PINTADOS DE CORAGEM

Com o perdão da caricatura
Sei que ser índio tem sido vida dura
É mais que uma tanga, uma oca, um cocar
É para sobreviver ter que muito trabalhar
Sua arte, seus costumes, sua saúde cuidar
Não só na natureza bichos caçar
Na rede brincar, no rio nadar
Ou numa canoa nas águas namorar
É em cada nascer do sol bem acordar
Sabedor que precisa sua terra cultivar
E com outros bichos argumentar
Sua gente e sua cultura preservar
E não ter que a todo tempo seus direitos provar
Ser índio não é ser uma caricatura social
É em cada dia dançar, não só para festejar
É a cara pintar de coragem e enfrentar
Um mundo que nem sempre valoriza seu lugar
Um viva aos índios brasileiros e do mundo inteiro!

Alda M S Santos