A FÉ QUE ME MOVE

Tenho fé e por isso caminho

Não importa o ritmo, a velocidade

Se entre flor ou espinho

Entre alegria, lágrima ou saudade

A fé que me move vem do alto, não tem hora

Move também montanhas

Descarta as tristezas, joga fora

E carrega consigo o amor, sem artimanhas

A fé que me move brota de dentro

Tem tronco, galhos, flores, frutos, tem raiz

Não é tão fácil arrancá-la de mim

Podem até tentar, mas ela é matriz

A fé que me move é soberana

O gatilho do outro pode acioná-la em mim

É forte, instigante, envolvente

É o que de melhor tenho, enfim

A fé que me move é a razão

Mas também a consequência

Do meu existir por aqui…

Alda M S Santos