Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

Vida

Vivendo do mar

VIVENDO DO MAR

Para uns a diversão, lazer, contemplação

Para outros o trabalho, a lida, o ganha-pão

Seja no pescado em alto-mar

Ou nas atividades à beira-mar

Muitos fazem dali seu dia a dia, seu lugar

Nativos já conhecem sua impar linguagem

Quando está bravo, de ressaca, qual sua mensagem

Quando a maré vai subir ou baixar

Se vai chover ou o quanto irá ventar

Sabem direitinho até onde se pode brincar

Respeitam a natureza, de onde vem seu sustento

A pele já castigada pelo sol, são gratos a todo momento

Turistas vêm para passear, conhecer, se apaixonar

Pela cultura, encantos naturais, querem fundo mergulhar

Se gostarem certamente irão voltar

Talvez até venham a fazer dali o seu novo lar

Bom mesmo é que nativos e turistas

Saibam cuidar, amar, preservar

Esses maravilhosos encantos que a Criação veio nos presentear…

Alda M S Santos

Saiu sem saber que não voltaria

SAIU SEM SABER QUE NÃO VOLTARIA…

Uns voltando para casa, outros a passear

Uma rodovia de tráfego intenso, fim de tarde

Famílias inteiras em férias, caminhoneiros no trabalho

Ônibus lotados, escuridão total, alguns invadem a contramão, ansiosos

Todos parados num gigantesco engarrafamento

A PRF alerta: acidente grave com vítima fatal próximo a BH

Quatro veículos envolvidos, colisão frontal ocupando ambas as vias

Sirenes de ambulâncias e resgates passam velozes

Vários motoristas fora dos veículos a conversar

Alguns a fumar ou alongar as pernas

Passageiros impacientes no interior dos veículos

Muitos lamentando a perda de tempo

Outros, a família que perdeu um ente querido

Alguém que saiu de casa sem saber que não voltaria

Imprudência, má sorte, era chegada a hora, muitos a opinar

A lua aparece na serra devagarzinho, como a espiar o que aconteceu

Waze oferece rotas alternativas impossíveis

Penso que poderíamos estar já em casa

Mas lembro de quem não mais poderá chegar

Partiu de volta para a origem

Saio do carro, tiro uma foto da lua que está maravilhosa

E faço uma oração de agradecimento por quem se salvou

Mas, mais ainda, bênçãos a quem se foi e respectivas famílias

Que Deus nos proteja a todos!

Alda M S Santos

Foto de Pablo Vinicius Silva Santos

Enquanto houver vida

ENQUANTO HOUVER VIDA

Enquanto houver vida quero seguir meu caminho

Posso parar à beira da trilha para reabastecer energias

Sob sol intenso ou sombra de uma árvore frondosa, enxugar o rosto

Sorrir ou chorar, nunca desistir, confiar sempre

Entre flores ou espinhos, terra ou pedras

Receber uma dose de ânimo, um abraço de amor, uma palavra de confiança

Uma mão, um sorriso de carinho, esperança e amizade

Daqueles que Ele envia para me interpelarem…

Só não posso fechar os olhos, ignorar Seu cuidado

E agradecer, retribuindo tanto amor, estando disponível sempre

Vencendo medos e culpas, erros e tropeços

Sem autoacusações ou autoflagelos, com aprendizado

Sendo aquela que Ele envia para iluminar o caminho de outros

Em qualquer circunstância, valorizando e protegendo a vida, sempre

Até o reencontro com Ele, em casa…

Alda M S Santos

Quanto vale uma vida?

QUANTO VALE UMA VIDA?

Uma pergunta difícil : quanto vale uma vida?

Uma vida vale tudo, mas não há nada que pague.

Também não vale nada, visto que não há valor material que possa sustentá-la

E tantas vezes parece estar presa a um único fio…e perdura

E outras, parece forte… e se perde

Vale o tamanho do nosso amor, da dor que fica

Da ausência deixada, da lacuna não preenchida

Como amor não tem medida, a vida também não tem…

Qualquer vida que se perde

Que permitimos que se vá

Que não conseguimos impedir a partida

É uma perda irreparável,

Independente de quem foi

Sexo, idade, classe social, instrução, religião, profissão…

É sempre um projeto de Deus interrompido…

E uma vida nunca pode substituir a outra

Cada vida é única e especial

Algumas são mais preciosas para a gente que outras

São aquelas que Deus nos entregou nas mãos e disse

“Cuida, confio em você”!

São aquelas pelas quais seremos cobrados

São aquelas que trazem tudo de bom que temos

Que fazem a nossa própria vida ser preciosa

Que nos alimentam de sorrisos e lágrimas

Que nos fazem acender, manter e fazer valer nossa porção divina…

Alda M S Santos

Malas prontas

MALAS PRONTAS

Não importa para onde vamos

Se é logo ali ou atravessando o oceano

Malas arrumadas é fundamental

O que vai, o que fica,

Quem vai, quem fica?

Malas cheias, coração abarrotado…

Expectativas de diversão e alegria

Se necessário, mudamos o destino final(?),

E que possamos trazer mais que levamos

Uma alma mais leve, em sintonia com as demais

Em paz…

Vamos?

Alda M S Santos

Amor à vida

AMOR À VIDA

Folhas velhas, seca, repouso

Aparente morte…

Gotas d’água, lágrimas, brotos

Renascimento…

Folhas novas, botão, rosa.

Fases da natureza,

Fases de nós…

Esperança, respeito, fé.

Isso é amor à vida!

Alda M S Santos

Ídolos não morrem?

ÍDOLOS NÃO MORREM?
Tudo bem, admirar um cantor, um ator, um artista qualquer
Pelas habilidades ou dons que possua,
Pelos diferenciais, pela capacidade de cativar e encantar,
Até aí é compreensível! 
Mas até que ponto é preciso ser bitolado para se ter um ídolo?
Para se colocar em risco?
Para realizar loucuras ou se expor a situações ridículas?
Idolatrar outro ser humano!
Passar recibo de pouca inteligência, acreditando piamente que seu ídolo não morreu!
Sem qualquer prova racional, apenas pela emoção!
E não é viver na obra, não!
Literal mesmo!
Elvis Presley não morreu!
E está aí com mais de 80 anos!
Pois existe gente assim! Que ainda busca “provas”!
Posso chamar a isso de que?
Encantamento de massas, ou loucura coletiva?
E dura 40 anos!
Nada contra o Elvis Presley, cujos filmes muito assisti,
cantor e dançarino muito original e avançado para a época.
Mas deixou alguns admiradores parados no tempo.
Elvis vive nas músicas, nos filmes, na lembrança dos fãs!
O resto é falácia de admiradores inconformados!
Alda M S Santos
Imagem AMP- EBC

Truco e outros jogos

TRUCO E OUTROS JOGOS

Num jogo de cartas vence aquele que mais sabe esconder o jogo

Aqueles que são mais abertos e mostram suas cartas

Quase sempre são os perdedores. 

No jogo da vida há poucas diferenças,

Porém, os de cartas escondidas são pessoas mais pesadas,

Os de cartas na mesa são pessoas mais leves.

Mas os vencedores e os perdedores não tem como saber,

Há que se avaliar….

E o jogo segue à nossa revelia.

Quer a gente mude de parceiros na mesa, ou não, 

Com cartas abertas ou marcadas, 

Com bons adeptos e jogadores ou não, 

Até que alguém grite “truco”!

E, game over.

Alda M S Santos

Ventos

VENTOS

Brisa, ventinhos, ventanias, tempestades, tornados…

Alguns agradáveis como a brisa suave ou os ventinhos, 

Encantadores como as ventanias,

Toleráveis como as tempestades,

Assustadores e destruidores como os tornados…

Todos têm como base os ventos, 

A intensidade com que acontecem. 

Quase sempre temos que enfrentar todos eles em nossas vidas,

Podemos ser cada um deles em momentos diferentes! 

Há pessoas brisas, ventanias, tempestades e tornados.

Vamos aprendendo a identificar os sinais, os alertas,

Com os quais podemos lidar, 

E quando sair para o tempo e curtir, 

Ou nos fecharmos dentro de abrigos subterrâneos 

E aguardar nova calmaria.

A vida vai ensinando…entre sorrisos e lágrimas…

Alda M S Santos

Namorados insubstituíveis

NAMORADOS INSUBSTITUÍVEIS

Alguns dizem repetidamente a um certo alguém, algo que soa como ameaça: “você é minha vida, não vivo sem você”! 

Outros, felizes, alardeiam o fato de serem insubstituíveis para alguém. 

Somos seres únicos, nesse aspecto somos todos insubstituíveis.

Deixando de existir, fim por aqui!

Porém, elevar alguém a tal patamar em nossas vidas é algo complicado. 

Querer ser insubstituível na vida de alguém, idem.

Ter alguém insubstituível, sem o qual não vivemos, é colocar na conta do outro dívidas que são nossas. 

Ser insubstituível para alguém é carregar conosco o peso da vida do outro. 

Devemos almejar ser insubstituíveis apenas para nós mesmos.

Se pudermos arcar com nossos ônus e bônus, sorrisos e lágrimas, vitórias e derrotas, teremos feito bastante.

E isso não é egoísmo, 

É dar conta de algo que é só nosso e não deve ser delegado a outros: 

Nossa vida! 

Alda M S Santos

Oxigênio

OXIGÊNIO

Ficar nos espremendo num pequeno espaço,
Levantando a cabeça, fugindo do afogamento,

Buscando pequenas bolhas de ar para respirar

Não é viver, é evitar a morte.

Queremos, precisamos de oxigênio à vontade

Merecemos ar puro,

Respirar fundo e livremente,

Viver!

Alda M S Santos

Labaredas ou cinzas

LABAREDAS OU CINZAS?

Pequena chama, altas labaredas

Apenas brasas, fumaça, cinzas…

Somos fogo, todos, em suas várias etapas de combustão:

Eclodindo, propagando,

Em continuidade, se extinguindo…

E cada etapa de nossa vida pode estar num desses estágios.

Podemos estar eclodindo profissionalmente,

Nos propagando em âmbito familiar, em continuidade amorosamente,

Nos extinguindo em outras áreas. 

Claro é que fogo não se mantém onde não há combustível e comburente.

E para se propagar e ser contínuo o fogo necessita de condução.

Somos nós que podemos iniciar uma reação em cadeia,

E levar chamas para onde é quase cinzas. 

E, assim, manter o calor em todas as áreas de nossas vidas. 

Alda M S Santos

Desatinos

DESATINOS
De quantos desatinos se faz uma loucura?
De quantas loucuras se faz uma alegria?
De quantas alegrias uma vida precisa para ser feliz?
Alda M S Santos

Há receitas?

HÁ RECEITAS?

Para estar de bem com a vida
Não há receitas, não há tutoriais.
Cada pessoa exige ingredientes diferentes
O “ponto” de cada massa é diverso
O tempo que se leva para “assar” é variável
Mas há ingredientes que são unanimidade:
Boas companhias, um lugar agradável e Deus.

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: