Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

amigos

Dia dos amigos

DIA DOS AMIGOS
Há amigos de todo tipo na vida da gente
Amigos que a família nos dá
Amigos que a igreja nos traz
Amigos de escola, de trabalho
Amigos da juventude, amigos de amigos
Amigos que puxam orelhas, que abraçam
Amigos que são sintonia, magia, sinergia
Amigos tranquilos e serenos, são paz
Amigos crianças, adultos e idosos
Amigos virtuais, amigos de farra
Amigos de gostos comuns ou nem tanto
Amigos da magia, da viagem, da poesia
Amigos que vão embora e deixam um buraco vazio
Uma saudade danada na alma da gente
Amigos de segredos, de troca, de tempos idos
Amigos que são abrigo, consolo, aconchego
Amigos de altas e gostosas risadas
Amigos que riem juntos das próprias misérias
Amigos que são palavras encorajadoras na dor
Que enxugam nossas lágrimas, que brigam por nós
Principalmente amigos que amam por nós, que lutam para estar conosco
Amigos que nos protegem a despeito de si mesmos
Amigos de longe e de perto
Amigos que são amigos quando nem nós mesmos nos aguentamos
Amigos/namorados/casados eternizados no carinho
Amigos que são uma trilha de amor
Até o coração da gente…
Há amigos de todo tipo
Só não há ex-amigo!
Uma vez amigo, para sempre amigo…
Amo todos vocês meus amigos de todas as épocas
De longe ou de perto, da infância, da juventude, da maturidade, para sempre…
Alda M S Santos

Amizade virtual

AMIZADE VIRTUAL

De longe, mas parece estar perto

Não precisa conhecer, não precisa estar junto

Basta sentir que o bem-estar é profundo

De longe, mas estende a mão

De longe, mas ri de montão

De longe, mas entende a solidão

De longe, mas desperta confiança, compreensão

De longe, mas sabe ser irmão

De longe, mas sabe tocar, mesmo sem as mãos

Toca com intuição, amor e emoção

Amizade virtual é um modo de amar meio irreal

Talvez seja meio espiritual

Pode parecer irracional, mas é sensacional

E chega ao ápice quando o encontro é natural!

Sarau: Poesias e poemas

Tema: amigo virtual

Alda M S Santos

Uma carta para mim

UMA CARTA PARA MIM

Quero escrever uma carta para mim

Para que eu possa abri-la numa outra vida

Mesmo que não seja possível saber que eu mesma que enviei

Mas de um modo que eu acredite que deverei confiar

Uma carta para me alertar

De caminhos que não levam a lugar nenhum

De estradas que levam a buracos difíceis de sair

De brilhos que não são do olhar, não são duradouros

De luzes da ribalta que acabam nos cegando

Das pessoas que são anjos enviados e precisam ser ouvidas

De outras pessoas que ficarão por um tempo

Mas que não têm desejo de se eternizar em nós

Daquelas pessoas que serão praticamente partes essenciais de nós

Do amor que chega devagar, suave e para o qual podemos abrir as portas sem medos

Das trilhas que me afastam dEle

De como identificar quem e o que realmente importa na vida…

Uma carta que possa alertar a mim

E a quem puder dela se beneficiar

Para que possam aproveitar melhor o tempo por aqui

Viver, ser feliz, amar, evoluir

Antes que ela esteja muito perto do fim…

Apenas um alerta de amiga…

Alda M S Santos

Caçamba

CAÇAMBA

Amigos, amores, familiares caçamba

Aqueles nos quais se joga de tudo

Aquilo que já não se usa mais

Ou o que é perigoso, machuca, fere, sangra

Normalmente, tudo que é descarte

Mas em meio a tanta confusão

Muitas vezes algo de bom também é lançado

E as boas e verdadeiras amizades ou amores

Sabem o que aproveitar, o que reciclar, o que ignorar

Selecionar algo de bom naquilo que o outro lançou

E muitas vezes nem percebeu

Quantas vezes somos caçamba?

Quantas vezes fazemos os outros de caçamba?

Essa troca é essencial em todo relacionamento saudável

Com o devido cuidado e equilíbrio

Nem só caçamba, nem só usuário dela …

Alda M S Santos

Entre amigos

ENTRE AMIGOS

Entre amigos sorrisos brotam livremente

Entre amigos lágrimas são enxugadas

Alguns até as impedem de cair

Entre amigos não há necessidade de impressionar

Entre amigos não há medos ou desconfianças

Entre amigos temos certeza do aconchego ou do colo

Entre amigos o tempo voa, pois é um tempo de paz

Entre amigos a inveja não existe

Entre amigos há prazer nas conquistas do outro

Entre amigos até a distância é aproveitada

Para selar o que há de mais sublime:

O amor infinito presente numa amizade verdadeira

Aquela alicerçada no amor divino que os aproxima

Amizade é amor de Deus em forma humana

Disfarçado de sorrisos e delicadezas

A nos salvar quando tudo parecer sufocar …

Cultivemos!

Procuremos ver Deus em cada amigo que temos…

Alda M S Santos

Ele vai nascer…Feliz Natal!

ELE VAI NASCER…FELIZ NATAL!

Um sentimento bom, pacífico, solidário reina no ar

Chamem de espírito de Natal, de compaixão de época, até mesmo de puro comércio

Mas ninguém pode negar que enquanto ele dura tudo parece mais bonito

Quem se permite sente a presença Dele mais perto

Tempo de perdoar, de fazer as pazes, inclusive consigo mesmo

Tempo de reconciliações, de reaproximações

Tempo de gratidão…ninguém fica imune

Olhar para o ano que passou, as bênçãos recebidas

As oportunidades de crescimento

As inúmeras “segundas” chances a nós oferecidas

A família ali reunida, independente se falta alguém

É um momento família, quer seja a de sangue

Ou aquela que escolhemos para viver…

Família é bênção divina, é amor de Deus por nós na terra

Família é laboratório onde o amor é testado e aprovado

Num constante vai e vem…

Ninguém passa incólume!

Quem não a tem, esse é o momento em que mais fica nítida sua falta…

Que Ele possa chegar e entrar em nossas casas

Em nossos corações

E fixar morada ali para sempre…

Feliz Natal a todos!

Alda M S Santos

Bom mesmo

BOM MESMO

É bom encontrar abrigo num dia de chuva

Mas bom mesmo é ser abrigo quando a casa cai

É bom ter amigos para sorrir, passear, nos divertir

Mas bom mesmo é ser/ter amigo quando o peito aperta, a alma dói

É bom ter para quem contar nossas alegrias e sucessos

Mas bom mesmo é ter com quem dividir nossas mágoas e angústias

É bom ter em quem confiar quando a subida ao topo é íngreme,

Mas bom mesmo é ser/ter apoio quando as pernas falham nas descidas

É bom ter alguém para amar, cuidar, dar carinho e atenção

Mas bom mesmo é ser digno de amor, de saudades, de boas lembranças

É bom olhar para o passado e relembrar uma vida recheada de delícias e lutas,

Ou para o futuro e ter boas expectativas

Mas bom mesmo é curtir um abraço saudoso no presente

É bom seguir por um caminho iluminado, florido, acompanhado

Mas bom mesmo é não nos perdermos de nós mesmos quando tudo escurecer…

É muito bom ter, mas bom mesmo é ser…

Sempre!

Alda M S Santos

Há quem se divirta…

HÁ QUEM SE DIVIRTA…

Há quem se divirta de todos os modos

Há quem se divirta dançando, cantando, acompanhado

Há quem se divirta numa dança solo

Há quem se divirta dançando em grupos

Há quem se divirta vendo os outros dançarem, conversando

Há quem se divirta instigando os outros a dançarem

Há quem se divirta por estar num meio musical

Há quem se divirta escolhendo ritmos ou dançando todos eles

Há quem se divirta com o prazer das companhias, amigos

Há quem se divirta com os comes e bebes

Há quem se divirta fazendo troça e piada com todos

Há quem se divirta independente das próprias limitações

Há quem se divirta proporcionando diversão ao outro

Há quem se divirta apenas por ver quem ama se divertir

Há quem se divirta por tudo isso ou por nada disso

Mas há quem se divirta por estar vivo, ter saúde, amigos

Há quem se divirta por poder agradecer as bênçãos recebidas

Ainda que nem sempre os “bailes” que a vida nos dá

Sejam tão divertidos…

Vamos nos divertir enquanto pudermos…

Alda M S Santos

Aceita o prazer dessa dança?

ACEITA O PRAZER DESSA DANÇA?

Dançar é deixar-se levar pelo ritmo que a vida nos impõe

É bailar em harmonia, passos leves, em uníssono

É deixar a música invadir nossa alma, internalizá-la

Dançar é poder extravasar de modo prazeroso o que está em nós

É devolver ao meio o que recebemos

É buscar no meio aquilo que precisamos

Dançar é trocar, é doar o que temos de bom

É recebermos aquilo que nos falta

Dançar é resgatar a conexão perdida consigo mesmo

Dançar é conectar-se com o outro, se divertir

Um corpo que dança é bonito

Um corpo que dança em sintonia com a própria alma é divino!

Aceita o prazer dessa dança?

Esse convite deveríamos fazer a nós mesmos

Antes de fazê-lo ao nosso partner.

Alda M S Santos

Um milhão de amigos pra quê?

UM MILHÃO DE AMIGOS PRA QUÊ?

Roberto e Erasmo quiseram ter um milhão de amigos

Se tiveram eu não sei.

Verdadeiros? Tampouco!

Sou mais simples, não me importo com a quantidade

Quero poucos, porém verdadeiros

Com os quais possa interagir, confiar, abraçar

Sorrir e chorar junto!

Assim, canto mais forte, cantamos mais forte!

Mas não dispenso um lindo verso, entre tantos, da canção:

“Quero levar o meu canto amigo

A qualquer amigo que precisar…”

Assim, eu canto, e nos encantamos!

Alda M S Santos

Guinadas 

GUINADAS

As pequenas ou grandes guinadas de nossas vidas

Sempre dependerão, além

de nossa capacidade interna, 

Dos estímulos externos que recebermos.

Acreditar que aquele emprego é melhor,

Que aquela mudança de cidade seria mais produtiva,

Que aquela faculdade é mais a nossa cara,

Que o momento é adequado para ter um filho,

Ou para viajar, sumir de circulação por uns tempos,

Que aquele projeto cabe na nossa pauta,

Que aquela amizade nunca terá fim, 

Que aquele amor é mais completo ou verdadeiro.

Tudo dependerá da nossa capacidade de acreditar e agir!

Alda M S Santos

Amigos e inimigos

AMIGOS E INIMIGOS

Podemos ser nossos maiores inimigos, 

Pois conhecemos melhor que ninguém nossas fragilidades

E, muitas vezes, as entregamos de bandeja ao adversário.

Também podemos ser nossos melhores amigos,

Visto que só nós mesmos podemos acionar nossas forças capazes de combatê-las.

Resta saber de que lado vamos lutar:

Contra ou a favor! 

E isso não é tão simples quanto possa parecer,

Vivemos nos jogando de cara na lona, qualquer que seja nossa categoria! 

1, 2, 3… E levantando…

Será nocaute dessa vez? 

Alda M S Santos

Registros

REGISTROS 

92 anos e dando uma lição: 

“O que mais vale nessa vida é fazer amigos, 

Nossos irmãos perante o mesmo Pai, que está no céu,

Aquele que cuida de todos nós” 

A memória já falhando, muitos beijinhos e carinhos

Registrou meu nome no livrinho que carrega

Com capricho na letra e doçura no olhar.

Eu a registrei em meu coração: Arlette.

Lição reafirmada: amigos são especiais na vida da gente.

Alda M S Santos

FELIZ!!! 500 seguidores

FELIZ!!! 500 seguidores, 10 meses de blog!

Tão grande quanto o prazer de escrever

É ter cada um de vocês aqui!

Muito obrigada pelo carinho

E pela presença!

Beijos! 

Amigos especiais 

AMIGOS ESPECIAIS 

Qual o amigo mais sensível que temos?

Pelo nosso caminhar percebem nosso humor,

Pelas nossas poucas palavras sabem que precisamos de sossego,

Pelo nosso cheiro sabem que queremos colo,

Pelo nosso toque, ficam ao nosso lado,

Sabem que podem ficar ali, pertinho,

Que precisamos deles, mesmo em silêncio, 

Que isso quase sempre basta…

Tentam “conversar” conosco, dão umas lambidas, olham com carinho,

Se fossem humanos nos abraçariam…

E fariam tudo ficar bem!

Ou será que a humanidade os deturparia? 

Alda M S Santos

Abrigos

ABRIGOS

Uma mansão num paraíso tropical,

Uma cobertura num país europeu,

Uma casinha branca na serra,

Uma choupana num vale no outono,

Uma cabana numa montanha bem alta,

Um barraco num aglomerado qualquer…

Todos são residências! Todos!

Não importa em qual delas estaremos,

Pois o verdadeiro abrigo é aquele que encontramos

No coração daqueles que trilham conosco essa estrada.

Esses, podemos encontrar num barraco ou numa mansão.

Sem qualquer distinção!

E fazer ali nossa verdadeira morada.
Alda M S Santos

E quando tudo parecia perdido

E QUANDO TUDO PARECIA PERDIDO
E quando tudo parecia desabar
Surge aquela presença querida, que ilumina
Aquele sorriso entre lágrimas que diz:
“Tenho nada não, mas estou aqui”.
E quando tudo parecia escuro, frio
Surge aquele abraço amigo, apertado
Forte, que enlaça o corpo todo, que aquece a alma.
E quando tudo parecia perdido
Surgem amigos, que ouvem, que se solidarizam,
Que riem, que choram, que se calam,
Que, sobretudo, falam, e percebemos que Ele nos fala.
É quando tudo parece perdido que Ele mais nos aparece
E nos mostra uma constelação de estrelas e possibilidades
Aí percebemos tudo de maravilhoso que temos.
Alda M S Santos
Foto Everaldo Alvarenga

Eternidades

ETERNIDADES
“Até que a morte nos separe”, “Love you forever”,
“Você vai estar para sempre dentro do meu coração”,
“E cada verso meu será, pra te dizer que eu sempre vou te amar, por toda a minha vida.”
“Te amarei de janeiro a janeiro até o mundo acabar”…
São tantas as promessas de eternidade! Tantas!
Basta ligar o rádio e ouvir algumas canções.
Ou ouvir algumas histórias por aí…
Mas elas se esvaem na fumaça do fogo, ou do gelo, que as consome.
Mudemos a sintonia do rádio para um canal de notícias,
E perceberemos como terminam muitos amores eternos.
Ou nas próprias canções:
“Você jogou fora o amor que eu te dei, os sonhos que sonhei,”
“Saiu sem dar razão, ficou na solidão, alguém que só te deu valor,”
“Não aprendi dizer adeus, mas tenho que aceitar que amores vêm e vão”…
Valem para qualquer tipo de amor ou amizade.
Amizades e amores verdadeiros não precisam de juras, promessas,
Palavras são lindas, mas são apenas palavras!
Atitudes é que são eternas e conquistam o amor dia-a-dia.
Alda M S Santos

Viajar

VIAJAR

Quer seja sobre duas ou quadro rodas

Sobre as águas, hélices ou turbinas

Ou nas asas da imaginação…

Não importa o meio de transporte, 

Importa que queiram estar com a gente

Que apreciem estar conosco,

Que valorizem e lutem para estarmos juntos. 

Família, amigos, amores…

O que todos queremos, 

O que todos precisamos…

É ir longe, bem longe…

Sem perder o próprio chão

Alda M S Santos

Nossos anjos

NOSSOS ANJOS 

Se passarmos um filme em retrospectiva de nossas vidas

Poderemos observar algo que irá sempre se repetir

Mudam o local, o cenário, os atores, a trilha sonora, até o roteiro

Porém, a história é a mesma em várias versões

Desafios e obstáculos superados.

Talvez não pareça vitória ou superação,

Mas, entre as opções existentes, nos saímos bem.

Muitos foram os buracos em que caímos, 

Os vãos em que nos esprememos.

Inúmeros desvios de obstáculos, 

Incontáveis escorregadas em falsos amigos,

Bastantes as vezes em que corremos do amor ou para o amor,

Ou nos sentamos, choramos, reabastecemos energias,

Restauramos as forças…

Veremos que em todos esses momentos havia alguém especial conosco

Enviado por Ele para nos fortalecer. 

Como essa é uma história aberta, em construção,

Quais são os obstáculos de agora, nossos “inimigos” atuais?

Quem é nosso anjo especial? 

Nunca estamos sós! 

Alda M S Santos

48 horas

48 HORAS

Das 48 horas que certos dias parecem conter

Muitas delas passamos em transe

São aqueles dias cujas emoções são tantas

Que superariam nossas forças, 

Abalariam nossa estrutura

Não fossem a presença amiga

A mão que se estende

O abraço que consola

O sorriso que compreende…

Talvez a gente nem perceba

Mas ao final dele, ao encostar a cabeça no travesseiro. 

A mente diz “ufa”, o corpo pesa, a alma, mesmo agradecida, muito contida, chora,

E dormem…

Mais confiantes ainda num poder Superior que a tudo acompanha 

Flores, bichos, principalmente a nós, seres humanos tão falhos. 

Que outros dias possam vir!

Com 12, 24, 36 ou 48 horas…

E não estaremos sós! 

Alda M S Santos

Tempestades

TEMPESTADES

Tempestades…

Elas chegam, quer a gente espere ou não

Goste ou tema, elas vêm.

Mas também sempre vão, cedo ou tarde.

O tempo de duração 

E o estrago deixado dependem de nós.

É preciso encontrar apoio pra enfrentá-la

Para não ficarmos ao sabor do vento.

Nunca é bom estarmos sós!

Em campo aberto,

Expostos à sua fúria, é risco certo.

Busquemos o ponto mais alto

Em nossos corações

No carinho de uma boa amizade,

Na doçura de um grande amor,

No aconchego de uma família unida,

No repouso do colo de nosso Pai,

Poderemos encontrar o apoio necessário.

Lá no alto, quando menos esperarmos

Veremos que o céu voltou a ser azul

O sol voltou a brilhar

A brisa é suave, a vista é linda…

O estrago foi pouco.

E nossos “apoios”, 

Preciosos em nossas vidas

Nos ajudarão a reconstruir. 

Alda M S Santos

Anjos

ANJOS

Parece que algumas pessoas estão previamente determinadas a fazer parte da vida umas das outras. 

Isso explicaria o porquê de algumas pessoas distantes serem mais próximas, importantes e necessárias do que outras com as quais convivemos horas e horas por dia.

Com essas nada há em comum, nada se sabe ou se quer saber delas. São dispensáveis!

Já aquelas, ahhh! 

Elas são como gotas de chuva numa tarde quente…

Um chá quente na noite fria…

Um raio de sol na janela ao despertar. 

Um luar para os amantes.

Um copo d’água que mata nossa sede.

Um abraço caloroso que aquece nossa alma e restaura nossas forças. 

São a prova do amor e cuidado de Deus! 

Ele sempre nos manda exatamente aquilo que precisamos.

São anjos disfarçados de gente.

Obrigada aos meus anjos de todos os dias! Por estarem sempre por perto. 

Eles sabem quem são, pois os agradeço incansavelmente. 

Alda M S Santos

Bálsamos

BÁLSAMOS

Há dias em que nos sentimos muito sós, 

Queremos estar sós, ou pensamos assim…

 Ficamos à espera da ajuda divina.

Clamamos por Ela, mesmo que silenciosamente.

Sequer notamos um amigo que se aproxima, 

Um familiar que fala com carinho, 

Um sorriso ou abraço de um colega. 

Uma brincadeira de nosso amor…

Há pessoas que são bálsamos em nossas vidas. 

Vê-las, tocá-las, falar com elas, 

Até mesmo pensar nelas,

Nos acalma, nos alegra, 

Nos conforta, nos alenta, nos orienta…

Retomamos nosso rumo, nosso prumo! 

Percebemos que a ajuda pedida está ali. 

Deus atua através de nós mesmos.

Somos instrumentos do bem em Suas mãos.

Há mais bálsamos por aí que pensamos.

Buscamos bálsamos,

Somos bálsamos sem perceber! 

Alda M S Santos

Afinidades

AFINIDADES

Interessante como algumas pessoas são para nós mais transparentes: decodificamos suas palavras, a escolha delas, se muitas ou poucas, olhares ou o desvio deles, simples atos, expressões corporais, jeito de andar, e até mesmo o silêncio, principalmente o silêncio, mesmo que de longe. 

Alegrias, tristezas, preocupações, angústias, mágoas, ciúmes, admiração, desejo, amor, nada nos passa despercebido.

Enquanto outras são verdadeiras incógnitas. Podem passar a vida ao nosso lado e serem sempre indecifráveis, fechadas em concha, intransponíveis. Por mais que façamos, o que conseguimos não é confiável. 

Claro que há diferenças de personalidade, características individuais, estilos de vida. Mas é algo além disso. 

Certo também é que essa relação é construída, é uma via de mão dupla, tem que haver reciprocidade. Mas, principalmente, penso que o que determina essa relação é a afinidade das almas. A atração exercida por essa afinidade que gera amor, carinho, amizade. 

Consequentemente, o desejo de compartilhar tudo que somos ou temos. 

Nesse caso, não há necessidade de muitas explicações.

A gente vive e agradece a grande oportunidade. 

Amigos, amores, almas afins não são para qualquer um. 

Alda M S Santos

Atropelados pela vida

ATROPELADOS PELA VIDA
Tantas vezes somos atropelados pela vida. Caídos, outros “veículos” ainda passam por cima, caçoam, “filmam”, chutam cachorro morto. Quando tudo que queremos é um jornal para nos cobrir!
É, a vida pode ser cruel, às vezes. Imunidade baixa, todos os nossos monstros internos ganham força. Por isso parece que tudo vem ao mesmo tempo: desemprego, desilusão amorosa, brigas familiares, saúde frágil, caixa em baixa, amigos ausentes…
Pensamos em desistir… Entregar os pontos, jogar a toalha, aceitar o game over.
Tudo torna-se seco, cinza, sem vida! Fechamo-nos para o mundo.
Aí aparecem as almas caridosas com os velhos conselhos: vai passar, sacode a poeira, levante-se, chorar não vai adiantar…
E nossa vontade é gritar: pare, deixe-me com minha dor! Eu quero chorar, quero me entregar, quero ficar afundado nesse sofá por quanto tempo me aprouver!
Esse momento de “luto” é importante. Nele processamos o que perdemos, o que restou, o que devemos buscar. Fazemos nosso balanço interno antes de reabrir as portas para o público.
E nossa força, aos poucos, ressurge. E vai crescendo.
De onde vem essa força? O que a aciona? Quem dispara esse gatilho?
Cada um é cada um, mas vamos aprendendo técnicas para lidar com o sofrimento. Cada qual busca a sua: família, leituras, passeios, atividade física, chocolate, músicas, orações…
Duas ajudas são fundamentais e universais.
Primeiro: os amigos, aqueles mesmos, os dos velhos conselhos. Não sejamos tão duros com eles, não fazem por mal, do seu jeito, querem apenas ajudar.
Segundo: Deus. Ele é um só e olha por todos, independente do tamanho do nosso problema. Se nos incomoda, se pedirmos, Ele nos ajuda e nos atende.
Quando estivermos derrubados no meio da estrada, mesmo que seja difícil, tentemos lembrar disso. Pode diminuir o período de luto e irrigar a força. Ela brotará mais rapidamente.
Alda M S Santos

Desejos

DESEJOS
Quero o silêncio, não qualquer silêncio, mas aquele que traz reflexões.
Quero amigos, não colegas, amigos que me ouçam, sorriam e chorem comigo,
Que puxem-me as orelhas, mas que me aceitem como sou.
Quero ser amiga, solidária, pra toda hora, necessária, valorizada.
Quero solidão, propícia e oportuna, que possibilite o crescimento.
Quero companhias alegres, tristes, fortes ou frágeis, mas autênticas.
Quero saudade! Pode até doer um pouquinho, mas que me alegre o coração e me instigue a buscar algo.
Quero trabalho, que eu produza, mas me divirta acima de tudo.
Quero o amor, não qualquer amor, mas aquele que tenha muito carinho, respeito e reciprocidade.
Quero paz! Aquela que vem com o silêncio, a solidão, os amigos, o trabalho, a saudade, o amor e… Deus.
Quero Deus comigo sempre.
Quero e, querendo, eu posso!
Alda M S Santos

Descanso

DESCANSO
Para o descanso do corpo: rede.
Para o descanso da mente: natureza.
Para alegria do coração: amigos verdadeiros
Para alimentar a fantasia: livros
Para refrigerar a alma: paz interior.
Para a paz interior: Deus!
Alda M S Santos

Disque Emergência

DISQUE EMERGÊNCIA
Temos números de emergência para quase tudo: SAMU, Polícia Militar, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Procon, Direitos Humanos, Delegacia da Mulher, Hospitais e tantos outros.
Mas e se a nossa emergência for mais íntima: uma alegria extrema, uma novidade deliciosa, uma dor profunda, uma saudade doída, um amor proibido, uma decepção tremenda ou uma simples vontade de dar um abraço? Qual número discamos? Quem atende nossas emergências cotidianas?
Quanto mais “códigos numéricos” tivermos a quem recorrer, melhor estaremos servidos.
São, os donos desses números, as preciosidades de nossas vidas. Nosso refúgio, nosso colo, nosso aconchego, nosso porto seguro.
A elas devemos nossa gratidão e amor incondicionais todo o tempo, principalmente àquela cujo código para a acionarmos é a oração: Deus.
Àqueles que atendem minhas emergências diárias, todo o meu carinho e amor.
Bom dia!
Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: