Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

criança

Menina grande

MENINA GRANDE

Fiquei tentando lembrar meus planos da infância
Quais eram meus sonhos, meus desejos
Se consegui realizar, não me decepcionar
Pensava em me formar professora
E me casar aos 20 anos, ter três filhos
Mas não era uma urgência, a vida seguia
O futuro estava tão longe, não me amedrontava
Penso mesmo que meus planos eram para o dia
O futuro não me ocupava tanto
Era mesmo o presente que me apetecia
O tempo passou, aqui estou
E percebo que uma diferença crucial entre infância e vida adulta
É o tamanho que o presente, o passado e o futuro têm na vida da gente
Criança sabe ser feliz por ter a maior medida no presente
Que é o que há de real ou de concreto
Quando perdemos essa medida essencial, sofremos
Ou não somos mais tão felizes…
É preciso que nos ocupemos mais do presente
Lembrando que somos crianças crescidas apenas
O futuro virá, e se tornará também um presente a seu tempo
Para o hoje é curtir o sol, até mesmo a chuva com bons amigos
Dormir, agradecer e acreditar que amanhã começaremos de novo
E brincar…nunca nos esquecer que na vida é preciso brincar!

Alda M S Santos

Vamos brincar?

VAMOS BRINCAR?
Dia das crianças chegando
Vamos brincar?
De bola, de pique-cola, de Maria viola
De finca, bolinha de gude ou mola maluca
Não importa, vale a diversão
Impera é o correr de pé no chão
Quer nadar no rio, escalar árvores, bambolear?
De cantigas de roda, esconde-esconde, gangorrar
Quer pedalar ou cair no poço
Quem te tira? Meu bem!
Pera, uva ou maçã, beijos ou abraços também
Pé de lata, pé de pano, sapatinho de algodão
Quem será a dona do seu coração?
Passando o anel, parando nas mãos de seu doce mel…
Vamos brincar?
De correr, de cantar, de dançar, de beijar, de amar…
De amar?
Sim, essa brincadeira é pra vida inteira
E como toda brincadeira boa
Não dá para brincar sozinho de qualquer maneira
Vamos brincar?
Alda M S Santos

Sou menina

SOU MENINA

Sou menina quando brincar me fascina
A brincadeira pode ser de esconde-esconde
Amarelinha, caí no poço, saltar na piscina
Acordando cedo para não perder o passeio nesse bonde
Sou menina quando demonstração de afeto me ilumina
Quando caio, me esfolo, me ralo, choro, não me calo
Não desisto dessa brincadeira, sigo minha sina
Sou menina quando subo em árvores, mergulho no rio
Ou quando caio dos sonhos e me afogo num mar de lágrimas
Sou menina quando carente peço um colinho
Ou quando forte ofereço um beijinho
Sou menina quando preciso de amor
Mas não quero implorar por ele, por favor
Sou menina, quando independente da noite, do sonhar
Acordo com esperanças de um novo sol, novo realizar
Pois toda menina sempre acha meios de na vida brincar

Alda M S Santos

Nossa criança

NOSSA CRIANÇA

O futuro passa pela educação
Começa cedo, brincadeira, concentração
Um mundo de possibilidades à espera
A ser conquistado, doce quimera

Letras, números, cores, pura magia
Sonhos,  histórias, desejos, fantasia
Que se passa nessa cabecinha
Tão inteligente, amada criaturinha

É preciso na infância investir
Esperança,  futuro, nosso porvir
Não deixemos nossa criança fugir

Na família, na escola, na sociedade
Criança deve ser nossa prioridade
Garantia de mais felicidade e equidade

Alda M S Santos

É bom ser criança

É BOM SER CRIANÇA

Resgatar a criança que habita nos recônditos de nossa mente

Que nos faz desatar as amarras do viver

Escapar do tédio, fazer umas boas estripulias

E dos problemas esquecer…

Chamá-la quando estivermos feridos, não mais nos joelhos

E quisermos ser curados com carinho, com beijinho

Pular no colo de um alguém

Em busca do conforto que faz tão bem…

Sorrir muito, por qualquer coisa, sem rodeio

Ser aberto a todos, à amizade, ao amor

Chorar quando tiver vontade, sem receio

E quando não quiser,ou não gostar, dizer: não, por favor!

Brincar, brincar e brincar

Correr, pular, dançar, o rosto pintar

Essa regra sempre levar

E nunca, nunca se esquecer de confiar, de amar…

E se a vida não for tão boa hoje

Voltar para dentro, ir dormir

Certos que amanhã é outro dia, a aurora vai surgir

Nosso sol vai raiar, brilhar

E nova brincadeira iremos começar…

É bom ser criança todos os momentos…

Alda M S Santos

Infância

repostando

INFÂNCIA

Quanto tempo dura a infância?

Até a troca definitiva dos dentes de leite,

Ou até o corpo se transformar pelos hormônios?

Quanto tempo dura a infância?

Enquanto se empanturrar de doces sem se preocupar com formas redondas,

Ou até cair nas armadilhas da mente e do coração?

Quanto tempo dura a infância?

Enquanto a brincadeira de bonecas for mais interessante que paquerar um “boneco”,

Ou até o guarda-roupas não ter mais nada que agrade?

Quanto tempo dura a infância?

Enquanto uma mágoa durar apenas alguns minutos,

Ou até o perdão ser uma ação mais complicada?

Quanto tempo dura a infância?

Enquanto um beijinho curar qualquer ferida,

Ou até ser comum dormir chorando e acordar sem vontade de levantar?

Quanto tempo dura a infância?

Enquanto a valsa da bailarina for a maior preocupação do dia,

Ou até os sonhos bons serem atropelados mais vezes por pesadelos?

Quanto tempo dura a infância?

Enquanto um copo de leite for mais saboroso que uma taça de vinho,

Ou até o joelho ralado doer mais que coração partido?

A infância já ficou bem lá atrás quando nos fazemos todas essas perguntas,

Mas se for uma nostalgia e saudade gostosa,

Conservamos uma alma infantil,

Isso é que vale!

Alda M S Santos

Abraços e desejos de felicidades a todas as crianças, de qualquer idade! 🙏🏼🙏😘😘👶👦🏼👧👨🏻👩🏻👵🏼👴🏼

Esconde-esconde

ESCONDE-ESCONDE

1,2,3,4….20!

Lá vou eu, quem escondeu, escondeu…

Tão divertida brincadeira de criança

Já não tem mais tanta graça assim

Não temos paciência para nada procurar

Sequer sabemos por onde começar

Quando sabemos, não queremos perder tempo

Optamos pelo mais fácil, à mão, debaixo do nosso nariz

Perdemos o prazer da brincadeira

O encanto da descoberta, da partilha

A alegria de brincar coletivamente…

Mas continuamos a nos esconder

Escondemos sentimentos, desejos, angústias

Escondemos o que somos de verdade

Escondemos dores e mágoas

Escondemos até amor e alegrias

Por medo de compartilhar e perder

Escondemos nosso verdadeiro eu

Tantas vezes até de nós mesmos

Para viver bem num mundo de hipocrisias

Assim, abrimos mão da saúde física e mental …

Saudade do tempo das brincadeiras de esconde-esconde

Aquelas em que um podia salvar a todos

Aquelas em que os maiores danos eram joelhos esfolados

E no outro dia tudo estava bem…

Alda M S Santos

Brincar para ser feliz

BRINCAR PARA SER FELIZ
Uma menina corre descalça, sapeca
Um rabo de cavalo, um sorriso no rosto
Um balanço, um quintal e um amiguinho
Igualmente descalço, levado a lhe puxar o rabo de cavalo…
Não é preciso muito para ser feliz
Criança brinca e, brincando,
Resolve seus pequenos conflitos
Torna a vida leve, a brisa suave
E se a corda arrebentar, esparrama no chão, machuca
Chora, limpa as lágrimas, ganha um beijinho na ferida
E volta a balançar, a vida segue…
Constrói e desconstrói o que é necessário para continuar brincando
Quando foi que complicamos tanto?
Os problemas mudam, é verdade, aumentam
Mas nós mudamos primeiro, “crescemos”…
Passamos a engolir lágrimas e sapos
Desaprendemos o poder de saber brincar?
Urge reaprender a brincar para ser feliz
Para não enlouquecer…
E não brincar de que se é feliz!
Alda M S Santos

Adulto-criança

ADULTO-CRIANÇA

Ser criança é gostar de ouvir a mesma história inúmeras vezes

É repeti-la com as mesmas palavras, no mesmo tom

É se encantar com cada sonho bom

Fadas, princesas, príncipes, bruxas e reinados

É o bem sempre vencer, o amor prevalecer…

Ser adulto é querer também reviver histórias, recontá-las

Mas descobrir que é necessário também apagar algumas delas

Ou deixá-las guardadinhas em nossas estantes interiores

Saber que príncipes e princesas são as pessoas reais

Não num reinado, mas na vida recheada de realidades

Ser um adulto/criança é fazer de nossa realidade um sonho bom

E de nossos sonhos uma esperança…

E quando a pressão for demais buscar uma história bonita em nossos arquivos e reviver

Como as crianças: “de novo”!

Fazer do nosso um reino sempre encantado!

Desejos de uma vida de realidades sonhadas e repetidas a todas as almas crianças do mundo…

Alda M S Santos

Lá vou eu!

LÁ VOU EU!

Corre, corre, olha, escolhe e se esconde bem

Enquanto o tempo é rapidamente contado

1, 2, 3…lá vou eu!

Euforia ao procurar e encontrar quem se escondeu

Quem nunca brincou?

Esconderijos perfeitos descobertos, sem artimanhas

Quanto menor a criança, maior o prazer de brincar

E o esconderijo nem precisa ser muito misterioso, não

Se se acredita invisível, invisível está

Se eu não vejo o outro, ele também não me vê!

E o esconde-esconde permanece ao longo da vida

Agora cheio de artimanhas…

É instigante esconder ou procurar quem ou o que de nós se escondeu

Mas o verdadeiro prazer está na descoberta, no encontro…

O gozo, o ápice, é encontrar e ser encontrado

Ainda que seja aquela criança que fomos um dia

E que de nós resolveu se esconder…

Onde você está?

1,2,3, lá vou eu!

Alda M S Santos

Indo e vindo

INDO E VINDO

Nada as impede de se divertir

Enchem e esvaziam um baldinho incontáveis vezes

Correm até o mar, balde cheio

Voltam sorrindo, derramam metade da água pelo caminho

Olham para o que restou

E vão fazer sua escultura na areia

Não se importam com o que perderam no trajeto

Usam satisfeitas o que ainda têm,

E buscam mais se precisarem…

Ah, se fôssemos como as crianças,

Dando mais valor ao que temos em detrimento do que perdemos

Talvez tivéssemos mais vezes essa alegria e sorriso espontâneo,

Que contagiam a todos a sua volta!

Alda M S Santos

Inocência, ingenuidade

INOCÊNCIA, INGENUIDADE

Inocência, ingenuidade

Credulidade, confiança

Quando se perde na vida

Tão bonita cumplicidade?

Inocência, ingenuidade

Pureza, sorriso solto, iluminado

Quando se perde na vida

Tão agradável docilidade?

Inocência, ingenuidade

Transparência, curiosidade

Quando se torna ambiguidade

O olhar que era pura afinidade?

Inocência, ingenuidade

Sinceridade, esperança

Quando se perde na vida

Tão humana liberdade?

Inocência, ingenuidade

Carinho, naturalidade

Quando isso se transforma em

Tão adorável sensualidade?

Inocência, ingenuidade

Paz, gratuita amorosidade

Quando se perde na vida

Tão almejada felicidade?

Certamente, digo,

Quando se perde a simplicidade

Tudo isso fica na saudade…

Alda M S Santos

Deus nos quer crianças

DEUS NOS QUER CRIANÇAS

Na infância somos crianças autênticas e felizes

Encontramos alegria nas pequenas coisas…

Um bichinho de estimação, uma brincadeira qualquer…

Crescemos, buscamos felicidade onde não se encontra

Esquecemos o quanto é simples ser feliz

Deus nos torna pais e mães para nos relembrar

O quanto a felicidade se encontra no brilho de um sorriso puro e inocente

Os filhos crescem…

Deus manda os netos, sobrinhos-netos, para exercerem o mesmo papel

Renovarem a fé, alegria e esperança

Uma aula de reforço de simplicidade e pureza

Quando não conseguimos mais notar ou acompanhar as crianças

Nós mesmos nos tornamos crianças na velhice…

Deus quer pra nós a alegria, pureza, simplicidade, confiança e inocência das crianças…

Ele sabe o que é bom para nós!

Alda M S Santos

Anjinhos meus

ANJINHOS MEUS

Neles a gente encontra alegria

Com eles qualquer dor pede colo

Qualquer esfolado cura com beijinho

Desânimo se transforma em pega-pega

Lágrimas se enxugam na manga da blusa

Um sorvete é bálsamo da vida

Uma bola, mil possibilidades…

Qualquer história lida, contada ou escrita tem final feliz!

Em que parte pedimos para mudar de fase?

Que botão apertamos para voltar?

Alda M S Santos

Infância

INFÂNCIA

Quanto tempo dura a infância?

Até a troca definitiva dos dentes de leite,

Ou até o corpo se transformar pelos hormônios?

Quanto tempo dura a infância?

Enquanto se empanturrar de doces sem se preocupar com formas redondas,

Ou até cair nas armadilhas da mente e do coração?

Quanto tempo dura a infância?

Enquanto a brincadeira de bonecas for mais interessante que paquerar um “boneco”,

Ou até o guarda-roupas não ter mais nada que agrade?

Quanto tempo dura a infância?

Enquanto uma mágoa durar apenas alguns minutos,

Ou até o perdão ser uma ação mais complicada?

Quanto tempo dura a infância?

Enquanto um beijinho curar qualquer ferida,

Ou até ser comum dormir chorando e acordar sem vontade de levantar?

Quanto tempo dura a infância?

Enquanto a valsa da bailarina for a maior preocupação do dia,

Ou até os sonhos bons serem atropelados mais vezes por pesadelos?

Quanto tempo dura a infância?

Enquanto um copo de leite for mais saboroso que uma taça de vinho,

Ou até o joelho ralado doer mais que coração partido?

A infância já ficou bem lá atrás quando nos fazemos todas essas perguntas,

Mas se for uma nostalgia e saudade gostosa,

Conservamos uma alma infantil,

Isso é que vale!

Alda M S Santos

Abraços e desejos de felicidades a todas as crianças, de qualquer idade! 🙏🏼🙏😘😘👶👦🏼👧👨🏻👩🏻👵🏼👴🏼

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: