TERMINOU, MAS NÃO ACABOU…
Aquela vida que se jogou do alto de uma passarela no asfalto lá embaixo
Deixa a sensação aos que ficam de que há algo inacabado
Terminou, mas não acabou…
Não era a hora, foi interrompida por força das circunstâncias que desconhecemos
Aquele relacionamento feliz, mas que andava pisando em ovos, lutando contra medos, culpas, fragilidades e inseguranças
Terminou, mas não acabou…
Não acaba quando o amor permanece, a saudade ainda machuca, a ausência fere e dói
Quando não é dado um fim pacífico dentro de si
Aquele ser que se levanta todos os dias, sem brilho, sem alegria, sem norte
Que não encontra razões para estar vivo, cujos olhos opacos não dizem nada além de “cansado de viver”
Ainda não terminou, mas está se acabando…
Exceto o que deu fim a si mesmo lançando-se pelas dores e amarguras ao asfalto
E que continua apenas na mente dos que ficaram e nada puderam fazer,
Os demais não se acabaram, ainda que pareçam finalizados
Não estão mortos, a vida existe lá dentro
Camuflada em meio à penumbra da solidão
E precisa de luz para ser de novo despertada,
Esse suicídio lento pode e deve ser interrompido
Deixar correr as águas desse rio para a imensidão do mar
Retirar as amarras, as cordas do pescoço, desfazer os nós
Criar laços de amor e vida…
#setembroamarelo
Alda M S Santos