TENHO MEDO

Tenho medo de qualquer posicionamento extremo, radical

Sem qualquer apologia às “folhas de bananeiras”

Que balançam ao sabor do vento

E ora estão de um lado, ora do outro

Ter uma opinião formada não quer dizer que precise ser engessada, inflexível

Mudar o modo de ver algumas coisas só nos engrandece

Tenho medo das consequências negativas do radicalismo, dos preconceitos

Tenho consciência que até o amor, a maior e mais eficaz arma do mundo

Se usada de modo radical é prejudicial

Sou a favor da flexibilidade, do saber ouvir, do se fazer entender

Mas, principalmente, do saber respeitar

Intolerâncias geram violências que nos desumanizam

Verdades são apenas opiniões de pessoas diferentes entre si

E ter uma opinião diferente não faz ninguém melhor ou pior que os demais

O que difere os seres humanos é o modo pacífico ou agressivo de se manifestar

O que hierarquiza as pessoas é o respeito que demonstram diante do diferente de si

Porque a quem nos parece diferente

Certamente também pareceremos estranhos

E uma conversa respeitosa faz com que todos cresçam como seres humanos

O que é impossível sentados no trono que julga e condena o que é diferente

Tenho medo! Muitos medos!

E isso vale para qualquer esfera da vida

Social, familiar, política, amorosa, artística, religiosa, esportiva…

Com habilidades e cuidado somos capazes de a tudo conquistar

Precisamos todos de mais amor e respeito

Menos insultos, menos julgamentos…

Mais humanidade!

Alda M S Santos