Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

visão

Perspectiva

PERSPECTIVA

Ver o lado bom é questão de escolha
Pode ser aprendido, um treino, uma opção
Admirar a sombra das árvores os frutos, a floração
Ao invés da sujeira que as folhas causam no chão
A maravilha que a chuva traz à vida que irriga, hidrata
Ao invés dos dias cinzentos e molhados, desconforto que maltrata
O Sol que aquece, colore, ilumina, instiga
Ao invés do calor excessivo que castiga
A dificuldade de uma trilha cansativa
Dá lugar à beleza do entorno que cativa
Optar pelo banho na água cristalina, forte e bela da cachoeira
Ao invés de reclamar do tempo, da canseira
Podemos até mergulhar em nossos próprios desertos
Mas ali ir em busca de um oásis, um refrigério
O melhor quase sempre está bem perto
É só uma questão de perspectiva
De uma alma que se pretende seguir evolutiva

Alda M S Santos

Feche os olhos

FECHE OS OLHOS!

Fecho os olhos para não ver

Mas fecho os olhos para melhor ver também

Fecho os olhos para sentir a brisa fresca

Ou para sentir o calor do seu olhar

Fecho os olhos para voar na imaginação

Ou num beijo cheio de paixão

Fecho os olhos para ouvir uma bela canção

Ou para valsar contigo no salão

Fecho os olhos para não ver o que magoa

Ou para fingir existir o inexistente

Fecho os olhos para sentir o amor

Ou para fugir do descaso e me proteger da dor

Fecho os olhos para mergulhar na saudade

Ou para brincar de felicidade

Fecho os olhos para pedir ou receber bênçãos

Fecho os olhos para ver o essencial

Fecho os olhos para enxergar com a alma

Fechando os olhos vejo tudo

Fechando os olhos, potencializo os sentidos

Torno tudo real

E vejo como se estivessem abertos

Feche os olhos!

Alda M S Santos

Da minha janela

DA MINHA JANELA

Da minha janela para fora vejo um quadro bonito

Harmonia das cores, dos tons, dos sons

Verdes e marrons, amarelos e vermelhos, azuis e roxos que se completam

Tudo se mistura, tudo tem seu lugar

Sem perder a beleza da unidade ou o encanto do todo

Latidos, piados, cantos, balidos

Sem disputas, há espaço para todos, sintonia total

Da minha janela para dentro vejo um ateliê confuso

Cores misturadas, pincéis jogados, tons e sons dissonantes, viola desafinada

Alegrias e tristezas, dúvidas e certezas se debatem

Vermelhos e azuis, brancos e pretos, rosas e alaranjados disputando espaço

Sorrisos, lágrimas, diálogos e silêncios “interagindo”

Ora o branco pacífico, ora o vermelho flamejante

Reflexões e decepções, alegrias e amores tomam o espaço: o meu espaço interior

Tentando encaixar o que recebo de fora, as “contribuições” externas

Mesmo que pareçam peças avulsas, cores difíceis, desarmônicas

Ali realizo a minha obra diária

Na tela branca de minha alma pinto meu quadro multicor

A arte linda, difícil e nem sempre compreendida

A arte da existência …

Alda M S Santos

Olhar opaco

OLHAR OPACO

Encontraram-se muito tempo depois

Num espaço além-terra, fora da galáxia

Abraçaram-se longamente, sem nada dizer

Palavras desnecessárias, supérfluas, troca de calor

Encontro de corpos onde já havia afinidade de almas, intimidade de ideias

Sabiam de que barro foram feitos todos os humanos

Nem a troca de olhares era possível, córneas opacas, cegas

“Não posso mais te ver, mas posso te sentir”

“Sinto seu cheiro, ouço sua voz, o carinho que sempre me dedicou”

“Não preciso dos olhos para saber que é você, amor inigualável que recebi”

“Não chore! O amor tem muitos meios de se fazer marcante, presente”

O abraço longo, saudoso, de outra vida comprovava tudo

Em sonhos…

Alda M S Santos

Desfocada

DESFOCADA

Como você me vê?

De perto ou de longe, como enxergar?

Se corrijo a visão de longe, embaço a de perto

Se corrijo a de perto, desfoco a de longe

A vida já é bastante difícil de entender

Para se ter visão monofocal

Se foco muito em mim, corro o risco de não ver os outros

Se foco muito nos outros embaço a visão de mim mesma

Quero uma visão multifocal!

Quero equilíbrio!

Preciso enxergar o mundo!

Preciso me enxergar!

Como você me vê?

Alda M S Santos

Quando mais se vê

QUANDO MAIS SE VÊ
Paradoxalmente, quando a gente vê melhor,
É quando os olhos estão fechados
Pois, ao fechá-los, tapam-se os olhos racionais,
E os olhos da alma se abrem
Vendo com outros sentidos: os da emoção.
Quer ver bem? Feche seus olhos!
Alda M S Santos

Na mente…

NA MENTE…

Será quantos possuem a habilidade de criar mentalmente o que desejam?

Capazes de antever o que se quer, se busca?

Projetar, mentalmente, ideias, pensamentos, objetivos, sonhos?

Esse “dom” antecipa de certa forma o futuro

Satisfatório e estimulante até certo ponto

Pode se tornar frustrante se gerar estagnação.

Por mais “real” que uma imaginação seja, rica e fértil

Estará sempre aquém do real. 

Ideal é a união de ambas: imaginação e realidade.

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: