LAPIDAÇÃO
O que somos, aquilo que nos tornamos
Vem sendo em nós lapidado ao longo do tempo
A cada momento diferente do viver
Uma camada nos é acrescentada
Ou, diferentemente, uma nos é retirada
Nosso ser é uma joia que vem sendo lapidada
Vamos sofrendo polimentos a cada amargura ou decepção
A cada medo, perda ou frustração
A cada confiança quebrada ou partida
A cada tristeza profunda sofrida
A cada caminhar ou estrada pelo outro interrompida
Nossa cerâmica abre trincas, fendas, fragiliza
Nossa alma sofre, chora, parece ruir
Mas a cada amor ou amizade que se vive
A cerâmica brilha, a alma se alegra
Se reconstrói, se refaz, fica mais bela
Nova camada polida e brilhante aparece
Mesmo que ainda possa doer ou amargar
Ela enfrenta novamente o viver
Mais experiente, mais forte, nem sempre mais feliz
Mas mais preparada para sofrer menos danos
No próximo polimento, na próxima lapidação
Viver é parecer inteiro, é construir laços
A despeito da alma ainda estar em pedaços
Alda M S Santos