Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

prisão

Liberdade vigiada

LIBERDADE VIGIADA

Um lindo aquário, água, luz, alimento, cuidado
Quase tudo se assemelha ao ambiente natural
Outros semelhantes a nadar por ali em círculos
Nadam, criam, procriam…
O tempo todo observados, monitorados
Liberdade controlada, vigiada
Se for muito longe bate contra o vidro
Se mudar a rota dá de cara na porta
Mas tem comida, proteção, não tem predador
Não?
Mas tem grandes sonhos, seu doutor!
Um lindo, vasto e perigoso oceano lá fora
E ele ali naquele lar, morando com o inimigo
Será que pensa nisso quando a gente vai embora?
Liberdade vigiada…

Alda M S Santos

Humanos aranhas

HUMANOS ARANHAS

Somos humanos aranhas a tecer

Alguns tecendo teias fortes como o aço

Outros teias frágeis, mas impregnantes

Há os que tecem, sem objetivos de captura, apenas proteção

E ainda aqueles que sequer são capazes de construir teias

Esses, especialistas em se tornar presas de outras aranhas

Grudados em outras teias…

Há também as “aranhas” que buscam presas em outras teias

Já capturados por outras aranhas

Estamos, de todo modo, presos em alguma teia

De seda ou de aço, não importa

Cuidando da que construímos e de quem “capturamos”

Ou nos adaptando à teia em que fomos capturados

A liberdade consiste em escolher a “prisão”

A teia na qual estaremos nos fazendo de livres…

Alda M S Santos

Não combinam

NÃO COMBINAM

Há pessoas que parecem não combinar com gestos de doçura

Nelas o abraço é contido, lateral, envergonhado

Uma demonstração de afeto, se ocorrer, soa com amargura

Um beijo, mesmo na testa, fraterno, parece sempre algo impróprio

O convívio com pessoas fechadas tende a ser difícil, melindroso

Para aquelas que esbanjam carinho e afeto, sem quaisquer amarras

Mas para elas também deve ser complicado, até tenebroso

Manter sentimentos presos num claustro, atrás de invisíveis barras

Nos lábios delas um “eu te amo”, “senti sua falta”, são coisas raras

Não quer dizer que não sintam afeto, ou que vivam de mau humor

Simplesmente não aprenderam que carinho é bom às claras

E que a vida passa melhor quando podemos sentir e demonstrar o amor…

Alda M S Santos

Gaiolas para quê?

GAIOLAS PARA QUÊ?

Não precisamos prender

Joguemos fora nossas gaiolas

Se quisermos manter perto de nós

Conquistemos a confiança, cuidemos, alimentemos

Para atrair e manter perto quem amamos

Não cortemos as asas, não silenciemos o canto

Mostremos admiração, respeito, amor, cuidado

E sempre estarão ao alcance de nossas mãos, de nossos corações

Em plena sintonia…

Alda M S Santos

Atire a primeira pedra!

ATIRE A PRIMEIRA PEDRA!

Maria Madalena, prestes a ser apedrejada pelos seus erros

Uma multidão hipócrita e furiosa ansiosa para nela descarregar seus próprios pecados “escondidos”

Se Jesus tivesse dito pra ela denunciar todos que com ela pecaram para se “redimir”

Tipo uma delação premiada obtendo um desconto nas próprias falhas

Metade da multidão desistiria da acusação

Até encontrariam adjetivos positivos para a adúltera, que justificassem seus erros

A começar pelos que com ela pecaram, erraram, obtiveram vantagens

O erro dos outros sempre nos desperta para os nossos próprios

A atitude que tomamos a partir daí é que nos diferencia…

Se isso fosse posto em prática hoje, nosso congresso e STF estariam vazios,

Ou cheio de “santos” com as pedras nas mãos?

Tão antiga, tão atual essa história!

Falta apenas ouvirmos Jesus dentro de nós,

“Vá e não peques mais”!

Alda M S Santos

Prisão domiciliar

PRISÃO DOMICILIAR

Pode-se dizer que estão em prisão domiciliar

Aqueles que de dentro deles não saem?

Que dia e noite estão trancados em si mesmos

Aguardando a condenação final?

Quem sabe uma pena alternativa

Como doar tempo e amor a outro sofredor

Não os livre dessa dívida pessoal e social?

Alda M S Santos

Imagem google

Liberdade

LIBERDADE

Pseudo liberdade é quando escolhemos

As grades de nossa prisão.

Ou quando não as identificamos,

Mas estamos atrás delas,

Sempre nos cerceando.

Alda M S Santos

Reféns

REFÉNS

Num mundo onde a liberdade é tão valorizada

Muitos prisioneiros se fazem à sua revelia

Reféns de pessoas, de medos, de traumas,

Reféns da inércia de alguns sentimentos.

Que impedem qualquer negociação,

E impossibilitam a alegria.

Alda M S Santos

 

Preconceitos? Canseira!

PRECONCEITOS? CANSEIRA!
Preconceito hoje em dia virou palavra da moda, aquele que se forma sem fundamento, um pré-conceito, ou seja, formado sem exame crítico e sem conhecer algo do que se examina antes de defini-lo.
Sempre existiram, os mais diversos: de gênero, de opção sexual, de condição financeira, culturais, religiosos, contra os deficientes, de raça…
Hoje em dia, a lei “protege” as vítimas de preconceitos, mas isso, definitivamente, não garante que ele seja eliminado, sequer diminuído.
Os que estão sempre em “alta” são os raciais e os de opção sexual: racismo e homofobia.
A última manchete é: “advogado de 70 anos agride e chama cabeleireira de macaca em BH”.
“Pessoas próximas queriam dar uma surra nele, advogados queriam minimizar o problema.”
Nunca consegui conceber o que leva uma pessoa a julgar a outra inferior por qualquer razão que fosse, mas a questão racial é a mais revoltante e inconcebível.
Acredito ser de uma baixeza profunda: de caráter, de coração, de alma.
Vindo de uma pessoa de boa formação (?), vivida (!), conhecedora das leis terrenas (?) é ainda mais inaceitável.
Muitos diziam: não sabe que é contra a lei?
A questão não é essa! A lei maior não deve ser a dos homens, mas a de Deus: somos todos iguais perante Ele, irmãos entre nós.
Somos um país “liberto” da escravidão há 135 anos, mas continuamos escravizados por pensamentos mesquinhos e desumanos.
Ainda somos “senhores”, “capatazes”, ainda que em nossas veias corra o sangue mestiço de uma raça lutadora e guerreira.
A cada vez que a mídia divulga um caso desses, mais gente se amedronta, outros se revoltam dizendo que “não se pode fazer mais nada que é preconceito”.
Não consideram o quanto nossa dívida histórica com os negros é gigante, vergonhosa.
Enquanto nossa mente for pequena e limitada precisaremos de leis para coibir certas desumanidades.
O preconceito está entranhado em nós e da pior forma, velado.
Quando olharmos para os diferentes de nós e não julgá-los inferiores pelo que quer que seja, poderemos nos ver livres dessas leis.
Enquanto isso, prisão, ônus financeiro, vergonha para quem tiver essas atitudes. É o mínimo!
Alda M S Santos

Soltemos as amarras

SOLTEMOS AS AMARRAS

Quando me sinto frágil e incapaz, pra baixo, sempre me lembro daquela história de um elefante preso pelo pé por uma corda a um tronco fraco. 

Todos se admiravam dele não se libertar dali. 

Desde pequenino foi colocado lá, preso.

Tentou sair inúmeras vezes e não conseguiu. 

Forças esgotadas, resignou-se.

Perdeu a crença em si mesmo. 

Cresceu, mas a corda e o tronco permaneciam os mesmos. 

Poderia arrancá-los num único movimento, mas perdeu a fé em sua capacidade. 

Sequer tentava mais. Acreditava que a corda e o tronco eram invencíveis.

Precisamos analisar se o que nos limita é real ou forte o bastante.

Se o inimigo é mesmo tão poderoso e assustador.

Há pessoas e situações que nos colocam uma corda, um tronco. Minam nossa fé em nós mesmos.

Fazem com que desacreditemos na maior mola propulsora que existe: a autoconfiança. 

Alguém pode nos alertar, mas só nós mesmos podemos fazer o movimento para arrancá-las! 

Soltemos as amarras! 

Que o voo seja livre e leve! 

Alda M S Santos

Liberdade x Prisão

LIBERDADE X PRISÃO

Ser sempre o “certinho”, o exemplo apontado a seguir, por mais prazeroso que pareça, é prisão.

Ser sempre o “errado”, por pior que todos o encarem, aquele de quem não esperam muito, é liberdade. 

Liberdade ou prisão? 

O certinho está proibido de qualquer deslize: “nossa, o fulano?”

O errado, mesmo chacota, pode acertar vez ou outra: “beltrano fez isso, parabéns”?

Entre erros e acertos, bom mesmo é ser “normal”.

Nem tão livre, nem tão preso à opinião dos outros.

Se se erra ou se acerta, quase ninguém nota

Sem grandes aplausos, sem grandes decepções. 

Apenas liberdade de ação e contas a prestar perante a própria consciência.

Isso já dá trabalho bastante. 

Liberdade é caminho que se trilha sozinho

Liberdade é conquista diária! 

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: