DEPOIS DA TEMPESTADE

O Sol sai entre nuvens, meio devagar
Talvez incerto do momento a brilhar
Desce sobre espaços antes alagados
Atravessa e invade cada cantinho molhado

Como nossa coragem ao acordar
Depois de uma noite fria, levantar
É preciso sair dos pesadelos, da lama
Sabendo que lá fora a vida chama

Pós- tempestades é reavaliação
O que fica, o que merece reconstituição
E o que já era, não tem salvação

Toda tempestade tem sua função
Em cada um de nós pode ser libertação
A chance de seguir, ser mais razão ou coração

Alda M S Santos