Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

sol

Lua e Sol

LUA E SOL

Vi tanto o Sol esses dias

Ele tanto iluminou e aqueceu

Mas a Lua não apareceu…

Não deu o ar de sua graça

Não foi vista no céu, no horizonte

Nem pelos namorados na praça, aos montes

Mesmo assim ela agiu todo o tempo

Nós a sentimos na maré, na velocidade dos ventos

Interferindo ativamente nas pessoas, nos sentimentos

Tanto tomei banho de Sol

Mas senti falta do banho de Lua

Estava numa fase de repouso, recolhimento

Nome tão sugestivo: Lua Nova

Será que sai da fase escura rejuvenescida

Mudada, mais forte, reabastecida?

Somos assim, pessoas de várias fases

Talvez menos certos de cada uma na consciência

Mas sabedores de sua importância e influência

Quero da Lua Nova a reflexão e inovação

E da Lua Cheia a magia, euforia, animação

Mas da Lua em qualquer fase quero lenda, amor e paixão

Alda M S Santos

Sol

SOL

Ele nos dá a mais preciosa das lições todos os dias

Como ele, a vida se faz de ciclos, vai e vem

De repouso e atividade, claro e escuro

Frio e calor, companhia e solidão

Mas enquanto durar cada fase, precisamos aproveitar

Nada é tão contínuo ou ininterrupto

As interrupções precisam também ser aproveitadas

As mais belas e valiosas coisas da vida são gratuitas

E as despedidas não precisam ser tristes

Nem sempre significam o fim, um adeus

Podem ser apenas um até breve

Vale a vida que viveu, o amor que se fez

E se hoje não foi tão bom, amanhã é um novo dia

E novamente ele estará por aqui

Sempre disposto a gerar vida e calor

Nos permitir mais um dia para amar e acolher

Pois só assim vale a pena viver…

Alda M S Santos

Nublado

NUBLADO

O Sol se cobriu, virou pro canto, escondeu seu rosto

Não quer amanhecer, tampouco aparecer

Hoje não estará brilhando em seu posto

Precisa de descanso, se recolher

Nuvens escuras são seu denso cobertor

Recolhido em si tudo está nublado

Ele necessita sossego, por favor

Não adianta insistir, não está animado

Talvez sua reflexão gere lágrimas, doa

E venha a chuva para tudo lavar

Talvez um vento assopre pra longe, devagar

E com um lindo sorriso amarelo abra o véu

E como fogo caloroso volte a brilhar no céu…

Alda M S Santos

Meu Sol

MEU SOL

É cor, multicor, luz e calor

Meu sol que me aquece e ilumina meu viver

A tudo que bem cuidado faz brotar e crescer

Quando dorme aqui acorda acolá

Sol bom é aquele que nos aquece quando está aqui

E deixa seu calor em nós quando está lá

E a gente fica à espera

De um novo arco-íris, de um novo amanhecer

Para vê-lo despontar na serra,

Além da linha do horizonte, levantar

Nobre, majestoso, senhor da vida

E, aguarda, esperançosos

Que além de nascer no mar, na mata, na serra

Que ele nasça também dentro da gente

Que purifique, que limpe, que nutra

Tal qual terra fértil que abriga a semente

Que aqueça nosso interior de amor

E numa bela fotossíntese interna

Possamos remover o que faz mal

Renovar o que é bonito e tem em nós seu lugar…

Venha, meu Sol, pode me abraçar…

Alda M S Santos

Eclipses

ECLIPSES

Os eclipses encantam tanto do lado de lá

Que paramos sempre para observar

Lua entre Terra e Sol

Luz e sombra a nos fascinar

A olho nu ficamos do lado de cá

Ou nos telescópios a admirar…

Tantos eclipses acontecem em nós

Do lado de dentro, do lado de cá

Quando algo tapa nosso sol

Tudo escurece, vira breu

Mergulhados ali ficamos, tontos

Aguardando a vida girar

E devolver tudo para seu devido lugar

Para a gente de novo se aprumar…

Pós eclipse a vista arde

Pupilas dilatadas pela escuridão

Demoramos a recuperar a visão

Mas sabemos que nunca é tarde

Coração acelerado pela ansiedade

Aguarda a luz nos trazer de volta à realidade…

Alda M S Santos

Girassol

GIRASSOL

Quando amanheci procurei pelo meu sol

Aquele capaz de me aquecer, fortalecer

Com esforço eu me virava em busca dele

Como girassol…

Quando amanheci busquei meu sol

Aquele que me revigora, me energiza

Desperta-me para a vida, para o bem…

Quando amanheci, afastei os medos, enxuguei as lágrimas

Sorri, espreguicei e me abri para ele

Gira, gira, girassol, assim fiquei

E o encontrei a brilhar naqueles que me aquecem

Me amam, me acolhem, me fazem bem

Quando amanheci me abracei bem apertado ao meu sol

E o segui todo o tempo nesse encanto diário

Tal qual belo e sábio girassol

Busquei meu alimento, minha luz

Aquela que quase sempre vem do alto

E responde pelo nome de Jesus

Amanhecer assim é despertar para a vida…

Alda M S Santos

Meu céu sou eu quem faço

MEU CÉU SOU EU QUEM FAÇO

Meu céu sou eu quem faço

Escolho o que quero ver

Foco no azul intenso, na liberdade dos pássaros a voar

Admiro a pipa que parece livre

Dança para lá e para cá

Sob o comando de uma linha, controlada

Sobe e desce ao sabor do vento

Meu céu sou eu quem faço

Se me desagrada finjo não ver

Coloco meus óculos de sol, escondo as lágrimas

Quando as nuvens escuras imperam

Abro um sorriso para atrair cores

Meu céu sou eu quem faço

Crio histórias onde o amor vence sempre, capto a poesia

Uso o filtro que me cabe

Com a sutileza da alma

Acreditando sempre que a magia só acontece

Quando acreditamos em milagres…

Alda M S Santos

Fotossíntese

FOTOSSÍNTESE

Enquanto houver sol

Enquanto ele despontar reinando no horizonte

Seremos alimentados por seu brilho e calor

Por sua capacidade de gerar vida

Quando ele se for

Estiver encoberto por nuvens escuras

Ou ceder lugar para a noite

Auxiliados pelo que ele deixou

Buscaremos luz e calor em nosso interior

Faremos nossa própria fotossíntese

E manteremos a vida saudável em nós…

Alda M S Santos

O último raio de sol

O ÚLTIMO RAIO DE SOL

Os últimos raios de sol estão brilhando no horizonte

Irradiam e refletem todo o trabalho de um dia nas águas do oceano

Descansam ali toda a energia despendida em forma de luz e calor

Deitam nele suas esperanças de um novo amanhecer

Um olhar ao longe também repousa

Ela acalma o seu coração diante desse espetáculo gratuito a lhe dizer:

A vida é cíclica, tudo vai, tudo volta

Tenha calma na alma

Que a paz reinará!

Alda M S Santos

Sol e chuva

SOL E CHUVA

Entardecer, o dia vai ceder o lugar para a noite

Ora sol, ora chuva, ora sol e chuva

Nessa disputa entre secos e molhados, quem vencerá?

Sei que o espetáculo sou eu quem curto

Cada flor, cada folha, cada matinho mais verde e brilhante

A cadelinha se espreguiça em busca de um carinho

Canarinhos já não se recolhem

Comem, voam, namoram na chuva e sol

Sequer se preocupam, acostumados a qualquer mudança

E às intempéries da natureza…

São resilientes!

Não carregam pesos desnecessários

São apenas o que são, criaturas do Criador

E se alegram por isso

Voam livres… vivem…

Alda M S Santos

Nosso Sol

NOSSO SOL

Giramos em órbita gravitacional em torno de nosso Sol

Em contínuos movimentos de translação gerando nossas estações

Ora quente, ora frio, escuro ou claro

Tranquilos ou tempestuosos

Somos mantidos ali todo o tempo, seguros

Sabedores do que poderemos enfrentar

Em forma elíptica ou circular, seguimos

Como um astro ou planeta que sabe sua trajetória constante

Ou que “se perde” no espaço sideral se escapar de sua órbita

A questão é sempre saber quem ou o que é nosso Sol

Aquele do qual não podemos nos afastar

Aquele que sustenta nossas atividades e sonhos

Que mantém nossa órbita imaginária em curso

Que nos faz brilhar

Que ativa sempre nossa vida,

E não nos deixa escapar…

Alda M S Santos

Fases e faces

FASES E FACES
Fases, faces, brilho e sombra
Prerrogativas da Lua, das pessoas
Minguante, minguando, definhando em C invertido
Um ser recolhido perdendo luz, abraçando sombras, até ser Nova
Sombra total, escuridão, brilho oculto na outra face
Aquela escondida de todos, preservada, um ser em tempo de esperas
Sol, Lua, céu, pessoas…
Fases: construção do novo, maré, podas, plantação
Crescente, crescendo expectativas, alimentando esperancas, recebendo luz até ser Cheia, redondamente linda
Cheia de si, de brilho e orgulho, transparência
Sol, Lua, céu, pessoas…
Fases… dos seres vivos, dos amantes
Toda sombra esconde um brilho
Todo brilho esconde uma sombra
Fases, faces, brilho e sombra
Prerrogativa da Lua, das pessoas
Minguando, se escondendo, crescendo, aparecendo
Enquanto houver céu e sol
Dentro e fora de nós…

Alda M S Santos

Um dia nosso sol irá se por

UM DIA NOSSO SOL IRÁ SE POR…

Um dia nosso sol irá se por

Seu brilho descerá calmamente atrás da serra

Com cores lindas se apagando no firmamento

Um dia nosso sol irá se por

Nossos dias serão um entardecer infinito

Com ou sem arrependimentos por quem aqueceu ou deixou de aquecer

E isso não mais irá importar

Um dia nosso sol irá se por

Nossos sorrisos não iluminarão mais nossos rostos

Nossa alegria não mais irrigará nossos corações

Um dia nosso sol irá se por

Levará consigo o chiado de quando quase se afogou em nossas lágrimas

Sem expectativas de um amanhecer por aqui

Deixando um rastro de luz, vida e brilho por onde passou

Um dia nosso sol irá se por

Mas não será hoje

E quando isso acontecer, não irá doer

Não importarão as partes escuras enfrentadas

As lembranças nas sementes que fez germinar

E a luminosidade que deixou noutros corações

Serão o suficiente para nascer noutro lugar

Um dia nosso sol irá se por

Mas não será hoje…

Um dia, quando eu me apagar por aqui

Espero nascer um pouco em você, em vocês

Que me amaram e que eu um dia amei…

Alda M S Santos

A lua de sangue

A LUA DE SANGUE

Em alto mar, numa escuna que travou do nada

O condutor disse que ficaríamos ali para ver a lua vermelha

Mar estava agitado, turbulento

Parecia querer atrair a atenção de volta para si

E teve, quando ficamos sem saber quanto tempo demoraríamos naquele entrevero

Comentários tensos ou bem humorados em vários idiomas

E o céu, lindo nas cores do pôr do sol, não nos dava visão da lua

Escondida atrás das matas altas da ilha

Desistimos de procurar por ela que não queria ser vista

E observamos o que se mostrava para nós no momento

Mar, céu, sol poente, e o balançar das ondas no casco da escuna

Que logo voltou a funcionar e nos trouxe para nossa realidade

Vermelha, azul, verde, amarela, multicor ou cinzenta…

Aquela que preferirmos focar…

Alda M S Santos

Explosão de luz e calor

EXPLOSÃO DE LUZ E CALOR

Explosão gradativa de luz e calor

Diária, constante, permanente

A aquecer e renovar esperanças

Independentemente de como estejamos

Do que aconteceu ao mundo

Ou ao nosso mundo particular

Ele sempre nasce e se põe, certo, incansável, perseverante

Aparentemente indiferente aos revezes do mundo

Às nossas nuvens escuras ou às tempestades que provocamos

Às intempéries, naturais ou não, que enfrentamos

Às nossas dores ou alegrias, amores e desamores

Sempre a brilhar no firmamento

Prefiro acreditar que é um apoio à vida

Como alguém a dizer “nunca me esqueço de você”

“Estando alegre ou triste, estarei sempre aqui”

“Meu amor por você é incondicional”

“Estou longe, mas posso sentir você, como você me sente”

“Nós, juntos, podemos priorizar a vida”

Sábio, Rei, sabe que é preciso se recolher, às vezes,

Para amanhecer mais forte em todo seu esplendor…

Salve o Sol, salve a vida!

Alda M S Santos

O sol brilha para todos

O SOL BRILHA PARA TODOS

No céu, no mar, na terra

Há espaço para todos

Aviões bimotores, helicópteros, teco-tecos, supersônicos

A enfrentar os ventos no céu

Barquinhos a vela, lanchas, escunas, navios e grandes veleiros

A navegar em águas calmas ou bravias

Bicicletas, motocicletas, carros, caminhões e ônibus

A trafegar no solo firme debaixo de nossos pés

O espaço, democrático, abriga a todos

Nossos corações também deveriam ser assim

Forte como o céu, a água ou a terra

Não excluir nada ou ninguém a priori

Elástico, deveria caber a todos que quisessem entrar e fazer dele sua morada

Como o sol que sempre brilha para todos

No céu, no mar, na terra…

Alda M S Santos

 

Onde há mar

ONDE HÁ MAR

Onde há mar, amar é fácil

Os sonhos são leves e a realidade vem em ondas calmas

Ou se vier forte e derrubar nossos castelos

Achamos divertido e construímos de novo

Onde há mar, amar é fácil

Se a maré ficar alta, mesmo havendo ressacas

Lembramos apenas das calmarias

Onde há mar, amar é fácil

Mesmo “temperados” com tanto sal

As doçuras de cada um se sobressaem

Onde há mar, amar é fácil

À beira d’água qualquer caminho é leve e suave

E, se o cansaço chegar, um mergulho relaxante é o suficiente para se renovar

Onde há mar, amar é fácil

Debaixo de um céu tão intenso e tão azul

Nossas nuvens cinzentas ficam envergonhadas e se recolhem

Fazer amor é deliciosa e sutil consequência

Onde há mar, amar é fácil

Ainda que as águas estejam geladas

Mergulhamos fundo, saltamos ondas, lavamos a alma

Onde há mar, amar é fácil

Faça sol ou faça chuva,

O calor vem de dentro de nós

Onde há mar, amar é fácil

Mesmo nas noites escuras, sentimos sua força, podemos ouvir seu chamado

Onde há mar, amar é fácil

Desde que tenhamos decidido à priori que seria assim

Que o amor seria prioridade…

Alda M S Santos

Ele sempre volta

ELE SEMPRE VOLTA

Estava escondido, encoberto, mas sempre lá

Sabe que é necessário, às vezes, ceder lugar, recolher-se

Deixar a natureza agir, molhar-se, hibernar

Confia em sua capacidade de resistir, de aquecer, mesmo entre nuvens

Ou debaixo de chuva constante

Sabe que tem seu lugar conquistado

Volta quente, lindo, brilhante como nunca

Alguns estranham, ficam ofuscados sob tanto brilho e calor

Outros, aceitam e saúdam o Sol em suas vidas

“Que bom que você voltou, senti falta do seu brilho e calor”

Quem soube aproveitar a chuva,

Se irrigar, abastecer seus mananciais

Lidar bem com a ausência do Sol

Saberá recebê-lo de braços abertos

Aquecer-se novamente, sabendo que somos assim mesmo

Nossa natureza é feita de presenças e ausências

De Sol e chuva, dia e noite, luz e sombras, sorrisos e lágrimas

Vive melhor quem aprende a lidar com elas

A estar preparado para esse constante vai e vem

Fácil? Nunca!

Mas a vida se impõe e vale cada aprendizado!

Alda M S Santos

Tempestades

TEMPESTADES

Ainda que nosso céu pareça claro

Azul, brisa suave, águas limpas

Tempestades podem se aproximar, molhar tudo

Lançar raios e trovões sobre nossas paredes internas

Vendavais de areia cegar nosso olhar

Balançar nossa estrutura, nos lançar contra as pedras…

Fugir delas nem sempre é possível

Encarar, absorver o que der, abstrair-se do que for possível

Esperá-la passar, sempre passa!

E receber de braços abertos novo céu azul…

Alda M S Santos

Vida Nublada

VIDA NUBLADA

Quem gosta de chuva e dias cinzentos

Tende à depressão- ouvi certa vez.

O tempo lá fora costuma influenciar dentro da gente.

Sol “exige” energia, animação, alegria, festa

Chuva “exige” introspecção, nostalgia, quietude…

Não necessariamente!

O sol ou a chuva apenas conectam o que já há em nós

Potencializam, trazem à tona, tornam visíveis.

Se houver animação, não há chuva que aquiete

Se houver introspecção, não há sol que dê energia

A verdade é que o sol ou a chuva estão dentro da gente

Uns são mais sol, outros são mais chuva

E quem disse que não precisamos de ambos?

Amo dias de sol, mas nada se compara a um

Nostálgico e lindo dia de chuva!

Alda M S Santos

Quero a certeza do Sol

QUERO A CERTEZA DO SOL

Quero a certeza do Sol

Aquela que o faz se “apagar”

Todos os dias, sempre belo…

Ou humilde ficar atrás das nuvens

E aguardar as tempestades passarem

Sabendo que na manhã seguinte

Ou no dia, semana, mês ou ano seguinte

Tudo será como antes:

Brilho, calor, beleza, vida.

Quero a certeza do Sol!

Alda M S Santos

De que adianta?

DE QUE ADIANTA?
De que adianta uma linda voz
Se quando é preciso, ela se cala?
De que adianta um belo sorriso, se apenas se abre para alguns,
E tantos necessitados são excluídos?
De que adianta tamanha inteligência,
Se não sabe agir ao sabor da emoção?
De que adianta tanta beleza, se não é possível mergulhar mais fundo,
Sob pena de “bater a cabeça” em rasa profundidade?
De que adianta tanta “cultura”,
Se as palavras mais doces não fazem parte de seu vocabulário?
De que adianta braços fortes e ombros largos,
Se não servem de abrigo ou de colo a quem precisa?
De que adianta o amor preso dentro de si,
Se ele é uma flor que precisa do sol
Que existe no outro,
Para crescer, se abrir e encantar?
De que adianta?
Alda M S Santos

Fazendo o caminho

FAZENDO O CAMINHO

Hoje pode estar lindo e calmo

Sol, cores e alegrias

Amanhã, nuvens e tempestades

Não esperemos um caminho suave, florido e belo todo o tempo.

Estando preparados para intempéries, caminharemos com mais alegria e disposição.

Não esperemos um caminho pronto, pois

“É caminhando que se faz o caminho”…

Alda M S Santos

O Sol está em nós

O SOL ESTÁ EM NÓS

 Ainda que tudo pareça nublado, frio, triste, o Sol está lá! Desistir, se apagar não é uma opção! 

Desde que o mundo é mundo vivemos em crises: políticas, religiosas, financeiras, territoriais, culturais, existenciais, emocionais, de caráter… 

Esperar o fim delas para fazer algo produtivo por nós mesmos e pelos outros não deveria ser uma opção! 

Muitos sabem extrair algo de bom das adversidades, até as aproveitam como combustível para mover o motor da vida, enfrentam a revolta e tristeza geradas de tais crises com mais amor, compreensão e atitudes positivas. Acendem, mesmo com dificuldade, o sol dentro de si. 

Em tempos de crise é que nós, humanos, devemos nos mostrar melhores… 

Não é fácil! Não, mesmo! A vontade de chutar o balde é grande. De se esconder dentro de si mesmo, idem. 

Porém, a parte que nos cabe em tais momentos é ilimitada! 

Grandes coisas foram criadas em tempos de crises, qualquer que tenha sido. A possibilidade de evolução espiritual e emocional é gigante. Para nós e para os que de nós se aproximarem. 

Que passe logo! E que Deus nos ajude a nos ajudarmos. 

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: