A CURA

Qual a cura para um mundo de amargura
Para humanos tão sem ternura
Que pouco fazem por evolução
E não temem a própria extinção?

Qual a cura para um mundo tão sem compaixão
Egoísta, que vive na alienação
Quer tudo, é imediatista, destrói o futuro
E já não sabe mais como ser puro?

Qual a cura para você, para nós
Há como desatar tantos nós
Refazer os laços, oferecer mais abraços?

Já foi apontada a cura para tanto desengano
Houve um Alguém que disse, um Senhor
Que a cura para qualquer mal é o amor…

Alda M S Santos