Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

mundo

Um mundo novo

UM MUNDO NOVO
Tudo aponta para um mundo novo
Há medos, dúvidas, ansiedade
Inseguranças de toda a humanidade
O mundo como conhecemos está sendo testado, remexido
Mas há que se preservar a vida
Não é só aqui ou ali
O planeta todo está sendo ameaçado, sacudido
Precisamos mesmo de mudanças
Para garantir a vida, nossas andanças
Não é só um vírus que mata
Tudo o que ele traz consigo exige reflexões
Nesse momento de escolhas difíceis
Percebemos quais são nossas prioridades
De um, de outro, de toda uma comunidade
Que sobrará disso tudo?
Estamos prontos para lidar com isso?
Para recomeçar do zero se preciso for?
Há em nós suficiente coragem e amor?
Alda M S Santos

Não estamos sozinhos

NÃO ESTAMOS SOZINHOS
Somos humanos cercados por outros humanos
Numa casa rodeada por outras casas
Numa cidade fronteiriça de outra cidade
Dentro de uma nação que se avizinha de outras nações
Habitantes do planeta Terra, ao lado de outros planetas e astros
Membros de uma galáxia gigantesca
Não estamos sozinhos!
Mesmo quando não nos sentimos mais que pequeninos grãos de areia
E parecemos estar muito sós, não estamos
Em nossa mais intensa introspecção temos a nós mesmos
E quando encontramos a nós mesmos
Somos capazes de identificar o outro tão perto de nós
E estender a mão, pegar uma mão…
Alda M S Santos

Mundo difícil

MUNDO DIFÍCIL

Há por aqui gente de todo tipo
Em diferentes fases de evolução e aprendizado
Há quem se doe, seja crédulo, ajude
E há quem não saiba sequer ser amado

Há quem veja sempre o lado bom das pessoas,
Sabe ser carinho, acolhimento e respeito
Mas há quem não entenda esses sentimentos
E queira sempre tirar proveito

E a balança está sempre a oscilar
Crédulos, descrentes e aproveitadores
Em quantos ainda podemos confiar?

Inspirar esperança,, não deixar de acreditar
Pois quando se perder a fé na humanidade
É jogar a toalha antes da luta terminar

Alda M S Santos

Meu pequeno mundo

MEU PEQUENO MUNDO

Meu mundo é pequeno diante desse mundão
Tantas vezes acredito que sairá de órbita
E ficará à deriva, perdido na escuridão
Numa nau desértica e inóspita

A pequenez dá a ideia que não faz diferença
Aquilo que faço ou desfaço, por (des)crença
Mas como num jogo de peças de dominós
Elas estão ligadas, ainda que pareçam sós

Não vamos sozinhos, somos partes do todo
Uma mexida qualquer abala, causa incômodo
Para o bem ou para o mal, sem engodo

Esse mundão é feito de pequenos mundos
Mudá-lo exige realizar sonhos profundos
Ativar em nós a paz, união e amor fecundos

Alda M S Santos

Tão pequenos

TÃO PEQUENOS
Tão pequenos somos nós
Diante da grandiosidade do universo
Tão grandes somos nós
Em busca de algo precioso
Tão pequenos somos nós
Quando nos recolhemos em nós mesmos
E ignoramos todo o resto
Tão grandes nos sentimos nós
Frente a tanta batalha inócua
Tão pequenos somos tantas vezes
Ao nos sentir perdidos e sem rumo
Tão grandes somos nós
Lutando, debatendo, ferindo, machucando a todos
Tão pequenos, tão grandes
Depende do referencial
O que vale de verdade, e é preponderante
É o que fazemos de especial
Quando nos sentimos tão grandes
Quando nos sentimos tão pequenos
Tão acompanhados ou tão solitários…
O mundo precisa de gente grande
Não de críticas ou julgamentos
O mundo precisa de gente grande
De sentimentos e de atitudes!
Alda M S Santos

Meu mundo para

MEU MUNDO PARA

Nas mil voltas que esse mundo maluco dá
A gente vai tentando não cair, nos segurar
Apegando-nos a algo que nos faça seguir
Que não nos trave no mesmo lugar

Tantas vezes queremos tocar a campainha
Dar um sinal que avise que queremos parar
Cansados estamos, tontos, só queremos descer
Arrumar um cantinho, encolher para descansar

Girando por aí para todos os cantos
Notamos que tantas vezes precisamos é nos soltar
De algo a que nos apegamos e nos prende no mesmo lugar
Por não querer seguir, se envolver, participar

Tantas as travas, tantas as tristezas
Que podem fazer nosso mundo parar…
Urge focar nas alegrias, nos estímulos, no belo
No amor que precisamos para fazer nosso mundo girar…

Alda M S Santos

Melhor lugar do mundo

MELHOR LUGAR DO MUNDO

Andamos por tantos lugares por aí
Alguns bem marcantes, melhores que outros
Despertam desejo de ficar para sempre ali
Qual o melhor lugar do mundo
Do qual não sairia sem pensar um segundo?
No alto de uma montanha, observando o alvorecer
Nas areias mornas da praia vendo o sol se esconder
Sob um céu de estrelas e prateado luar, ao anoitecer
Junto de seu amor, debaixo de um cobertor
Num jardim encantado com perfume de flor
Na brisa de um paraíso tropical a se refrescar
No gelo do polo norte a esquiar
Numa mata densa e bela a caminhar
Numa imensa cachoeira a se banhar
Num rio de águas claras a mergulhar
Num dia chuvoso a dançar, se molhar
São tantas maravilhas a viver, apreciar
Qual seria do mundo o melhor lugar?
Vale mesmo é a companhia que se tem
O mais lindo deles nada é sem um alguém
Qualquer um pode ser tudo na paz que se obtém
No prazer de estar consigo mesmo em sintonia
O melhor lugar do mundo é onde repousa o coração em alegria

Alda M S Santos

Mundo florido

MUNDO FLORIDO

Dizem que vejo o mundo florido
Dos sonhos, sem qualquer bandido
Não sou tão ingênua, mas prefiro enxergar as flores
Gosto do mundo mais colorido, sem tantas dores
Desbravar caminhos, construir pontes
Encontrar belezas aos montes
Quem sabe um rio de águas cristalinas
Ou muitas minas, ricas fontes
Bandidos não me assustam assim
Assusta-me o não viver, da vida me esconder
Devo ser bruxa, feiticeira ou algo assim
Quero fazer da vida um perfumado jardim
Para os lados, para cima, verde intenso
Quero naquela árvore subir, num galho deitar
E ali, na natureza, encontrar a paz, o meu lugar

Alda M S Santos

Vamos transformar o mundo

VAMOS TRANSFORMAR O MUNDO
Vamos transformar esse mundo frio
Aquecendo cada coração carente que se aproximar
Vamos transformar esse mundo amargo
Sendo sorriso para cada cara amarrada que encontrar
Vamos transformar esse mundo sério, tolo e feio
Sendo brincadeira, sendo criança, sendo alegria
Vamos transformar esse mundo individualista
Sendo abraço, sendo colo a cada olhar opaco que baixar
Vamos transformar esse mundo faminto
Oferecendo o que pudermos para alimentar
Vamos transformar esse mundo doente da alma
Sendo a paz, a serenidade e a luz para curar
Vamos transformar esse mundo injusto
Sendo a mão que tenta as diferenças equalizar
Vamos transformar esse mundo incrédulo
Sendo a fé e o amor divino a quem precisar
Vamos transformar esse mundo de tanta angústia e dor
Sendo o bálsamo calmante e apaziguador
Vamos transformar esse mundo, sim
Como?
Pelo exemplo, pelo contágio, pelo amor
Devagarzinho, um ser humano de cada vez…
Alda M S Santos

Que inteligência é essa?

QUE INTELIGÊNCIA É ESSA?
Que inteligência é essa
Que produz máquinas e armas de destruição
Mas que não cura um câncer, um mal do coração?
Que inteligência é essa
Que num simples acionar de um botão
Pode lançar um míssel nuclear e nos reduzir a pó
Mas deixa morrer de fome um irmão?
Que inteligência é essa
Que nos leva à guerra, ao terreno do outro, por insanas disputas emocionais ou materiais
Mas não enxerga a vida que míngua bem nos seus quintais?
Que inteligência é essa
Que viaja em naves e foguetes pelo longínquo campo do espaço sideral
Mas não acha o caminho da paz e do amor dentro de si, de seu tão próximo campo emocional?
Que inteligência é essa?
Alda M S Santos

Um mundo

UM MUNDO

Um mundo mais alegre, menos sofrido

Com mais bênçãos, menos perigo

Onde todo soldado combalido

Encontre no outro um bom abrigo

Um mundo mais suave, menos amargo

Com menos “passar de pernas”, mais dar-se as mãos

Onde o amor e amizade fiquem a cargo

De seres humanos mais irmãos

Um mundo onde seja permitido sonhar

E bons desejos poder realizar

Na fraternidade e na paz nos irmanar

Um mundo onde reine o respeito e harmonia

Pelas criaturas, natureza e Criador

E que saibamos que só seremos felizes onde houver amor

Alda M S Santos

O mundo lá fora

O MUNDO LÁ FORA

É bom levantar voo, viajar, voar, conhecer o mundo

Desbravar o universo lá fora, o mundo desconhecido

Mas isso só é válido se tivermos para onde voltar

É bom, é preciso ter mar aberto para navegar

Tanto quanto é preciso ter cais para retornar

É bom ter um céu azul infinito para plainar

Desde que se tenha onde pousar

É bom mergulhar nas profundezas do mundo de alguém

Mantendo um pé firme cá fora

Para podermos voltar para dentro de nós mesmos

Quando tudo parecer ruir, desmoronar

Nunca devemos ir a lugar algum

Se não soubermos de onde estamos saindo

E para onde poderemos voltar…

Alda M S Santos

Meu mundo para

MEU MUNDO PARA

Nas mil voltas que esse mundo maluco dá

A gente vai tentando não cair, nos segurar

Apegando-nos a algo que nos faça seguir

Que não nos trave no mesmo lugar

Tantas vezes queremos tocar a campainha

Dar um sinal que avise que queremos parar

Cansados estamos, tontos, só queremos descer

Arrumar um cantinho, encolher para descansar

Girando por aí para todos os cantos

Notamos que tantas vezes precisamos é nos soltar

De algo a que nos apegamos e nos prende no mesmo lugar

Por não querer seguir, se envolver, participar

Tantas as travas, tantas as tristezas

Que podem fazer nosso mundo parar…

Urge focar nas alegrias, nos estímulos, no belo

No amor que precisamos para fazer nosso mundo girar…

Alda M S Santos

Por que o mundo não para?

POR QUE O MUNDO NÃO PARA?

Porque o mundo insiste em girar

O Sol continua a nascer, a chuva a cair

O vento a balançar as folhas, os pássaros a cantar

Se eu estou aqui sem calor, sem voz, sem canto

Sequer sinto o vento ou a chuva a me molhar?

Parece uma afronta!

Porque o mundo insiste em girar

As pessoas a sair e a sorrir, a trabalhar

A se amarem, brigarem ou se odiarem

Guerrearem e se matarem…

Se eu estou aqui querendo que ele pare para eu descer

Ou que gire bem rápido e me lance para fora de órbita?

Por quê?

Será que está gritando algo para eu ouvir?

Terá que fazer um esforçozinho um pouco maior!

Alda M S Santos

O mundo não para

O MUNDO NÃO PARA
O mundo não para porque eu sinto-me parada.
O ônibus segue seu caminho, mesmo que eu desça.
O Sol continua a brilhar, mesmo que eu não veja.
As rosas continuam a perfumar, ainda que eu não sinta.
A alegria continua a existir, mesmo que ao meu redor.
O jogo continua, mesmo que eu não esteja em campo.
Os amigos continuam a existir, mesmo longe de mim.
O carinho continua nos outros, mesmo que eu o dispense.
Deus continua aqui, ainda que o ignore.
O mundo não para porque eu estacionei.
Minha apatia não cessa a roda da vida. Paralisa apenas meu viver.
A vida segue seu rumo com quem tem coragem para acompanhá-la.
Uns vão arrastados, outros ficam.
Aqueles que caíram, independente dos observadores, limpam os joelhos, ou coração esfolados, e retomam a caminhada. Tal qual criança que volta para a corda que continuou a bater e ignorou seu tombo. Insegura, olha para o alto, observa seu vai-e-vem, levanta as mãos, avalia, se prepara e volta a pular.
Com coragem pula até cem!
Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: