Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

Música

Nossos acordes silenciosos

NOSSOS ACORDES SILENCIOSOS
Levar a vida numa valsa, num forró, bolero ou rock, entregue
Absorvendo os acordes que ela toca, clara ou confusa
Expressando-se com leveza, sem nada dizer
Tudo que vai dentro de si
Nos embalos lentos, ritmados
Apressados ou velozes, corpo nos giros da canção
Dançando, girando, movendo a roda, de alma nua
A dança fala aos que sentem essa vibração
Braços, pernas, cabeça, coração
Sensualidade, simplicidade ou molecagem
Em sintonia consigo mesma, transmitindo uma silenciosa mensagem:
A vida é uma eterna música
Dançar não é apenas movimentar o corpo
É uma necessidade da alma, do coração
Dançar sem amarras, soltar-se sem reservas feito pipa no céu
É um modo de fazer amor com a vida
De fazer as pazes com o mundo
De saber-se parte desse grande e maravilhoso quebra-cabeças
Dançar é saber ouvir os acordes silenciosos de nós mesmos…
Alda M S Santos

A música

A MÚSICA
A música tem poderes especiais na vida da gente
Podem ser calmantes, relaxantes
Às vezes são enérgicas, instigantes
Podem nos fazer sorrir, animar
Ou trazer a saudade, fazer chorar…
Num quarto fechado com fones de ouvido
No carro, bem alto, dirigindo
No trabalho, o labor produzindo
Com o outro, animando, aquecendo, o amor fluindo
Há quem prefira uma forte batida, dançante
Numa festa, em turma, ritmo alucinante
Há quem goste de um toque suave, calmante
As românticas e doces para dançar a dois
Aquelas que parecem traduzir nossos corações
Há quem goste de cantar bem alto
Deixar fluir a emoção, extravasar…
Nossa vida produz e carrega em si uma trilha sonora
Pura poesia que nos faz viver o agora
Ou relembrar dos doces tempos de outrora
Qual o ritmo que sua vida toca?
Qual sua trilha sonora?
Alda M S Santos

Nos versos da canção

NOS VERSOS DA CANÇÃO 

Ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão

Reza o dito popular quase aceito como lição

Será isso mesmo, meu irmão?

Uma moeda de ouro saqueada 

Se de quem roubou também for usurpada

Tem a dívida perdoada, consciência suavizada

E se o que se rouba é o coração 

E no lugar só deixa solidão? 

Cem anos de perdão?

Não parece muito justo, cidadão!

Ladrão que rouba ladrão também precisa compaixão

Ou roubou tá roubado não importa a situação?

Bom mesmo é por todos uma bela oração 

Porque quem rouba coração 

Deveria ter por certa a obrigação 

De também deixar-se roubar,  ter um pouco de afeição 

Trazer paz e alegria, cuidar da emoção 

E fazer do amor uma poesia 

Cantada nos lindos versos da canção 

Alda M S Santos 

Ai que saudade…rebobina!

AI QUE SAUDADE…REBOBINA!

Ontem: “Não chore mais não sofra assim”

“Porque posso te dar amor sem fim”

Hoje: “Minha eguinha pocotó”

Antes “Dona, desses traiçoeiros, sonhos sempre verdadeiros”

Agora: “São as cachorras, uhu hu hu hu”

Ontem: “Mesmo quando quis morrer de ciúme de você

Você me fez falta”

Hoje: “Pras cretinas do baile cheias de tesão

Popozão vai descendo até o chão”

Ontem: “Rimas de ventos e velas, vida que vem e que vai“

Hoje: “Cheguei chegando bagunçando a zorra toda”

Ontem: “Essa é a última canção que eu faço pra você”

Hoje: “Vai, malandra, an an

Ê, tá louca, tu brincando com o bumbum”

Ontem: “Se um um beija-flor invadir

A porta da sua casa

Te der um beijo e partir

Fui eu que mandei o beijo”

Não dá! Quero voltar! Rebobina!

Me mandem de volta para a década de 70!

“Ai que saudade de ocê”!

Falta amor? Falta amar?

Falta criatividade, se respeitar?

Em qual momento deixamos o romantismo

O respeito, o encanto e beleza da canção noutro lugar

E permitimos essa porcalhada toda nos enterrar?

“A solidão que fica e entra

me arremessando contra o cais…”

A música, o amor, o romantismo pedem socorro!

Alda M S Santos

A música que a vida toca

A MÚSICA QUE A VIDA TOCA

A vida é um grande musical

Toca músicas animadas, dançantes

Também toca músicas tristes, frustrantes

Tantas vezes aprendemos o ritmo, dançamos com prazer

Mas a música que a vida toca nem sempre irá nos satisfazer

Muitas vezes teremos vontade de chorar

Outras, até desejo de partir, não mais bailar

Mas precisaremos aprender a dançar

Porque a vitrola da vida não para de tocar

Podemos dançar sozinhos

Mas melhor mesmo é quando dançamos com um par…

Com o outro aprende-se nova coreografia

A dançar a dois com harmonia

Rimos dos erros e tropeços

Até novas canções passamos a tocar

Uma dança aos pares ou em grupos

Tem muito mais magia…

Posso até ter minha canção favorita

Mas ela só fará mais sentido

E se tornará ainda mais prazerosa e bonita

Se tiver alguém que aceite dançá-la comigo…

Alda M S Santos

Dança comigo?

DANÇA COMIGO?

Dança comigo esse ritmo louco

Que nos tira do chão, faz bater o coração

Ou aquele que nos enlaça, nos abraça,

Nos atrai, nos une num olhar, nos acalma, nos instiga…

Dança comigo a dança do passado ou a do momento

Que gira, que prende, que enleva, que lança para o alto

Que nos tira de órbita, nos aquece

Que faz suar, que faz sorrir…

Dança comigo a música que a vida toca

Que faz sofrer, que faz vibrar, doer e chorar

Que faz cair e levantar…

Mas dança comigo a canção que eu canto

Aquela que vem da minha alma e toca fundo

E que expresso no meio jeito de dançar

E se com a sua música eu sintonizar

Seremos um eterno e belo par…

Dança comigo uma dança nova

Que nos leve para outro lugar

Para um mundo real, porém doce e suave

Onde dançar seja apenas mais um delicioso modo de amar…

Alda M S Santos

O poder de uma canção

O PODER DE UMA CANÇÃO

As canções são poderosas quando

Se trata de tocar nossas emoções

Letra, música, a melodia como um todo

Têm poderes calmantes, revigorantes, curativos,

Ou estressantes, rebeldes, massificantes

Algumas são capazes de envolver, de aliciar

Despertam nostalgia, saudade, solidariedade, amor

Canções marcam épocas, situações, movimentos de luta

Rebeldia, conquistas, identificam uma geração inteira

Fazem a trilha sonora de nossas vidas, nos levam a dançar

Marcam o amor e a dor, a alegria e a tristeza

Pelas canções que se ouve, pelo estilo musical

Podemos saber muito do modo de ser de uma pessoa

Ou de como ela se encontra naquele momento

A música é capaz de nos identificar e nos apresentar a nós mesmos

A música é capaz de nos revelar aos olhos dos outros

Alda M S Santos

Um grupo, um violão

UM GRUPO, UM VIOLÃO

Um grupo, várias vozes, um violão

Uma roda, ao ar livre, numa tarde gostosa no sabadão

Nem precisa ser muito afinado, não

Basta que tenha vontade, carinho, amor e atenção

Que as músicas sejam de uma época saudosa, refinada seleção

Que tragam boas lembranças e animação

Que despertem desejo de cantar, de dançar pelo salão

Que haja poesia nos versos singelos e amorosos da canção

Que sequer se importem com qualquer limitação

Que a gente perceba em cada voz que vibra o pulsar do coração

Em cada sorriso que se abre a luz que brota da gratidão

Em cada palavra terna a sincera satisfação

Em cada abraço, a troca do amor precioso, o amor irmão!

Alda M S Santos

#carinhologos

Nossos acordes silenciosos

NOSSOS ACORDES SILENCIOSOS

Levar a vida numa valsa, num forró, bolero ou rock, entregue

Absorvendo os acordes que ela toca, clara ou confusa

Expressando-se com leveza, sem nada dizer

Tudo que vai dentro de si

Nos embalos lentos, ritmados

Apressados ou velozes, corpo nos giros da canção

Dançando, girando, movendo a roda, de alma nua

A dança fala aos que sentem essa vibração

Braços, pernas, cabeça, coração

Sensualidade, simplicidade ou molecagem

Em sintonia consigo mesma, transmitindo uma silenciosa mensagem:

A vida é uma eterna música

Dançar não é apenas movimentar o corpo

É uma necessidade da alma, do coração

Dançar sem amarras, soltar-se sem reservas feito pipa no céu

É um modo de fazer amor com a vida

De fazer as pazes com o mundo

De saber-se parte desse grande e maravilhoso quebra-cabeças

Dançar é saber ouvir os acordes silenciosos de nós mesmos…

Alda M S Santos

A música que a vida toca

A MÚSICA QUE A VIDA TOCA
A vida é um grande musical
Toca músicas animadas, dançantes
Também toca músicas tristes, frustrantes
Tantas vezes aprendemos o ritmo, dançamos com prazer
Mas a música que a vida toca nem sempre irá nos satisfazer
Muitas vezes teremos vontade de chorar
Outras, até desejo de partir, não mais bailar
Mas precisaremos aprender a dançar
Porque a vitrola da vida não para de tocar
Podemos dançar sozinhos
Mas melhor mesmo é quando dançamos com um par…
Com o outro aprende-se nova coreografia
A dançar a dois com harmonia
Rimos dos erros e tropeços
Até novas canções passamos a tocar
Uma dança aos pares ou em grupos
Tem muito mais magia…
Posso até ter minha canção favorita
Mas ela só fará mais sentido
E se tornará ainda mais prazerosa e bonita
Se tiver alguém que aceite dançá-la comigo…
Alda M S Santos
Mais no meu blog vidaintensavida.com

Um passo de dança 

UM PASSO DE DANÇA

Sentir-se flutuar, fazer parte do ar

Estar dentro, mas livre

Estar fora, mas presa na magia

Em cada acorde, um movimento em sincronia

Em cada passo, uma expressão, um dizer com o corpo

A comunhão é do corpo com a música

A harmonia é da alma com a melodia

Afinam-se enquanto se completam

Até nos erros sintonizam-se.

Precisam-se!

Ela e a melodia tornam-se uma só

Num simples passo de dança…

Alda M S Santos

Orquestra 

ORQUESTRA

Somos um instrumento tocando todo o tempo

Inúmeros são os sons e as melodias que irradiamos

Não é qualquer um que entende e aprecia nossos acordes, 

Tampouco somos capazes de compreender sempre a música que emana da alma dos outros… 

Compreendendo ou não, podemos apreciar

Como apreciamos a música dos pássaros 

Se houver sintonia dá-se uma maravilhosa orquestra,

A vida consiste em acompanhá-las,

E dançar, se possível!

Alda M S Santos

Só dançar!

SÓ DANÇAR!
Quero, gosto, preciso de algo leve, suave, delicado
Como as asas de uma borboleta
Simples, bonito, perfeito
Como um passo de dança!
Que se mexe, gira, levanta-se nas pontas dos pés
Abaixa-se e volta a se aprumar…
Que acorda, que se toca, que toca o outro,
Como o beijo de um beija-flor
Olhos fixos ao longe, enxergam dentro de si
Aumenta o ritmo, acordes fortes, passos firmes
Bota pra fora o que está em excesso
Salta, corre, escorrega, cai
E tudo é um lindo passo de dança.
Flutua em torno de si, em torno de todos,
Comunhão do corpo com a música,
Entrega de sentimentos à melodia
Sua alma determina o ritmo
Suavemente faz um volteio, alonga-se
Relaxa, sorri, extravasa em suor, sente a leve brisa
Traz pra dentro de si o que estava fora
Mas que deveria estar dentro.
E segue acreditando em Eugénia Tabosa:
“Voar sempre cansa, por isso ela corre, em passo de dança’
Alda M S Santos

A mais linda melodia

A MAIS LINDA MELODIA

Musicista e seu instrumento fazem parte um do outro.

Mãos que tocam e retiram das cordas a vibração desejada

Baquetas que bem movimentadas produzem sons graves, agudos, longos, suaves 

Dedos que se alternam nas teclas e geram a resposta pretendida  

Bocas que sopram no ritmo e momento certo, fazendo que o movimento do ar produza maravilhas musicais.

Um instrumento não “existe” sem o instrumentista

O instrumentista sem o instrumento não produz uma linda melodia. 

São interdependentes.

Assim também são os amantes…

Como músicos e seu instrumento,

Um produzindo no outro a mais linda canção.

A beleza da melodia dependerá da afinidade e sintonia entre ambos. 

Por mais perfeito que seja o instrumento, sem um bom instrumentista torna-se desperdiçado.

Em contrapartida, o desempenho de um músico torna-se sofrível se o instrumento não estiver à sua altura. 

Contudo, juntos, a prática, o treino, a persistência e o amor pelo que faz

Formam bons músicos.

Produzem bons amantes. 

Criam a mais linda melodia: a que vem do amor. 

Alda M S Santos 

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: