Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

halloween

Voando na poesia

VOANDO NA POESIA

Bruxa ou fada, travessura ou gostosura
No sol ou na chuva, noite ou dia
Vale mesmo é afastar a amargura
E voar nas doçuras da poesia

A natureza oferece os ingredientes
A magia vem de dentro da gente
Uma boa mistura no grande caldeirão
Anima, alegra, faz feliz um coração

Um passeio dentro de você
Ora fadinha, ora bruxinha
Alegre e saudável brincadeirinha

A vida carece da paz e harmonia
Onde as mágicas poções trazem a fantasia
Para um viver de amor, luz, perfeita sintonia

Alda M S Santos

Uma fada, uma bruxa

UMA FADA, UMA BRUXA

Duas faces da mesma pessoa
Duas fases da mesma mulher
Uma fada ou uma bruxa
Cada qual conquista a que puder

Amor e carinho despertam a fadinha
Também a ternura, doçura, bom coração
Já uma certa malícia, rebeldia, boa briga, olhar de sedução
Acordam a bruxinha, muita emoção

Todas carregamos ambas em nós
Fadinha ou bruxinha, tanto faz
Com nossa varinha ou vassoura seguimos
Numa vida intensa de magia, amor e paz…

Alda M S Santos

Uma Bruxinha

UMA BRUXINHA

Acordou naquele dia disposta a fazê-lo especial. Chamavam de Dia das Bruxas. Ela esboçou aquele sorriso maroto e pensou, “ou seja, como todos os meus outros dias”…

-Quero que hoje seja diferente! Bruxa já sou todo dia! Que posso fazer para esse dia ser genial?

Uma brincadeira, uma arte, uma travessura, um pouco de candura, algo sem igual?

Saltou cedo da cama, preparou sua mistura energética mágica, colorida e agridoce. Raízes, frutas, folhas e ervas. Água fresca e mel. Nada de asa de morcego ou perna de aranha…eca!

Um banho na água fria que vinha direto do poço, um vestido leve e estampa floral, um batom suave, perfume de rosas, um colar de pedrinhas, cabelos com prendedor lateral de delicadas borboletas, um sorriso no rosto…estava pronta!

Ao sair à procura do Mago ele logo saltou em seu colo, seu parceiro de sempre, seu gatinho cinza com patas e rabo branco. “”Venha, Mago, temos trabalho”! Ele ronronou concordando.

Ao entrar no ônibus (nada de voar em vassouras, talvez mais tarde), sentou-se ao lado de um senhor sério e de olhar perscrutador.

Pôs a bolsa no colo, Mago miou, o senhor olhou interrogativo, ela fez sinal de silêncio com o dedo sobre os lábios e deu uma piscadela. Não podia carregar animais no ônibus. Ele sorriu cúmplice e fez sinal de boca fechada.

Os olhos do senhor tinham uma espessa camada de catarata e, ao observar o gatinho, viu que um dos olhos dele estava quase coberto com uma crosta parecida.

A moça explicou que o gatinho tinha aparecido com aquele problema nas duas vistas e que ela já tinha curado uma delas. Logo a outra estaria perfeita também, ela afirmou para o senhor.

Senhor Ângelo, encantado pelo jeito doce daquela moça e seu gatinho, evitou demonstrar sua descrença.

Ela fazia carinho no bichano todo o tempo em que conversava com Sr Ângelo. Ele prestava bastante atenção. Sentia falta de conversar com alguém. Era muito solitário.

Foram conversando durante toda a hora seguinte. Ele vivia só, viúvo, seus filhos e netos moravam longe, não gostava de depender de ninguém.

Ela trabalhava com crianças numa creche próxima de sua casa e com idosos no Posto de Saúde.

Ele passava sua vida ajudando os outros e auxiliando nas atividades para a terceira idade no clube perto de casa. Tinha muito medo de perder a visão e não poder mais ler ou ajudar no clube. Isso o entristecia muito.

Ficaram tão entretidos naquela conversa animada e profunda que se assustaram quando ela disse que teria que saltar no próximo ponto.

Sem pedir licença, ela segurou as mãos do Sr Ângelo, deu-lhe um beijo no rosto e despediu-se logo levantando e saindo. Mago estava quietinho, cúmplice de tudo.

Desceu deixando no ar um rastro de perfume de rosas e o calor da sua presença.

Ele a observava parada lá na calçada com o gatinho no colo. Ela soprou um beijo e acenou. Ele notou que Mago não tinha nada nas vistas, estavam limpas com seus grandes olhos verdes.

Estupefato e feliz percebeu que enxergava perfeitamente bem. Lá fora, as próprias mãos, tudo claro e nítido.

Com leveza e gratidão acenou para aquela moça que mais parecia um anjo, tão colorida, leve, bela e suave. Ela lembrava a ele sua esposa quando mais jovem.

O ônibus partiu e ele ficou olhando até ela sumir na esquina…

Sentindo-se revigorado e animado notou no banco em que ela estava um pacotinho com uma borboleta azul pousada. Como ela teria ido parar ali no ônibus fechado? -pensou ele.

Pegou, desfez o laço e a borboleta por ali quietinha. Havia um frasco com os dizeres “Gotas de Amor” e um bilhete.

“Sr Ângelo, é fácil mudar o mundo. Uma pessoa de cada vez. Espalhe amor como puder, em gotas ou numa tempestade. Feliz Dia das Bruxas! Assinado: Bruxinha Luz”

A borboleta se foi sem ele perceber e o deixou se perguntando como ela entrou, como ele se curou e quem havia dito seu nome para a Bruxinha Luz.

Alda M S Santos

Feitiço

FEITIÇO

Chega suavemente, olhar profundo

Um toque das mãos, um abraço apertado

Daqueles nas pontas dos pés que fazem esquecer o mundo

E tudo além daquele momento fica de lado

Uma palavra sussurrada ao ouvido

Acompanhada de um doce beijinho de arrepiar

Um movimento leve, insistente, todo atrevido

Um giro suave sob a luz do luar

Uma dança linda ali se inicia

Onde roupa é dispensável

Em meio a toda essa magia

Tudo o mais, além deles, é descartável

Não precisa de um grande caldeirão

Tampouco de qualquer outra poção

É o amor o mais antigo feitiço do mundo

Do qual a natureza é apenas pano de fundo

Esse feitiço só precisa de uma bruxinha, um mago

Só precisa de mim e de você…

Alda M S Santos

Poderes mágicos

PODERES MÁGICOS

Hoje é dia de feitiço, dia de magia

Quem sabe se eu fizer um esforço

Não atiço aquela bela fantasia

E transformo nossa vida num alegre alvoroço?

Será que basta um pensamento

Ou precisa de uma frase de efeito

Uma oração, uma prece, mais envolvimento

Para que todo desejo seja satisfeito?

Poderes de fada, de bruxa, de mulher

Basta mexer o caldeirão com uma grande colher

Ou um olhar de amor e já tem tudo que se quer?

Alda M S Santos

Halloween

Toda bruxa que se preze tem um gato preto!

Estou quase pronta… Vamos?

SARAU DIA DAS BRUXAS: DOÇURAS OU TRAVESSURAS? GRUPO DE POESIAS BANHOS DE LUA

As 18 horas até as 21 horas

Uma fada, uma bruxa

UMA FADA, UMA BRUXA

Duas faces da mesma pessoa

Duas fases da mesma mulher

Uma fada ou uma bruxa

Cada qual conquista a que puder

Amor e carinho despertam a fadinha

Também a ternura, doçura, bom coração

Já uma certa malícia, rebeldia, boa briga, olhar de sedução

Acordam a bruxinha, muita emoção

Todas carregamos ambas em nós

Fadinha ou bruxinha, tanto faz

Com nossa varinha ou vassoura seguimos

Numa vida intensa de magia, amor e paz…

Alda M S Santos

Bruxinha bonitinha

BRUXINHA BONITINHA

Bruxinha bonitinha, que podes fazer por mim

Um feitiço que não seja tão ruim

Talvez um passeio sob a lua na sua vassoura de capim?

Bruxinha bonitinha, que tal me fazer um favor

Sei que já não preferes o terror

Podes preparar pra mim, então, um pouquinho de amor?

Bruxinha bonitinha, que há em seu caldeirão

Língua de sapo, patas de aranha, rugidos de leão

Que tal botar algo doce que torne o mundo mais irmão?

Bruxinha bonitinha, sela comigo um acordo, me dê sua mão

Você me ajuda a salvar o mundo

E eu te dou meu coração…

Alda M S Santos

Brincadeiras à parte

BRINCADEIRAS À PARTE

Dia das bruxas, halloween,

Doçuras ou travessuras…

Tudo uma brincadeira!

Mas que dá vontade de ser capaz de fazer poções mágicas

Não de caldeirão, mas de coração

Que nos torne mais aptos numa “colherada”

Num abracadabra, numa oração

Ser capazes de trocar o amargo pelo doce

A dor pela alegria

Saudade por reencontro

Egoísmo por solidariedade

Medo por coragem

Lágrimas por sorrisos

Tristeza por amor…

Em nós, nos outros!

Quem não queria?

E não precisa de bruxices

Basta humanidade a fundo

Em doses diárias e profundas…

Alda M S Santos

Bruxices

BRUXICES

Num caldeirão bem grande, com uma colher de pau

Tento fazer uma poção mágica

Que tenha poderes curativos e nos imunize de todo mal

Que nos livre de flagelos do corpo, mas sobretudo que acalme nossas dores e feridas da emoção

Começo adicionando um voo de águia a trazer liberdade

Lágrimas de mulher a garantir sensibilidade

Essência de rosa para acentuar a delicadeza

Um raio de sol e outro da lua para manter o respeito

Um trecho de uma oração silenciosa para assegurar a fé

O rugido de um leão para atrair a coragem

Uma estrela cadente para ativar os sonhos

Uma gota de orvalho para regar a esperança

Um abraço apertado para afastar os medos

Palavras doces para matar qualquer saudade

Uma lembrança de amor para elevar a autoestima

O brilho de um sorriso e a maciez de um beijo para cuidar do coração

Uma tempestade de boas ações para nunca deixar o amor morrer

Misture tudo, deixe aquecer e tome uma porção por dia

Junto ou pensando nas pessoas que ama e quer bem

A magia da vida se renova…

Aceita uma bruxice?

Afinal, uma bruxinha é uma fada que não aceitou ficar onde não era aceita…

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: