QUERO, POSSO, DEVO?

Quero, posso, devo?
O querer é o mais primário instinto
Satisfação, sobrevivência, aquilo que sinto
Invade sonhos, adentra nossa vontade
O poder passa pelo próprio interesse e capacidade
A constante busca por  prazer e felicidade
Alimentada pela imaginação e desejo de realização
O dever já é cerceado pela vida em comunidade
O que é adequado, avalizado, aprovado
Aquilo que não traria sanção ou danos ao coração
Entre quereres, poderes e  deveres
Entre ids, egos e superegos
Transitando entre vaidades satisfeitas e culpas
A vida vai se fazendo de dores e prazeres
Um caminho de sorrisos e alegrias
De tristezas, lágrimas,  fantasias
Um eterno cair e levantar, subir e descer
Encanto, conquista, vitórias e derrotas
Em busca do mais belo e intenso viver
Pelos caminhos que aprouver,  pelas melhores rotas

Alda M S Santos