PILOTANDO

Quero sempre ser piloto de minha própria máquina
Sem medo, e nas estradas retas com boa visibilidade, acelerar
Com cuidado e firmeza nas curvas do caminho para não derrapar
Aproveitando a luminosidade natural para avançar
E nos espaços mais escuros parar e descansar
Não quero me deter diante de nada
Usar proteção boa, segura e adequada
Apenas avaliar e seguir minha jornada
Ser da vida uma boa e doce namorada
Dar umas caronas, levar amores e amigos
Eles fazem a travessia mais leve, são abrigo
Se a máquina der problema levo à oficina
Aquela que me faz refletir sobre os buracos nas trilhas dessa sina
Muitas vezes colocando mais amor como combustível
Após a grande largada parar só mesmo nos pit-stops
Trocar óleo, pneus, verificar freios, faróis
Até mesmo substituindo peças já avariadas
O que vale é seguir em frente até a chegada
Seja ela qual for…

Alda M S Santos