Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

alegrias

Está chegando a hora

ESTÁ CHEGANDO A HORA

É preciso que a gente se divirta

Não precisa ser só no carnaval ou épocas especiais

Bloco nas ruas, bailes nos salões ou escolas de samba na avenida

Nem precisa gostar do tumulto do carnaval

Pode querer se estirar no sofá e assistir um filme

Preferir ir para o mato, deitar na rede, olhar o céu

Ouvir as marchinhas cantadas pelos pássaros

Ou assistir ao desfile das borboletas e beija-flores…

Mas de diversão todos gostam

Aquela que usa o carnaval ou qualquer data festiva

Como mera desculpa para interagir, sorrir, brincar

Tempo para encontrar e socializar com os amigos

Do trabalho, da escola, da igreja, da família

Da academia, do Pilates ou aqueles de tempos idos…

Qualquer um que queira espalhar alegria

Porque de tristeza estamos todos saturados…

Quem se diverte e se alegra com a diversão dos outros

Tem Deus, sim, é mais feliz, mais saudável, vive mais…

Vamos curtir enquanto há tempo

Porque ele passa ligeiro e nos arrasta junto

Tal qual trenzinho nos bailes

“Ai, ai, ai, ai, ai, ai, ai

Está chegando a hora

O dia já vem raiando meu bem

Eu tenho que ir embora…”

Alda M S Santos

Degustação

DEGUSTAÇÃO

Numa analogia com um grande restaurante

A vida teria uma quantidade diversa de clientes

Glutões, famintos, anoréxicos, bulímicos

Aqueles que comem de tudo sem critério ou medida

Os que não ingerem quase nada por medo de peso extra

Os que engolem de tudo desenfreadamente e logo vomitam, descartam

Aqueles cujo organismo não dá conta de processar muito bem o alimento

Os que querem apenas variedade, sem qualidade

Os que ficam pegando rebarbas dos pratos alheios

Os que preferem somente a degustação, não pagam o preço do “prato”

Passam fome…

E aqueles sábios e experientes que sabem o que querem

Buscam exatamente o que precisam para se alimentar

Não se encantam mais só pela apresentação ou aroma do prato

Buscam prazer e valor nutritivo num prato que seja seu

Que tenham plantado ou pescado

Querem alimento para o corpo e para a alma

Estão sempre bem alimentados

Sabem que degustação por degustação não traz satisfação…

Alda M S Santos

O mesmo jardim

O MESMO JARDIM

A escola passa, ficam os amigos

O trabalho passa, ficam os amigos

A família se modifica, constrói outros laços familiares, ficam os amigos

Infância, adolescência, vida adulta, tudo passa

Mas as relações ali cultivadas sob o adubo das afinidades

Enriquecidas com o húmus do respeito às diferenças

Fortalecidas nos momentos de sorriso ou mesmo de dor

Aquelas alimentadas com carinho, cuidado, bom humor

As regadas na fonte do amor diário

Essas são eternas…

Histórias que passam de vinte anos

Que brotam, minguam, rebrotam, geram mudas

Mesmo que busquem outros canteiros

Sempre farão parte do mesmo jardim

São espécies raras!

Somos abençoadas, somos amigas!

Alda M S Santos

Tá triste?

TÁ TRISTE?

Tristeza que ameniza com um abraço desinteressado

Numa manhã com eles, aprendendo como se faz um bom queijo

Amenizando conflitos “infantis”

Acalmando uma lindeza que queria dar chinelada na cuidadora que furou seu bumbum

Batendo um bom papo, rindo, dando atenção

Oferecendo e recebendo carinho

E ouvindo aquela idosa que diz que abraço de outra mulher dá choque dizer:

“Pode abraçar, você está cheirosa, e seu abraço não me dá choque”

Riu muito quando respondi: “será que estou virando homem”?

“Então tire esse vestido bonito”!

Eles me fazem muito bem!

Qualquer tristeza ameniza ao estar com gente que precisa da gente…

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: