Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

sabedoria

Sabedoria da flor

SABEDORIA DA FLOR

Para tudo que se deseja conquistar
Há meios e meios de se alcançar
Há quem use espinhos para se defender 
Outros a delicadeza para convencer

Nem sempre é certo que se chegará ao intento
Mas quem usa a sabedoria da flor a seu favor
Que quando mais apertada mais perfumada
Tem menos risco de sofrer nessa empreitada

Se há um caminho rápido, mais curto
Mas que põe a todos em surto, em exaustão
Não fará bem, será frágil competição

Se a estrada parece longa, demorada
Tente observar a natureza, a passarada
Algo de bom fará sua alma se sentir amada

Alda M S Santos

A sabedoria

A SABEDORIA

Viver a sabedoria do deserto
Proteger-se do calor intenso
Cuidar-se nas tempestades de areia
Logo a noite chega e com ela o frio intenso
Poupar energias para desfrutar do oásis

Viver a sabedoria da Lua
Ainda que sozinha, brilha, encanta, inspira
Sem orgulho, reflete a luz que recebe
Sem perder a própria essência

Viver a sabedoria da infância
Se há saúde, sol e amigos, chorar para quê?
A vida aguarda no quintal ou na rua
Cada dia traz consigo a própria magia

Viver a sabedoria da areia
Deixar-se moldar pelas ondas
Na certeza de que nada é eterno
Nem a tormenta, nem a calmaria…

Alda M S Santos

Sabedoria da areia

SABEDORIA DA AREIA

Viver a sabedoria da areia

Absorver o que é bom, que cabe em si

Deixar de fora, na superfície, o que não dilui, não flui

Aceitar sobre si diferentes tipos de vida

Ser apoio, refrescância, acolhimento, calor

Viver a sabedoria da areia

Deixar-se moldar pelas ondas

Parecer desabar, desfazer-se e persistir

Na certeza de que nada é eterno

Nem a tormenta, nem a calmaria…

Alda M S Santos

Pedra, papel e tesoura

PEDRA, PAPEL E TESOURA

Pedra, papel e tesoura

Nessa divertida brincadeira de criança

Que aprendemos no grande quintal da infância

E, gostando ou não, levamos para os “tabuleiros” da vida

Buscando sempre o aliado mais forte

Para poder vencer e cantar vitória

Melhor é não ficar de bobeira, pois a vida é passageira

A sorte conta um pouco, a sabedoria vale mais

No vai e vem, no se esconde e se mostra

Vence aquele que não acredita-se invencível

Que não subestima o adversário

Que sabe que todos têm pontos fortes e frágeis

E que a vitória é transitória e temporária como brisa

Depende do adversário a enfrentar

E, muitas vezes, não vale o preço a pagar

Se custa nossa paz de espírito ou se destrói a de alguém

Pedra, tão dura, tão forte

Destrói a tesoura, que corta o papel

Mas perde para o papel que, maleável, a embrulha…

Todos podemos vencer

Todos podemos perder

Nada nem ninguém é tão forte

Que nunca possa perder

Nada nem ninguém é tão frágil

Que nunca possa vencer

Pedra, papel ou tesoura?

Tudo vai depender de você!

Alda M S Santos

De corpo e alma

DE CORPO E ALMA

A cada corpo cabe sua beleza, atraente e transitória

Aquela “trabalhada” nas atitudes de cuidado

De alimentação saudável, de sono tranquilo, belezas “malhadas” nas academias

A cada alma a sua beleza encantadora e eterna

Aquela “malhada” nas atitudes de amor para consigo

E, principalmente, para com o outro

No trabalho produtivo e prazeroso

No reconhecimento e gratidão de todo amor recebido

Na alegria bumerangue percebida em cada afeto doado

E que reflete melhor no corpo, no sorriso sincero, na pele viçosa

Na autoconfiança que encanta outras almas

Valem mais que aquelas adquiridas no “puxa-ferro” das academias…

Só seremos completamente belos, quando nos entendermos unos: corpo, mente e alma

Uno que se une a outro uno tornando -se duo, sem perder a unidade

E essa consciência só vem com atitudes de amor compartilhadas com todos que nos rodeiam

Todos que passam por nossas vidas e oferecemos o melhor de nós

Sem qualquer cobrança…

Alda M S Santos

Ele sempre volta

ELE SEMPRE VOLTA

Estava escondido, encoberto, mas sempre lá

Sabe que é necessário, às vezes, ceder lugar, recolher-se

Deixar a natureza agir, molhar-se, hibernar

Confia em sua capacidade de resistir, de aquecer, mesmo entre nuvens

Ou debaixo de chuva constante

Sabe que tem seu lugar conquistado

Volta quente, lindo, brilhante como nunca

Alguns estranham, ficam ofuscados sob tanto brilho e calor

Outros, aceitam e saúdam o Sol em suas vidas

“Que bom que você voltou, senti falta do seu brilho e calor”

Quem soube aproveitar a chuva,

Se irrigar, abastecer seus mananciais

Lidar bem com a ausência do Sol

Saberá recebê-lo de braços abertos

Aquecer-se novamente, sabendo que somos assim mesmo

Nossa natureza é feita de presenças e ausências

De Sol e chuva, dia e noite, luz e sombras, sorrisos e lágrimas

Vive melhor quem aprende a lidar com elas

A estar preparado para esse constante vai e vem

Fácil? Nunca!

Mas a vida se impõe e vale cada aprendizado!

Alda M S Santos

Templos

TEMPLOS

Escolas são templos, hospitais são templos,

Igrejas são templos!

Hospitais curam os doentes do corpo,

Escolas curam os “doentes” do conhecimento,

Igrejas, independente de qual seja, curam os doentes da alma

Uma igreja recusar acolher um pecador

Seria o mesmo que uma escola fechar as portas ao analfabeto

Ou um hospital não atender uma vítima baleada

Detentores do conhecimento não precisam de escolas,

Saudáveis não necessitam de hospitais

Igrejas não são casas de santos!

Igrejas, todas elas, devem abrigar pecadores e sofredores da alma.

Templos servem para nos fazer melhores do que somos,

Desenvolver o maior templo de todos: nós mesmos

O templo do amor!

Vamos acolher a quem precisa

Seja qual for o templo!

Alda M S Santos

Maturidade

MATURIDADE

Que faz a maturidade?

Ensina a silenciar, a saber a hora de se calar, mesmo a contragosto,

Ou leva à ousadia de dizer tudo que quiser ou precisar, evitando sufocar,

E assumindo as consequências do dito, sem medos?

Que faz a maturidade?

Ensina a caminhar em passos mais lentos, sabendo que devagar também se chega,

Ou faz com que se tenha mais urgência, querendo viver o que ficou para trás, percebendo que o tempo urge?

Que faz a maturidade?

Ensina a ser mais cauteloso, respeitoso, evitando decepções a si e sofrimento aos outros,

Ou faz ter mais autoconfiança, agindo sem receios?

Que faz a maturidade?

Ensina a ser forte, resiliente, não deixando-se abater por qualquer coisa,

Ou torna-se mais sensível e frágil, magoando-se facilmente e chorando por quase tudo?

Que faz a maturidade?

Ensina a cuidar melhor de si e dos próprios desejos,

Ou a valorizar mais o outro, a protegê-lo, a cuidar de quem se aproxima?

Que faz a maturidade?

Ensina a ser mais paciente e tolerante,

Ou a exigir essa paciência e tolerância do outro?

Uma coisa é certa, todos dizem que a maturidade chega sem percebermos,

Que ao atravessarmos essa ponte, não tem volta…

Mas só não chega lá quem morre antes!

Então, viver ao máximo cada fase, sendo mais compassivo consigo mesmo, é o segredo!

Alda M S Santos

Como um beija-flor

COMO UM BEIJA-FLOR

Entre muitas cores e sons

Tons, nuances, texturas …

O olhar transita entre o próximo

O distante e o longínquo

Ora apenas fixa longe sem nada ver

Ora quer trazer para dentro de si as belezas distantes,

Acalentá-las num cantinho qualquer de nossa alma,

Somos assim…incertos…

Como um beija-flor que suga sem cessar

Precisamos parar, descansar, observar calmamente a grandeza à nossa volta,

Absorver tudo de bom que pudermos conseguir…

Abastecer-nos de riquezas,  estocar para as horas de carestia,

Corpo, mente, alma, coração…

Sabedoria da natureza: tudo aproveitar, nada desperdiçar,

Como um beija-flor…

Alda M S Santos

Sorte e sabedoria

SORTE E SABEDORIA
Por onde formos,
Saber escolher é necessário,
Deixar-se escolher, importante,
Combinar ambos é sorte, 
Dirão alguns descrentes
Combinar ambos é sabedoria,
Dirão outros mais sagazes,
Escolher e ser escolhido em perfeita sintonia
É combinação rara
Quase tanto quanto aliar sorte à sabedoria.
Alda M S Santos

No banco de trás 

NO BANCO DE TRÁS

Nossa vida passa por momentos de alternância, muitas vezes sem percebermos. 

Nossa maneira de lidar com esse revezamento natural determina nossa paz diária.

Numa fase, temos o controle de nossas vidas, estamos ao volante, guiamos para onde queremos, do jeito que queremos.

Nossos filhos viajam atrás, confortáveis em suas cadeirinhas, ou já sentados no banco de trás. 

Aceitam o destino por nós escolhido. Confiam, se entregam, observam, aprendem. 

Sonham com o dia em que ocuparão o banco do carona ou, melhor ainda, do motorista. 

E chega a hora em que eles passam para a frente, nós passamos para o banco de trás. 

Aí muita sabedoria é necessária. De motoristas e passageiros. 

Passageiros precisam confiar no novo motorista, nos ensinamentos que eles receberam e relaxar. Não interferir tanto. 

O “controle” de certa forma está com eles. 

Motoristas necessitam saber que os passageiros, outrora motoristas, ainda que estejam menos ágeis ou espertos, não desaprenderam o que sabiam. Ainda podem ensinar algo.

São necessários aqui muita tolerância, respeito, gratidão.

Essa relação acontece dentro dos veículos e fora deles. 

Pais e filhos precisam reconhecer que à medida que crescem e envelhecem a situação pode se inverter ou, no mínimo, mudar. 

Aceitar que em qualquer idade todos podem aprender, podem ensinar. 

Num dado ponto notamos que não há supremacia de um sobre o outro, apenas admiração e amor. 

E um pouco de bom humor também não faz mal a ninguém. 

Sabemos que chegará o instante em que nem estaremos mais nesse carro. 

Outras crianças estarão no banco de trás e o ciclo recomeçará. 

Boa viagem! 

Alda M S Santos 

A luz da escuridão

A LUZ DA ESCURIDÃO

A luminosidade é linda! Nela, tudo podemos enxergar: cores, formas, brilhos. Porém, os olhos ficam dispersos em meio a tantas informações visuais. 

Na escuridão tudo parece breu. A ideia é de que nada se pode ver. Mas a partir do momento em que se acostuma a vista, percebemos o importante, captamos o essencial, enxergamos algo nunca visto na claridade. Enxergamos o que pode ter passado despercebido em meio à luz intensa. 

Penso que Deus permite que enfrentemos a escuridão para enxergarmos algo de bem valioso. Em Sua sabedoria nada é por acaso. 

Devemos continuar curtindo a luz. Mas quando tudo parecer escuro, que possamos firmar a vista e enxergar o que importa. Deus quer chamar nossa atenção para o essencial. 

Que sejamos capazes de enxergar a luz que há em toda escuridão! 

Alda M S Santos 

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: