O POETA BRINCADOR

Poeta faz das letras seu melhor brinquedo

Não há para ele qualquer segredo

Vai alto em seu balanço predileto

Quando tudo dentro dele está inquieto

Junta sujeitos, verbos e predicados

Substantivos e adjetivos tornam-se seus aliados

Uma pitada de natureza, sonhos, percepções

Sabe amar, encantar, despertar sensações

Poeta brinca de esconde-esconde com a dor

Abraça vocábulos vários com calor, sem pudor

Diverte-se de  pega-pega  com e por amor

Poeta sabe bem o que juntar, combinar

Sensível, emocional, faz sorrir, faz chorar

E num poema encontra seu berço, seu lugar

Alda M S Santos