Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

parque

Isso já é poesia

ISSO JÁ É POESIA

Um dia de paz, de alegria

Onde problemas ficam lá fora

Apenas esse encanto, essa magia

E a simplicidade da infância na natureza em total sintonia

Vento frio no rosto, calor no coração

E a natureza sempre aberta à interação

Tudo é energia, intensidade, emoção

A vida nos ensinando o valor da troca, da cooperação

Para a criança basta espaço e outras crianças, mesmo que de alma

Que a vida acontece até na fantasia, sem trauma

Ali o que vale é o valor da atenção, entrega sem preocupação

E o amor que flui de coração para coração

Domingo, família, parque, piquenique, euforia, amor…

Nem precisa de rima, meu senhor

Isso tudo já é poesia…

Alda M S Santos

Parque de diversões

PARQUE DE DIVERSÕES

Há brinquedos para todos nesse grande parque de diversões

Afoitos, aventureiros, intensos, pura adrenalina

Cautelosos, ponderados, tranquilos, medrosos

Crianças, jovens, adultos e idosos

Há inclusive espaço para quem não quer brincar

Para quem se diverte vendo a roda gigante subir e girar

Ouvindo os gritos de quem se aventura na montanha-russa

Observando o leve e sem graça vai e vem do carrossel

Atento às gargalhadas do palácio do riso

Ou aos semblantes assustados de quem sai da casa de terror

Há lugar para quem se assenta no banco no jardim

E observa os casais enamorados com rosas e bichos de pelúcia

As crianças agitadas com algodão-doce colorido e bolas enormes de sorvetes

Há lugar para todos: individuais ou coletivos

Há também quem queira tomar a vez do outro

Burlar a ordem, a lei, bagunçar a diversão

Ainda que não haja desejo de brincar

Esse parque de diversões chamado vida não para

Com ou sem a gente

Ele continua sempre….

Alda M S Santos

No parque

NO PARQUE
Descem de mãos dadas aos gritos no tobogã
Um tiro ao alvo certeiro, ursinho conquistado, um beijinho recebido
Aquele abraço juntinho na roda-gigante
O frio na barriga no balanço
Gargalhadas no carrossel,
Uma lambida para desgrudar o algodão-doce da bochecha,
Uma pipoca doce roubada e compartilhada,
Tranquilidade na paz do por-do-sol no pedalinho,
Uma foto apertadinhos no lambe-lambe.
A volta pra casa no quadro da bicicleta.
Amor de domingo, amor antigo,
Amor dos sonhos…
Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: