CUBRO-ME!

Cubro-me com palavras faladas

Lidas, ouvidas, cantadas ou escritas

Cubro-me de silêncios profundos

Mudos, sussurrados ou gritados

Cubro-me de lembranças

Boas, ruins, adoráveis, com ou sem interação

Cubro-me de esperança, fé e confiança

Como um cacto espinhento que nos surpreende com lindas flores

Cubro-me de amor e amizade

Para que não possa sentir o frio da dor

Coberta, estou sempre protegida

Da vida ou da ausência dela…

Alda M S Santos