Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

tragédia

A alma chora e agradece

A ALMA CHORA E AGRADECE
Fadigado o corpo luta para sobreviver à lama
Esgotada a alma chora
Chora por aqueles que se foram
Chora pelo descaso, pela insignificância da vida
Chora por si mesma…
Ao redor tudo é destruição
Quanto ouro vale uma vida?
Mais especificamente, quantas vidas são necessárias
Para pagar pela mineração?
Fundão, Feijão, decepção, repetição
Não foi aprendida a lição?
E a alma estremece, quase desiste, chora
E se entrega, agradecida, nos braços daquele que a acolhe
Uma alma que entende outra alma
Corações em sintonia, dor, alegria
E a alma chora, agradece…
Alda M S Santos

Tragédia anunciada

TRAGÉDIA ANUNCIADA

Uma parede torta, trincada

Um céu de nuvens negras, pesadas

Uma raiva intensa, acumulada

Pessoas falantes quando caladas

Tragédia anunciada!

Hipertensão, colesterol alto, glicemia elevada

Medos e traumas não vencidos

Uma vida sedentária, muito parada

Falhas e erros conhecidos, repetidos

Tragédia anunciada!

Uma encosta pesada, encharcada

Bêbados descontrolados aos volantes

Uma represa não fiscalizada, sobrecarregada

Aquela vida falsa e secreta dos “amantes”

Tragédia anunciada!

Um planeta tão maltratado, explorado

Bomba-relógio armada, um perigo

Um futuro não valorizado, ignorado

Não há como manter intacto esse abrigo

Tragédia anunciada!

BUM!

Alda M S Santos

Haja lágrimas!

HAJA LÁGRIMAS!

Nem bem uma lágrima seca

Um soluço passa

A descrença começa a perder força

Vem outra tragédia para irrigar a emoção

Puxa vida! Haja lágrimas!

Deus, tenha piedade de nós

Cuide de nosso Brasil

Não nos deixe perder a fé em dias melhores

Em boas pessoas, na capacidade de lutar

E seguir em frente

Mesmo com tudo balançando todo o tempo

Despencando e querendo nos levar daqui

Será que seria tão ruim ir embora?

Vontade de chorar e chorar…

Alda M S Santos

Sonhos queimados

SONHOS QUEIMADOS

“Quem não sonhou ser um jogador de futebol”?

Uma habilidade, um dom especial, um sonho

Os pés tão hábeis com a bola,

E um coração recheado de esperanças

Num novo lugar, novas pessoas, novos amigos

Juventude, futebol, alegria, Flamengo, sacrifícios

“Posso morrer pelo meu time

Se ele perder, que dor, imenso crime”

Longe da família, investindo num sonho:

Ser um jogador famoso, ganhar dinheiro

Ajudar familiares, ser feliz…

Onde estava o erro disso?

Sonhos queimados tão precocemente

Viraram cinzas as esperanças

Dez adolescentes com vidas interrompidas sob fogo

“Bola na área sem ninguém pra cabecear

Quem não sonhou em ser um jogador de futebol?”

Canto, de luto, muda, com Skank…

Hoje é triste uma partida de futebol

Tantas dores, tantas tragédias, luto

Parem o mundo que eu quero descer!

Alda M S Santos

Foto G1

#flamengo #skank #ninhodourubu

Tributo a Brumadinho: lama ou flores?

TRIBUTO A BRUMADINHO: LAMA OU FLORES?

Cada um dá o que tem, aquilo que dispõe

Se o que recebemos foi dor

Façamos uma oração a quem sabe de todas as coisas

Se o que recebemos foi lama

Joguemos pétalas de rosas

Se o coração apertar e as lágrimas brotarem incessantemente

Deixemos rolar…

Elas lavam o caminho para o novo nascer

Desintoxicam…

Ainda que machuque, mesmo que demore

O que é bom, verdadeiro, que vem da alma

Sempre encontra uma área fértil em meio à destruição

Para renascer…

Isso vale para flores, para sentimentos, para pessoas

O amor não morre em meio a tanta dor

E essa vida, lama nenhuma tira ou mata

Vão em paz, fiquemos em paz…

Que cada um de vocês que permanece aqui em nossos corações

Brotem lindos e viçosos onde não há mais qualquer dor…

Alda M S Santos

Fotos Band, G1 e R7

Luto, por isso luto

LUTO, POR ISSO LUTO

Luto, só temos visto isso

Tristeza, dor, corpos levados em redes, dependurados nos helicópteros

Lágrimas e mais lágrimas, revolta, injustiça, impunidade

Tragédia de Brumadinho…

Números!

Desaparecidos, mortos, identificados ou não

Vítimas que se foram, morreram

Vítimas que ficaram, sentindo-se morrer por dentro

Histórias…

Quais as mais sofridas?

Pessoas que puderam se falar pouco antes

Ou se despedir, mesmo sem saber

Outras que não tiveram chance…

Quantas estavam brigadas, chateadas?

Quantas não se falavam direito, não se davam o devido valor?

Quantos arrependimentos, distanciamentos?

O que mais aperta o coração de quem se foi?

O tempo desperdiçado, não aproveitado?

E de quem ficou?

E quem foi salvo da tragédia por motivos simples?

E as que deveriam estar lá e não estavam?

Qual o alerta deixado para todos nós?

A vida é fugaz!

Não tem data e hora para acabar!

Vamos viver de maneira justa e honesta,

O mais intensamente que pudermos,

Fazendo sempre o bem, sem tirar nada de ninguém,

Agradecer aqueles que estão conosco, curti-los, amá-los

A morte não teve critério algum

Levou gente de toda classe, idade, gênero, bichos, natureza…

Enquanto não chega nossa hora

Independente do luto, devemos lutar e seguir…

Mesmo doendo…

Em luto por todos eles, pela humanidade tão perdida

Por isso eu luto todo o tempo…

E espero que possa chegar do outro lado

Sem muitas dívidas a pagar ou do que me envergonhar…

Alda M S Santos

(Fotos: Adriano Machado/Reuters)

A alma chora e agradece

A ALMA CHORA E AGRADECE

Fadigado o corpo luta para sobreviver à lama

Esgotada a alma chora

Chora por aqueles que se foram

Chora pelo descaso, pela insignificância da vida

Chora por si mesma…

Ao redor tudo é destruição

Quanto ouro vale uma vida?

Mais especificamente, quantas vidas são necessárias

Para pagar pela mineração?

Fundão, Feijão, decepção, repetição

Não foi aprendida a lição?

E a alma estremece, quase desiste, chora

E se entrega, agradecida, nos braços daquele que a acolhe

Uma alma que entende outra alma

Corações em sintonia, dor, alegria

E a alma chora, agradece…

Alda M S Santos

Tragédia em Janaúba

TRAGÉDIA EM JANAÚBA

Além da dor daqueles que perderam um familiar,

Criancinhas inocentes num lugar que deveria ser seguro

Tendo vidas ceifadas ou machucadas por alguém que deveria protegê-las,

Que talvez também fosse um doente sem ajuda,

Como tantos por aí escondidos atrás de sorrisos,

Dói ainda saber que nos hospitais que deveriam socorrê-las

Faltam itens básicos como Dipirona, luvas, seringas, agulhas e afins…

Num país com uma das maiores cargas tributárias do mundo!

Não há palavras para expressar tamanha revolta!

Que Deus olhe por todos nós!

Alda M S Santos

Best-Seller

BEST-SELLER
Na vida nós escrevemos nosso conto de fadas.
Não há borrachas ou corretivos, não há como “desescrever”.
Apenas viramos a página e escrevemos novo capítulo.
Não há “felizes para sempre”.
Ora somos protagonistas, ora coadjuvantes,
Ora mocinhos, ora bandidos…
Por vezes, é uma comédia romântica, outras um drama,
Pode até se tornar um suspense ou uma tragédia,
Mas somos nós que construímos dia a dia nossa felicidade!
Com o papel, a caneta e a cor que dispomos e escolhemos.
Que seja um best seller!
Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: