SALVE-SE QUEM PUDER

Tempos difíceis vivemos

A vida como a conhecemos pede socorro

Preta, branca, amarela ou vermelha

Salve-se quem puder

Somos capazes de ouvir?

A humanidade corre risco

Nem isso é capaz de nos unir?

Salve-se quem puder

Não há como se esconder ou fugir

Dinheiro, bens, títulos, posses diversas nada valem

O único modo de nos salvarmos

O único transporte possível para nos tirar daqui

É o que carregamos dentro de nós

A medida exata entre razão, amor, compaixão

A capacidade de nos vermos como espécie

Como um todo que faz parte de algo maior

Salve-se quem puder não é lema individual

Só nos salvaremos se agirmos coletivamente

Não há como se salvar deixando o outro para trás

Na perspectiva da continuidade da vida

Ou nos salvamos todos, ou nos perdemos como raça, como espécie…

Salvemo-nos todos se pudermos!

Alda M S Santos