ELA PERMITE

Ela permite quase tudo

A silenciosa e calma admiração

O grito alto, que alivia, surdo

O encanto, a paixão, a veneração

Ela permite ir a qualquer lugar

Para o saudoso ontem ou o amanhã a despontar

Ainda que não saiba aonde chegar

Mesmo no mais íntimo sonhar

Ela permite quebrar fechaduras, abrir janelas

Arrombar portas, estourar taramelas

Despir-se de tudo, pular cancelas

Ela quer mesmo é uma vida de magia

De amor, de paz, de fantasia

Ela permite tudo, ela é a poesia…

Alda M S Santos