Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

perdidos

Batam palmas

BATAM PALMAS

Numa praia cheia, vez ou outra ouvimos palmas
Vindas de todos os lados chamam a atenção
Vão aumentando gradativamente
E uma criança é suspensa nos braços de alguém
Estava perdida e logo os pais aparecem
Uma salva de palmas em comemoração…

Bom seria que a cada vez que ficássemos perdidos
Do mundo ou de nós mesmos
Alguém batesse palmas, assobiasse
Um tambor tocasse, sinal de fumaça lançasse
E quando de volta a nós mesmos fôssemos resgatados
Uma salva de palmas, um beijo, um abraço apertado
Fossem-nos dados em sinal de amor e comemoração

Tem alguém perdido por ai?
Batam palmas!

Alda M S Santos
Mais no meu blog vidaintensavida.com

Localização por satélite?

LOCALIZAÇÃO POR SATÉLITE?

Em tempos de GPS de todo tipo

Nos veículos, nos celulares, nos cartões de crédito

A nos proteger de roubos, assaltos, sequestros

Objetivando nos dar uma (pseudo)segurança

Intimidando todo tipo de meliante

Ao nos mostrar a localização de quem quer que seja

Em todo tempo e lugar, no mato, no mar

Na Terra ou no espaço…

Até onde podemos mesmo dizer que há segurança?

GPS que nos levam aonde a gente quiser

Ninguém fica mais escondido ou perdido

Há “olhos-vivos” por todos os lados e tudo veem

Mas o grande paradoxo desse mundo tão bem “localizável” digitalmente

É que nunca houve tantas pessoas perdidas de si mesmas…

Alda M S Santos

Roubos e arroubos

ROUBOS E ARROUBOS

Quanto mais caminhamos para longe de nós mesmos

Quanto mais rápido o fazemos, vislumbrando um destino sonhado

Quanto mais arroubos há, mais roubos são realizados, “autorizados”

Mais difícil e necessário se tornará o caminho de volta

Mais longo e doloroso será o retorno

Dívidas deverão ser quitadas, débitos pagos com juros

Sorrisos resgatados, lágrimas enxugadas, flores arrancadas devolvidas a seus canteiros

Cristais frágeis que forem quebrados novamente colados

Fé e autoconfiança recuperadas…

É bom ir, mas todo cuidado é pouco para não nos perdermos de nós

Para não nos afastarmos e caminharmos perto de quem nos mantém inteiros e acende nossa luz

Para não fazermos com que quem amamos se percam de si mesmos…

Alda M S Santos

Labirintos

LABIRINTOS

Não encontrar a saída

Não conseguir voltar ao início

Andar em círculos, avaliar

Revisitar espaços, tontear

Buscar a infância perdida

Ora estar feliz, ora triste

Até esse labirinto se tornar

A única realidade palpável

A morada mais próxima de um lar

Que existe dentro de si mesmo!

Alda M S Santos

À deriva

À DERIVA

Diante da imensidão das águas,

De céu, de ar, de sol

À deriva…sozinhos,

Num pequeno barco a remo.

Poucas são as opções a seguir

Mergulhar na escuridão desconhecida das águas lá fora, 

Deixar-se aquecer ao sol, a admirar o céu, a seguir sem rumo,

À deriva,

Ou mergulhar na turbulenta nau interior, não menos escura e densa

Em busca de luz…

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: