA EXATA

Cresçam o tanto que crescerem

Busquem o que buscarem

Estejam onde estiverem

Alcancem alturas que eu não alcance

Conquistem Deus, a terra e o mar

Meu colo sempre vai aqui estar

Nunca será pequeno para os abrigar e acolher

E o coração, ah esse…

Esse é mágico, distende-se e encolhe-se

Na medida exata daquilo que os alegra ou machuca

Bate na mesma proporção do coração daqueles que gerou

E viu crescer…

Pelos quais aprendeu a, de joelhos, orar

A amar incondicionalmente

E a ficar mais próxima de Deus!

Alda M S Santos

Colo e coração

COLO E CORAÇÃO

Posso esconder a criança que fui dentro de mim

Posso deixar a jovem inquieta para trás

Posso aposentar em mim uma profissional

Posso ser uma ex-sonhadora

Uma ex-atleta, até uma ex-esposa ou dona de casa

Posso ser ex quase tudo

Mas duas coisas nunca deixarei de ser:

Filha e Mãe

Não existe ex-filho

Não existe ex-mãe

Essas são condições e “funções” eternas

Estejam filhos e mães onde estiverem

Colo e coração nunca se acabam numa mãe

Mãe ama, filho sente

Não importa a distância física

São incumbências humanas e divinas ao mesmo tempo

Relacionamento abençoado por Deus

Amor que permite a circularidade da vida

A permanência do existir

Amor eterno:

Amor de mãe, amor de filho

Amor que vem de Deus!

Te amo mãe! Te amo filhos!

Alda M S Santos

A casa só para nós

A CASA SÓ PARA NÓS

A casa tão pequena antes

Para tanto barulho e bagunça

Hoje parece grande e silenciosa

Vocês não estão aqui a correr

A disputar nossa atenção, nosso colo

A cair pelos cantos, a pedir “brinca comigo”

Queríamos tanto um espaço para nós

Que só vinha tarde da noite

Quando o sono já nos derrubava

Hoje a casa é toda para nós

Não há brinquedos pelo chão

Não há riscos na parede

Tudo arrumadinho e organizado

Não há risadas altas, choros dengosos

O cobertor não está no sofá da sala

A TV nos desenhos animados e vídeo-game

Os primos não vêm dormir juntos e fazer bagunça

Cadernos e livros não estão sobre a mesa

Aguardando a lição ser feita

Temos a sala, os quartos, cozinha, banheiros e quintal só para nós

Hoje essa casa que é toda para nós

Parece estranha aos nossos olhos saudosos

Podemos dormir, tomar banho, namorar quando quisermos

Sem sermos interrompidos por um pedido qualquer

Não precisamos sair correndo a levá-los para a escola

Para o futebol, o inglês a informática

Podemos dormir a noite toda

Vocês não vêm se infiltrar entre nós na cama

Fugindo dos pesadelos que curávamos com beijinho

Entregamos o cuidado de vocês a Deus

Cuja proteção está em toda parte

Já não saímos mais os quatro juntos para tudo

Hoje temos a casa toda para nós

Vocês estão buscando o mundo que tanto ensinamos

Com sabedoria, amor, bondade e responsabilidade

Estamos imensamente felizes e gratos a Ele

Peito inflado de amor e orgulho

Casa vazia, só para nós…

Agora o que queremos é um tempo só com vocês

A casa cheia de vocês…

Felizes ficamos quando vocês a preenchem novamente

Hoje somos nós que pedimos

“Brinca comigo”?

Mas sabemos que “nós quatro” sempre estaremos juntos

Ainda que em espaços, casas ou momentos diferentes

Casa feliz é casa cheia de amor

De gente que compartilha as dores e alegrias do viver…

Alda M S Santos- uma mãe

Um dia

UM DIA

Um dia ainda vamos entender

O bem que poderíamos ter feito

E não fizemos

O mal que poderíamos ter evitado

E não evitamos

Aquela dor que causamos a nós e aos outros

E não precisaríamos ter enfrentado

O novo rumo que poderíamos ter tomado

E não tomamos

Todos os avisos e alertas que recebemos

E ignoramos

As oportunidades de crescimento e renovação

E fechamos os olhos

As chances de fazer um movimento pelo amor e pela paz

E ficamos inertes

As famílias que poderíamos ter ajudo a construir

E destruímos

A vida que poderia ter sido bem vivida

E matamos…humanamente!

Mudar, construir o mundo grande lá de fora

Começa por não destruir o mundo pequeno no nosso entorno

Abrir as porteiras e deixar a luz nos iluminar de dentro para fora

Um mundo melhor precisa de cada um de nós!

Um dia pode ser tarde demais…

Alda M S Santos

Pablo Vinícius

PABLO VINÍCIUS

Eu bem sabia que eu não seria o bastante para sempre

Mas enquanto pude, mantive aquela gostosa sensação

De que eu era o suficiente para você

Que seu conforto, alegria e sobrevivência dependiam de mim

De que meu amor, abastecido pelo amor divino,

Poderiam proporcionar tudo que você precisava para ser feliz…

Naquela época foi assim, precisava ser assim

Protegido por todos os lados você fortaleceu suas asas

Aprendeu a voar e sonhar

Formou seu caráter e índole, aqueceu seu coração

Era bom bastar para você

Amor, cuidado, carinho, alimento e proteção…

Mas, exatamente por amor, tentei te proporcionar bases fortes

Aquelas que seriam usadas quando eu não mais fosse o bastante

E você, lindo e abençoado, percebeu e aproveitou

Ainda está aprendendo muito

Sou apenas uma parte do que hoje você considera felicidade

E sinto-me abençoada por isso

Um homem de fé, amor, carinho e bondade você se tornou

Respeito pelo próximo, responsabilidade e trabalho

Ainda bem que não te basto mais!

A sustentação principal e ensinamentos você recebeu

O mundo é grande, meu filho

Abrace-o, seja abraçado por ele

Mas seja criterioso, não fira os princípios que recebeu

Abra a mente e o coração, nunca deixe de crescer

Voe, compartilhe seu voo

Mas nunca se esqueça que toda aeronave valoriza o retorno ao hangar

Onde ela se abastece e se renova…

A mim, basta saber que é feliz

Que é capaz de fazer alguém feliz

Que Nele crê e se fortalece…

Parabéns! Feliz aniversário!

Te amo além de tudo que seria considerado o bastante…

Mamãe

Alda M S Santos

Aborto: (in)coerência?

ABORTO: (IN)COERÊNCIA?

Defendes tanto direitos femininos

Igualdade, equidade, equiparação social, profissional

Direitos e deveres iguais e tal

Como pode ser contra o aborto?

O corpo não é dá mulher, afinal?

Não é “meu corpo, minhas regras?”

Não é muito incoerente?- questionaram-me

Usando argumentos em defesa da vida da mãe

Do futuro da criança que é indesejada

Tudo bem, acontece uma distração ou descuido

Mas deve-se arcar com a responsabilidade do ato

Defendo direitos do ser humano: homens ou mulheres

Nenhum é mais ou melhor que o outro

Simplesmente por ser homem ou mulher

Talvez pelas lutas e conquistas …

E a mulher é historicamente inferiorizada e desrespeitada

Injustamente!

Defendo a preservação da vida, de todos, para todos

E aborto é assassinato, pensado e calculado

Uma vida interrompida precocemente

Sem ter direito qualquer de defesa

E não é a mulher que aborta

Todo aborto inclui, no mínimo, pai e mãe

São ambos responsáveis da mesma forma

“Meu corpo, minhas regras”

Não pode ser superior à vida de um inocente

A partir do momento que a manutenção de direitos próprios

Envolve e fere outra vida

Que não pode responder por si

Esses direitos caem por terra

A vida é prioridade! Sempre!

Devemos defendê-la a qualquer custo

Se ela estiver dentro de nós

Somos mais responsáveis ainda!

Eu tive o direito de nascer, gerei vidas que amo

Não tenho o direito de impedir o nascimento de outro ser

Sou coerente com o amor e a vida que prego

A todos os seres humanos!

Por isso digo NÃO a homens e mulheres que abortam

Legalmente ou não…

Alda M S Santos

Com vocês

COM VOCÊS

Desde que a gente esteja junto

Podemos ir para qualquer lugar

Não há fera que possamos temer

Enfrentamos dragões e a fúria do mar

Nenhuma ferida irá, por muito tempo, nos fazer sofrer…

Desde que a gente esteja junto

É belo e pacífico o escuro da noite sem luar

Certos que um abraço gostoso irá nos aquecer

E trará sempre um sorriso para nos acalmar

Somos diversão, trabalho, oração, prazer…

Desde que a gente esteja junto

Nenhum trabalho ou carga irá nos abater

Somos um time escalado por Ele para vencer

Somos presentes, pedimos responsabilidade, cuidado e proteção

Do início ao fim, juntos,

Somos uma família, uma equipe do coração…

Alda M S Santos

Isso é amor

ISSO É AMOR

Os teus passos eu acompanho

Perto ou longe sempre está comigo

Suas vitórias me alegram, me orgulham

Quando acerta eu aplaudo

Quando erra, sofro, oriento

Quando cai, te estendo a mão

Quando se machuca, eu choro

O que te fere, me fere

Se dói em você, dói em mim

O que te engrandece, me engrandece

Se você se perde, te aponto o caminho

Mas quando é você que me fere, magoa

Sou eu que me sinto perdida, sem rumo

Pois, ao me afastar de ti, quebra-se a reciprocidade

E preciso buscar outro caminho até você

Isso é amor, todo tipo de amor!

Assim amamos em Ágape, Philia, Eros, Storge

Assim amo vocês!

Alda M S Santos

Todas iguais?

TODAS IGUAIS?

Dizem que são todas iguais

Mudam apenas o endereço

Todos têm, grande ou pequena

Barulhenta, bagunçada ou organizada

Carinhosa ou contida, briguenta ou emotiva

Uns rebeldes, uns nerds, uns amorosos

Uns solícitos, outros carentes

Tanto faz, é sua!

Sua família!

Não invada as dos outros

Não permita invasões na sua

Cuide bem dela, seja grato

Cultive, irrigue de amor

É tudo que de mais real e verdadeiro

Você tem por aqui…

É aquilo que Dele recebemos

É onde começa e termina tudo

É onde toda mudança ou continuidade é possível

São iguais nas bênçãos infinitas, no amor do Pai

Foi numa família que Ele veio para nos ensinar a amar

Família Santa: Jesus, Maria e José

A Eles confiamos nossa família

Nele depositamos nossas esperanças!

Alda M S Santos

Quase um século

QUASE UM SÉCULO

Minhas lembranças mais remotas e saudosas

Vêm do cheirinho da casa dela

De sua comida no fogão a lenha

Do quintal gigante e da água do poço

Completa hoje 96 anos a minha avó Dudu

Com uma descendência grande de 44 pessoas

Mas não tão longa quanto suas histórias

E o carinho e amor contido, quase nunca declarado, por cada um dos seus

No interior das Minas Gerais, Guanhães, em especial

Ela cumpre dignamente sua passagem por aqui

Casos a contar, lutas, vitórias, derrotas, sobrevivência

Seis filhos, dezenove netos, dezoito bisnetos, uma tataraneta

Cada qual seguindo seu caminho, sua trajetória

Tão pequenina, miúda, cabeça boa, frágil

Um abraço parece que irá quebrá-la

Frágil? Que nada!

Poucos chegam a quase um século de vida

Tão bem quanto ela

Quem a vê tão magrinha e meio encurvada

Se engana ao pensar que é dependente

Sequer a imagina se virando sozinha com suas necessidades básicas

Se perguntada, diz que não está valendo nada

Que já era e não passa de hoje

Mas não quer seguir ninguém, gosta de seu cantinho

Seu ninho, mesmo fisicamente vazio

Quem a pode criticar?

A vida é assim mesmo: ora carregamos, ora somos carregados

Mas enquanto aguentamos, andamos por nossas próprias pernas

Que Deus dê a ela muita saúde, tranquilidade, resignação

E dignidade para vencer seu caminho junto aos seus

Felicidade, Dindinha! Te amo!

Alda M S Santos

Seres especiais

SERES ESPECIAIS

Queremos ser especiais

Especiais para alguém, especiais para Deus

Especiais para nós mesmos

Que isso seja uma bênção e não um peso

Queremos ter alguém especial

Que goste dessa condição de ser especial para nós

Que sinta-se confortável sendo nossa prioridade

E que possa haver reciprocidade

Isso é inerente ao ser humano

Não é egoísmo ou egocentrismo

É apenas a necessidade humana de valorização, de amor

É o equilíbrio da razão e emoção

É pré-requisito da felicidade

Queremos ser especiais!

Alda M S Santos

Teias sociais e familiares

TEIAS SOCIAIS E FAMILIARES

Tecemos nossas relações familiares e sociais

Como uma grande teia, um emaranhado no qual transitamos bem

Conhecemos os cantos e recantos, os nós, os laços, os embaraços

As linhas paralelas, aquelas que nunca se cruzam

As vias mais frágeis, as mais resistentes

Mas, como numa teia, qualquer anormalidade

Um inseto distraído, intruso que chega movimenta toda a sua estrutura

A aranha tem trabalho para proteger seu espaço de invasores

Tecer novamente o que foi danificado

Temos trabalho para reconstruir nossas relações social e familiar

Quando elas sofrem qualquer dano ou perda: interna ou externa

Mas só nós podemos fazê-lo

Fomos nós que, como aranhas, as construímos

Nós, como aranhas, conhecemos cada ponto como ninguém

E logo nova teia estará pronta

Mais forte e ainda mais resistente!

Alda M S Santos

Ele vai nascer…Feliz Natal!

ELE VAI NASCER…FELIZ NATAL!

Um sentimento bom, pacífico, solidário reina no ar

Chamem de espírito de Natal, de compaixão de época, até mesmo de puro comércio

Mas ninguém pode negar que enquanto ele dura tudo parece mais bonito

Quem se permite sente a presença Dele mais perto

Tempo de perdoar, de fazer as pazes, inclusive consigo mesmo

Tempo de reconciliações, de reaproximações

Tempo de gratidão…ninguém fica imune

Olhar para o ano que passou, as bênçãos recebidas

As oportunidades de crescimento

As inúmeras “segundas” chances a nós oferecidas

A família ali reunida, independente se falta alguém

É um momento família, quer seja a de sangue

Ou aquela que escolhemos para viver…

Família é bênção divina, é amor de Deus por nós na terra

Família é laboratório onde o amor é testado e aprovado

Num constante vai e vem…

Ninguém passa incólume!

Quem não a tem, esse é o momento em que mais fica nítida sua falta…

Que Ele possa chegar e entrar em nossas casas

Em nossos corações

E fixar morada ali para sempre…

Feliz Natal a todos!

Alda M S Santos

Um círculo

UM CÍRCULO

Histórias que se cruzaram há 4 anos

Primeiro os casais, logo suas famílias

Encontros de estudos, de conversas

De trocas de experiências, de histórias de vida…

Uns mais tímidos, mais contidos, outros mais extrovertidos

Uns mais sérios, outros brincalhões

Tão diferentes entre si quanto as pessoas podem ser

Tão semelhantes na humanidade, na fé em Deus

Diversos e iguais na condição de casais, de famílias

Sempre dispostos a ajudar, a estender a mão

Juntos pelo prazer da partilha, de socializar alegrias e dificuldades

A aprender, a tomar para si um problema do outro

Nas famílias que crescem e se renovam, nas orações partilhadas

Somos um círculo da família ECC

Acham que foi por acaso?

Somos Aliança Renovada!

Muito prazer! Amo estar com vocês!

Alda M S Santos

Passado, presente, futuro…

PASSADO, PRESENTE, FUTURO…

Se quero saber algo do futuro, olho um pouco para trás

Se quero, saudosamente, lembrar o passado, olho para frente

Assim mesmo! Paradoxal!

Ver-se nos filhos, nos pais

Saudades, expectativas…

Meus filhos me mostram meu ontem, minha infância e juventude

Meus pais me possibilitam visualizar meu futuro

Uma idade que não sei se virá

Se quero que chegue, se terei coragem de vivê-la

Tento me concentrar no hoje, agir nele

Aproveitando o que o ontem me forneceu

E a expectativa e incerteza do que o amanhã me possibilita

Eu também fui o ontem e sou o amanhã de alguém

Quero apenas um hoje bom, para que a lembrança seja boa

Para mim, para os que comigo conviverem…

Alda M S Santos

Papai

PAPAI

Sempre alegre, bem humorado

Completa hoje 75 anos, passou para os 76, como diz

Garante que passa dos 100 anos

Animado, adora uma roça, passear e bater um papo

Pessoa ímpar e engraçada, temente a Deus

Muito prestativo, vaidoso, sem vícios

Toma vinho com Fanta Uva!

Confia muito nas pessoas e isso o coloca, às vezes, em maus lençóis

Do seu jeito simples e contido nos ama a todos

Esse é meu pai: Adair

Felicidades papito!

Que passe mesmo dos 100 com saúde e alegria.

Te amo! 💕🙏🏼

Alda M S Santos

Heranças

HERANÇAS

Trazemos conosco muitas heranças

Que vêm passadas de geração para geração

Pais, avós, bisavós, tios, primos…

A cada dia notamos em nós algo de algum dos nossos ascendentes

Ou algo nosso nos nossos descendentes

Algumas características que amamos, necessárias

Que nos orgulhamos por possuir, por passar para frente

Outras como um apêndice inútil a ocupar espaço

E outras que até pagaríamos para devolver, por machucar, envergonhar

Heranças genéticas, físicas e mentais

Heranças emocionais, de personalidade

Heranças materiais, bens ou dívidas

Mas somos muito além do que herdamos

Nada vem tão fechado, imutável, inerte

Sobre o que herdamos podemos agir, transformar, melhorar

Ou piorar, dependendo do que fizermos

Personalidade não mudamos, mas podemos aprimorar

Características físicas podemos aprender a valorizar

Dívidas podemos pagar ou arrolar

Bens materiais podemos multiplicar ou conservar

E a capacidade de amar e evoluir é pessoal e individual

Sempre pode ser aprendida e aprimorada

E, quem sabe, a herança que deixarmos

Possa ser cada vez melhor?

Alda M S Santos

Não existe ex-pai, não existe ex-filho

NÃO EXISTE EX-PAI, NÃO EXISTE EX-FILHO

Ex-marido é comum de se ver, uniões que terminaram

E trazem consigo um “carona” triste, os ex-pais, ou ex-filhos

Nada pode tornar um homem um ex-pai

Nada pode tornar uma criança um ex-filho

Há homens que abrem mão dessa responsabilidade, dessa bênção

Há filhos que abrem mão desse convívio por carência e revolta

Há mulheres que dificultam essa relação

O papel do pai é dele, não há substitutos, ainda que outros tentem

O vazio sempre existirá no coração infantil

O vazio, cedo ou tarde, corroerá a alma do pai

Não importa se ele é carinhoso, bravo, sério, brincalhão, super-herói

Todos lamentam perder, esteja ele deste ou do outro lado da vida

Ainda que alguma guerreira ou outro homem o tenha feito

Não existe filho sem pai, não biologicamente falando

Impedir que essa relação ocorra, independente do motivo

É cruel, contraproducente, ineficaz, desumano

Um crime contra a humanidade, contra a sociedade como um todo

Sem querer apontar culpados, quase nunca há só um

Apenas lembrar que é preciso preservar

Essa relação especial onde todos aprendem

É na família que Deus colocou todas as suas esperanças na humanidade…

Feliz dia dos pais, dos filhos/pais, dos pais/avós

Presentes e ausentes…nesse ciclo infinito

Especial aos “pais” da minha vida, queridos e amados!

Alda M S Santos

Ser responsável

SER RESPONSÁVEL

A confusa, intensa e paradoxal relação:

Sentir-se responsável pela felicidade dos outros

Que estão diretamente relacionados à felicidade da gente

De saber que os erros e acertos deles

Tropeços e recomeços têm direta ligação consigo

Com o que fez ou deixou de fazer, propositadamente ou não

Sentir que poderia, até deveria, controlar o tempo

Fazer brilhar o sol, cessar a chuva

Trazer calmarias, remansos, oásis no que for deserto

Afastar tempestades ou nuvens negras

Fazer com que os cardápios oferecidos a eles pela vida

Sejam bem selecionados, saudáveis e prazerosos

Aquecer suas noites, iluminar seus sonhos com estrelas

Lutar contra seus monstros e vencê-los

Saber que nossos “guarda-costas”, anjos, bem maiores que nós, muitas vezes

Estejam tão ou mais necessitados de proteção

Que aquela que julgam proteger

Ou não, mas isso não importa

Sentir que amor de verdade talvez seja isso

Não ser perfeito, ser falho, mas ser perseverante

Ter a certeza que em muitos momentos também acertou

E fez felizes aqueles que lhes foram confiados

O sorriso no rosto deles e a paz que transmitem

Fazem qualquer sacrifício mais fácil de se tolerar…

Alda M S Santos

Ah…a felicidade, há felicidade?

AH…A FELICIDADE, HÁ FELICIDADE?

Ela não tem segredos

Varia muito pouco de um para o outro

Sensação de paz, de bem-estar, de fé e esperança

A despeito de qualquer problema

Pode estar entremeada de momentos tristes

Mas duas coisas são comuns a todos que se dizem felizes:

São saudáveis e não sofrem dor

São e sentem-se prioridade na vida daqueles

Que são prioridade em suas vidas

Ser especial para quem nos é especial é o desejo de todos

Somos todos crianças grandes, carentes de amor e atenção

E onde isso falta

Não há felicidade não!

Alda M S Santos

Amor nunca fica velho

AMOR NUNCA FICA VELHO!

Pode ter 70, 80, 90 anos, nunca envelhece!

Nunca fica velho(a), aquele(a) que passou conosco os anos

Que esteve ao nosso lado enquanto uma ruga se prendia lá, dona do pedaço

E uns fios brancos brotavam cá, rebeldes

Que foi se encurvando enquanto dividia conosco os pesos de nossas dores

Ou as batidas do coração já fraco de tanto pulsar por nossas alegrias, tristezas e medos

Nunca fica velho aquele olhar que menos vê

Mas ainda brilha por nós, enxerga, percebe, identifica

Não envelhece um corpo que nos aqueceu, nos acolheu

Nos deu colo, nos empurrou para frente, nos amou…

Nunca fica velho aquele que caminha mais lentamente

Ou não ouve mais tão bem, fala pouco

Mas ainda caminha conosco mesmo de longe, escuta melhor nossos silêncios

Canta conosco baixinho nossa trilha sonora

Nunca envelhecem aqueles que amamos: cônjuges, pais, irmãos, amigos, filhos, não importa

Nunca estão velhos o bastante para irem embora, nos deixar

Nunca estamos velhos o bastante para saber perdê-los

Simplesmente, porque amor não envelhece, tem fases, renova-se

E, se envelhecesse, seria como vinho, cada dia melhor

E nos embriagaríamos!

Alda M S Santos

Era um lar…

ERA UM LAR

“Uma casa não se assenta sobre a terra, mas se assenta sobre a mulher”- provérbio mexicano.

Até há bem pouco tempo foi um lar alegre, colorido, apaixonado

Pareciam uma família italiana

Grande, diversa, barulhenta, vibrante, animada

Amorosa, com brigas, atritos, silêncios e reconciliações

Firmadas numa base forte: a mulher, a mãe, a matriarca

Agora ela se foi, não teve escolha, foi levada

E o lar virou apenas uma casa

Cheia de paredes que não abafam os gritos constantes

Tijolos e concreto que evidenciam a dureza dos corações

Cores que não combinam e estão tão desbotadas quanto o desamor em escala cinzenta

Teto que não mais abriga as almas solitárias

Tristeza molhada que causou a queda das vigas de sustentação

Já foi todo tipo de comércio, descaracterizou-se

E de seus habitantes só se ouve berros raivosos

Os silêncios são conflitantes, tortuosos

Reconciliações? Ficaram perdidas entre as paredes derrubadas do lar

E misturadas aos destroços dos corações…

Uma casa linda, mas que não abriga corações!

Uma casa, bonita ou feia, grande ou pequena, para ser um lar precisa de um Morador Especial

E ouso completar o provérbio mexicano:

Um lar se assenta num tripé: uma mulher feliz, com Deus no coração, e uma família amorosa!

E fica a questão: que será de nossos lares quando formos embora?

Ou mesmo quando parecemos apenas sombra dentro dele?

Qual a base, a liga que une seus membros, a harmonia de sustentação?

A reconstrução de uma casa qualquer empreiteiro pode fazer

A reconstrução de um lar exige especialização

Em amor, respeito e doação !

Alda M S Santos

Apenas isso…

APENAS ISSO…

Por sermos humanos demais, com tudo que esse título carrega

De bom ou de ruim

Cobramos mais daqueles a quem mais oferecemos

Exigimos deles muito além do que pedimos aos demais

Daqueles pelos quais mais nos sacrificamos

Aqueles a quem mais amamos,

Dos quais mais precisamos

Que estão ou deveriam estar conosco todo o tempo…

Talvez a lógica dissesse para exigir menos, já que lhes dedicamos amor

Que o amor é paciente, compreensivo, incondicional…

Mas somos humanos demasiadamente, limitados e imperfeitos excessivamente

E pensar mais no outro que em nós nem sempre impera

Um olhar atravessado de quem amamos rasga o peito como adaga, mais que o de um “qualquer”

Uma palavra ou silêncio inoportunos por quem demos tudo nos evisceram dolorosamente …

Quem disse que amor humano é perfeito, que sabe de tudo?

Amor objetiva nos fazer melhor do que somos

Apenas isso…

Alda M S Santos

São José: Protetor das famílias

SÃO JOSÉ: PROTETOR DAS FAMÍLIAS

Aquele que aceitou a honra de ser esposo da mãe de Cristo

Aquele que assumiu o papel de pai e educador do Filho de Deus

Que a Ele ensinou os primeiros passos, as palavras, a profissão

Aquele que amou e lutou por sua diferente família

Que foi o líder da Família de Deus na terra

Aquele que é o Protetor das Famílias

A quem, junto com o Pai, Filho e Espírito Santo, admiramos e pedimos a bênção para todas as famílias do mundo!

Alda M S Santos

Família: laboratório do mundo

FAMÍLIA: LABORATÓRIO DO MUNDO

O que quisermos fazer pelo mundo

Façamos primeiro por e para nossas famílias

Nelas desenvolvemos nossos dons, crescemos

É um mundo em miniatura onde enfrentamos de quase tudo

Não há ilusões!

Família é escola da vida, reflexo dela

Coisas maravilhosas e odiosas acontecem dentro de famílias

Enfrentamos ciúmes, inveja, rebeldias, crises, alegrias

Diversidade de opiniões, habilidades diversas, disputas

Ensinamos, aprendemos, nos reconstruímos, amamos, perdoamos

Se o que queremos para o mundo não funcionar num ambiente reduzido em que deveria prevalecer o amor

Mudemos de tática, ou destruiremos a nós mesmos, nossas famílias, as demais famílias, o mundo…

Uma família não se destrói ou se constrói por um só

Todos somos responsáveis, dentro ou fora delas!

O mesmo se aplica ao mundo…

Construir um mundo melhor implica em amar, respeitar e construir a família que nos foi confiada!

Alda M S Santos

Minha avó

MINHA AVÓ

Pequena, magrinha, miudinha mesmo

Um abraço parece que irá quebrá-la

Minha avó, cabeça branquinha até onde minha memória alcança

Ela tem 95 anos, 6 filhos, 19 netos, 18 bisnetos e uma tataraneta

Olhos fundos, uma vida de força escondida ali!

Geniosa, contadora de casos, vida sofrida, cismada

Sempre trajando saia e blusa de mangas compridas, trabalhadeira

Faça frio ou calor, sol ou chuva

Mora sozinha por opção, sempre na janela a olhar quem passa,

Cuida da horta, das galinhas, da casa

Deita-se junto com o sol e levanta-se com ele

Nunca tira fotos, dificilmente sai de casa

Não usa perfume, tem cheiro gostoso de vó, aroma da minha infância!

Econômica na demonstração de afetos, de emoções

Mas quem a conhece reconhece o brilho no olhar

Quando estão perto quem ela ama

E a opacidade que toma conta quando vão embora

Até a janela da frente se fecha em protesto

Junto com o semblante e o coração

Fala muito na morte para espantar o medo que sente dela, do desconhecido

Bem humorada, diz que tem três coisas: velhice, feiúra e ruindade recolhida

Pra mim tem outras: força, fé, coragem e muito amor contido

Nas minhas lembranças mais antigas de vida, ela está

E ficará para sempre…

Te amo, vó!

Alda M S Santos

Famílias

FAMÍLIAS

As famílias são as meninas dos olhos de Deus.

Tanto que Jesus nos veio no seio de um lar…

Na família está nossa fonte de força

Ou nossas maiores fraquezas

Geradora de alegrias, de lágrimas, de crescimento!

Entre os membros de uma família pode haver

Grandes abnegações e sacrifícios, atos de extremo amor

Ou as maiores crueldades que a humanidade é capaz.

Tudo dentro de uma família potencializa, bom ou ruim.

Qualquer um sabe o valor de uma família

Da sua ou das alheias, e a falta que faz…

A cada família que se destrói, que se permite destruir

Que chora, uma estrela morre no céu, Deus sofre junto…

As famílias são o ninho de Deus onde se aprende a amar

Um ninho que precisamos para sempre…

Alda M S Santos

Por quê?

POR QUÊ?

Por que conseguimos ajudar a tanta gente

E não conseguimos ser tão úteis aos mais próximos de nós?

Por que conseguimos estender uma mão que é acolhida por tantos

E aqueles que mais amamos a ignoram ou não veem nela o conforto?

Por que o abraço do “desconhecido” aquece mais?

Por que as palavras mais sábias vêm de fora?

Santo de casa não faz milagre?

Será que veem em nós a obrigação de amar e acolher?

Por quê?

Será que somos vistos com nossas falhas e incapacidades

Aquele lado por demais humano, normal, corriqueiro

E não pelas nossas qualidades e capacidade de acolhimento?

Por que será que é tão mais simples ajudar os outros, aconselhar

Que conseguir ajudar, inclusive, a nós mesmos?

Por quê?

Alda M S Santos

Pais Heróis

PAIS HERÓIS

Sempre ouvimos de nossos pais: quando tiverem seus filhos irão entender o que é ser pai e mãe.

E é verdade! Desde que fui mãe entendo melhor meus pais.

Quando crianças eles são nossos super-heróis, vencem os inimigos e nos defendem de tudo e todos, nos protegem.

Quando adolescentes ou jovens essa capa de herói cai e os criticamos. Até odiamos, às vezes! 

Nos sentimos frustrados por eles nos terem enganado!

Não vencem tudo, percebemos! Não podem nos defender de tudo! São frágeis e errados em muita coisa! Contraditórios, falíveis! 

Não podem mais tirar os monstros de debaixo da cama! 

Tudo fica mais difícil!

Quando somos pais, o dia-a-dia vai nos mostrando e reconstruindo a capa dos pais-heróis novamente. 

Não têm super poderes, visão de longo alcance, peito de aço, velocidade flash, super carros, aviões ou qualquer coisa do tipo.

Têm uma visão que antecipa nossos sofrimentos ou sucessos, um peito paradoxal, forte e frágil, que aguenta nossas alegrias e lágrimas, a velocidade da luz e da oração para nos amparar.

Usam as próprias pernas, o próprio corpo apenas e um único super poder: o amor incondicional.

Esses super-heróis nos dão “quase nada”, podemos pensar, mas nos dão tudo que têm. 

E como qualquer super-herói, nos dariam a vida se preciso fosse.

Sempre serão nossos super-heróis, para sempre, com 30 ou 90 anos!

E, se olharmos bem, os olhos deles têm o alcance que precisam: nossa alma! 

A todos eles, os pais, os “pães”, meu abraço e agradecimento.

Alda M S Santos

Raízes

RAÍZES

As folhas podem cair

Os galhos se quebrar, 

Flores rarearem, 

Mas se as raízes forem fortes, 

Cedo ou tarde os frutos aparecem…

E trazem de volta a alegria.

Alda M S Santos

Pais e filhos

 PAIS E FILHOS

Pais e filhos: uma relação única, especial, abençoada

Nasce do ventre, mas se alimenta do coração

Carinho que sobrevive e resiste a atritos, excessos, exageros, mágoas

Amor que, se faltar, deixa um vazio que não se preenche por nenhum outro amor.

Amor que se alia a respeito, perdão, união.

Compreendemos melhor o amor dos nossos pais, sendo pais

Na grande roda giratória da vida, “transferimos” aos poucos 

O cuidado aos nossos filhos, para o cuidado aos nossos pais.

Esses, cada dia mais dependentes, aqueles, cada vez mais independentes e autossuficientes.

Se pudermos olhar para nossos pais com menos crítica, com mais gratidão,

Se pudermos olhar para a vida de nossos filhos, com mais compreensão, menos imposição, 

Certamente teremos uma vida mais amorosa, mais leve e feliz.

Afinal, estamos na roda da vida e ela gira todo o tempo até a última parada para descermos.

Remorso e culpa são bagagens muito pesadas e dispensáveis!

Filhos, pais, avós são apenas fases do mesmo amor.

Que possamos viver cada uma da melhor maneira possível.

Alda M S Santos 

Entre eles

ENTRE ELES

Estar entre, no meio, comprimida, espremida

Mesmo com todas as habilidades adquiridas

Nunca é confortável!

Ora é o amor que espreme, ora é a dúvida,

As cobranças, ou a insensatez que comprimem.

Num puxa e repuxa, evita tomar partido

Maleável, flexível, resiliente, tenta sempre

Dialogar, falar, pedir com os olhos

Com as palavras, com os gestos,

Com o silêncio, com as lágrimas…

Ainda que tudo que precise e queira

Seja fazer parte, manter as partes unidas.

Mas se fere, se cansa, se machuca,

Dói!

A cada ferida que cicatriza sai mais forte.

Qual é o saldo?

O quanto perde de si mesma?

Será que sai mais feliz?

Alda M S Santos

Bálsamos

BÁLSAMOS

Há dias em que nos sentimos muito sós, 

Queremos estar sós, ou pensamos assim…

 Ficamos à espera da ajuda divina.

Clamamos por Ela, mesmo que silenciosamente.

Sequer notamos um amigo que se aproxima, 

Um familiar que fala com carinho, 

Um sorriso ou abraço de um colega. 

Uma brincadeira de nosso amor…

Há pessoas que são bálsamos em nossas vidas. 

Vê-las, tocá-las, falar com elas, 

Até mesmo pensar nelas,

Nos acalma, nos alegra, 

Nos conforta, nos alenta, nos orienta…

Retomamos nosso rumo, nosso prumo! 

Percebemos que a ajuda pedida está ali. 

Deus atua através de nós mesmos.

Somos instrumentos do bem em Suas mãos.

Há mais bálsamos por aí que pensamos.

Buscamos bálsamos,

Somos bálsamos sem perceber! 

Alda M S Santos

Atropelados pela vida

ATROPELADOS PELA VIDA
Tantas vezes somos atropelados pela vida. Caídos, outros “veículos” ainda passam por cima, caçoam, “filmam”, chutam cachorro morto. Quando tudo que queremos é um jornal para nos cobrir!
É, a vida pode ser cruel, às vezes. Imunidade baixa, todos os nossos monstros internos ganham força. Por isso parece que tudo vem ao mesmo tempo: desemprego, desilusão amorosa, brigas familiares, saúde frágil, caixa em baixa, amigos ausentes…
Pensamos em desistir… Entregar os pontos, jogar a toalha, aceitar o game over.
Tudo torna-se seco, cinza, sem vida! Fechamo-nos para o mundo.
Aí aparecem as almas caridosas com os velhos conselhos: vai passar, sacode a poeira, levante-se, chorar não vai adiantar…
E nossa vontade é gritar: pare, deixe-me com minha dor! Eu quero chorar, quero me entregar, quero ficar afundado nesse sofá por quanto tempo me aprouver!
Esse momento de “luto” é importante. Nele processamos o que perdemos, o que restou, o que devemos buscar. Fazemos nosso balanço interno antes de reabrir as portas para o público.
E nossa força, aos poucos, ressurge. E vai crescendo.
De onde vem essa força? O que a aciona? Quem dispara esse gatilho?
Cada um é cada um, mas vamos aprendendo técnicas para lidar com o sofrimento. Cada qual busca a sua: família, leituras, passeios, atividade física, chocolate, músicas, orações…
Duas ajudas são fundamentais e universais.
Primeiro: os amigos, aqueles mesmos, os dos velhos conselhos. Não sejamos tão duros com eles, não fazem por mal, do seu jeito, querem apenas ajudar.
Segundo: Deus. Ele é um só e olha por todos, independente do tamanho do nosso problema. Se nos incomoda, se pedirmos, Ele nos ajuda e nos atende.
Quando estivermos derrubados no meio da estrada, mesmo que seja difícil, tentemos lembrar disso. Pode diminuir o período de luto e irrigar a força. Ela brotará mais rapidamente.
Alda M S Santos

Casa de vó

CASA DE VÓ
Tive um prazer imenso no pouco tempo que convivi nas casas de minhas avós quando criança.
Minha avó paterna faleceu quando eu era pequena. A avó materna tem 93 anos, mas sempre morou no interior de Minas Gerais, enquanto nós morávamos na capital. Todas as férias íamos para Guanhães. Avós, tios e primos, uma farra!
Mas as lembranças desse convívio são maravilhosas: fogão à lenha, bichos no quintal, leite tirado na hora, compras na “venda”, histórias à noite…
Até o cheiro do colchão de palha ficou gravado na memória.
A água carregada em moringas da bica. A missa, as barraquinhas da quermesse da igreja, as moedas doadas pela vó, o banho de bacia, as quitandas assadas no forno à lenha, as brincadeiras na rua na noite escura, o frio e a neblina…
E aquele jeitinho que vó tem de querer nos proteger, de não querer deixar os pais “ralharem” com a gente.
Não sei se vó é mãe com açúcar, mas que é doce, é!
A casa mudou um pouco, minha avó nem tanto, mas em meu coração terão sempre a mesma imagem: amor e saudade.
Te amo, vó Dudu!
Alda M S Santos

Acertando o passo

ACERTANDO O PASSO
Olhar sempre pra frente
Para onde queremos ir
Algumas vezes, olhar para trás
Para aproveitar o que foi bom e descartar o que não valeu a pena.
Mas, sobretudo, olhar para o lado
Para amar, valorizar e acertar o passo
Com quem caminha conosco
Sendo o amor e amizade no momento,
Ou todo o tempo…
Alda M S Santos

Disque Emergência

DISQUE EMERGÊNCIA
Temos números de emergência para quase tudo: SAMU, Polícia Militar, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Procon, Direitos Humanos, Delegacia da Mulher, Hospitais e tantos outros.
Mas e se a nossa emergência for mais íntima: uma alegria extrema, uma novidade deliciosa, uma dor profunda, uma saudade doída, um amor proibido, uma decepção tremenda ou uma simples vontade de dar um abraço? Qual número discamos? Quem atende nossas emergências cotidianas?
Quanto mais “códigos numéricos” tivermos a quem recorrer, melhor estaremos servidos.
São, os donos desses números, as preciosidades de nossas vidas. Nosso refúgio, nosso colo, nosso aconchego, nosso porto seguro.
A elas devemos nossa gratidão e amor incondicionais todo o tempo, principalmente àquela cujo código para a acionarmos é a oração: Deus.
Àqueles que atendem minhas emergências diárias, todo o meu carinho e amor.
Bom dia!
Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: