Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

atenção

Um colinho

UM COLINHO

Tantas vezes tudo que precisamos

É de um pouquinho de atenção

Cuidado, carinho e delicadeza

E um colinho não faz mal não…

Se a dor é no corpo, um colinho neutraliza

Se a dor é no coração, um colinho cicatriza

Se a dor é na mente, um colinho exorciza

Se a dor é de saudade, um colinho ameniza

Mas se a dor não tem nome,

E corpo e alma dela padecem

Não tem jeito não

De um colinho ela carece…

Alda M S Santos

Preste atenção

PRESTE ATENÇÃO

Olhe para o que te falta, busque

Mas veja aquilo que você tem de verdadeiramente seu

Olhe devagar, absorva o positivo, o divino

Preste atenção!

Inspire fundo, sinta o perfume doce da paz

Mesmo que precise inspirar muitas vezes

Sinta-se vivo! Preste atenção!

Olhe no seu entorno

Natureza viva, ar puro, brisa suave, calor humano

Entregue-se! Delicie-se!

Veja quem te estende a mão, quem te cuida

Quem te abraça, te acolhe, te ama

Quem reza por você, pensa em você

Quem sempre te coloca como prioridade

Preste atenção!

Veja com um novo olhar tudo aquilo que está dentro de você

Demore-se um pouco nesse olhar, tenha calma

Preste atenção! Sinta-se!

Ainda que seja apenas você mesmo

Olhe! Veja de verdade! Preste atenção!

E valorize! Valorize-se!

Onde você se encontra, também se encontra Deus

A vida é aquilo que fazemos dela…

Alda M S Santos

Coisas Miúdas

 COISAS MIÚDAS
Enquanto se espera pelas grandezas
E busca-se algo imperioso, arrebatador,

Ofusca-se a visão, perde-se o foco,

E não se percebe que de miudeza em miudeza

Se constrói, ou se destrói, um grande amor…

Alda M S Santos

Corações transparentes

CORAÇÕES TRANSPARENTES

Ser transparente é ser corajoso

É também ser acusado de tolo

Sempre tão aberto, tão claro, 

Não deixar dúvidas, doar-se…

Doar abraços, carinhos, colo

Proximidade, atenção,

Sentimentos, emoções…

É exaurir-se de tanta sinceridade e doação, 

Mas encher-se de tanta gratidão e prazer

Atrair sentimentos sinceros

Mas atrair também aproveitadores,

Aqueles acostumados à falsidade, 

Adeptos dos “joguinhos”. 

Amor bom é amor que não se esconde, 

Que se orgulha de aparecer.

Amor que a gente gosta é amor sincero

Amor que a gente precisa é amor transparente.

E isso não é ser tolo!

Isso é não perder tempo com o que não vale nosso tempo.

Alda M S Santos

Joias

JOIAS
Nunca fui muito fã de joias!
Claro, sou mulher, acho lindas!
Mas nunca fiz questão de ganhar uma joia,
De ter uma joia de pedras preciosas.
E não é porque sou boazinha, simplória ou melhor que ninguém!
Sempre preferi ter uma pessoa-joia para mim.
E ser uma joia para alguém!
Forte, resistente, bela e preciosa.
E isso não é qualquer um que se dispõe,
Ou que saiba fazê-lo.
Exige muito mais que ter dinheiro e ir à joalheria.
É pagamento para a vida toda!
Parcelado em dias e dias infinitos de carinho.
Pagamento que se faz com imenso prazer,
Ou não se faz…
Ambos sendo credores e devedores.
É assim que somos joias!
Alda M S Santos

Tá tudo bem?

TÁ TUDO BEM?
Quantas vezes ouvimos essa pergunta?
Quantas vezes a formulamos?
Praticamente 100% das vezes a resposta é: “sim, e você”?
Na maioria delas não passa de pro forme.
Quase nunca respondemos sinceramente.
Não nos dão, ou não damos tempo para uma resposta sincera.
Aquela que demandaria explicação, tempo, atenção, ouvidos, talvez ombros.
As palavras dizem uma coisa e os olhos dizem outra.
Mas quem tem tempo ou disposição para investigar, sequer perceber?
Os olhos dizem “não, estou no meu limite”, “não, estou muito down”!
“Não, preciso de ajuda”, “não, quero colo” ou “não, gostaria de sumir do mapa”.
Se realmente respondêssemos assim, qual seria a reação de nossos interlocutores?
Qual seria a nossa reação, se ouvíssemos respostas como essas?
Certo é que se a pessoa é amiga, próxima, íntima, nem precisaremos perguntar.
Basta notar suas ausências, seu silêncio, seu olhar.
Em todos esses casos, apenas um carinho, um abraço resolveria.
Ou ao menos amenizaria bastante o problema.
Queremos estar bem!
Alda M S Santos

O que mata o amor?

O QUE MATA O AMOR?

O que mata o amor? Quem disse que amor não morre?

Morre sim, definha, sofre de inanição, desidratação.

Amor é algo vivo, e tudo que é vivo pode um dia morrer.

Alguns ficam em fase terminal no CTI por anos a fio,

E morrem…

Outros sofrem morte súbita, violenta, trágica.

Uma palavra mal dita aqui, um descaso ali, um esquecimento acolá,

Uma pequena indiferença, um olhar sem ver, uma desconfiança,

Uma dúvida não esclarecida, discussões inoportunas e sem tato,

Um silêncio fora de hora, uma impaciência a qualquer hora,

Um abraço que não toca, uma pessoa que não se toca!

O amor nasce nas pequenas coisas, quando percebemos, amamos

E não sabemos explicar porque, normalmente listamos inúmeras coisinhas…

Sua morte também se dá da mesma maneira,

De pequenas em pequenas coisinhas,

Quase sempre as mesmas de outrora, que amamos, e foram-se embora.

Aquele sorriso cativante, aquele olhar carinhoso, aquele abraço terno,

As palavras doces, calmantes e oportunas, 

A atenção que se esqueceu de prestar atenção…

Desidratando, desnutrindo, definhando, morrendo…

A boa notícia é que mesmo pacientes no CTI podem se recuperar e sobreviver!

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: