Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

autoaceitação

Nunca desistir de mim

NUNCA DESISTIR DE MIM
Não desistir de mim, esse é o trato
Não importa o que eu fizer
Ou o estado de minhas emoções
Se estiver forte e vitoriosa
Ou frágil e chorosa
Se estiver contente e esperançosa
Ou carente e nada amorosa
Se agir com sabedoria ou cometer uma burrada apocalíptica
Não desistir de mim, esse é o trato
Quando sou a fortaleza em que os outros se apoiam
Ou quando sequer tenho forças para chorar
Ser minha maior amiga sempre
Daquelas que acariciam, elogiam, incentivam
Mas que também ralham, puxam as orelhas, e nunca abandonam
Não desistir de mim, esse é o trato
Não posso parar, estacionar
Preciso prosseguir, cuidando para não cair
Consciente que estarei dando o melhor de mim…
Pois só assim poderei merecer o melhor dos outros
Não desistir de mim, nunca!
Esse é o trato!
Alda M S Santos

RÓTULOS

RÓTULOS

Não me adapto com rótulos
Não há um que consiga definir
Por mais que tente não é correto
É uma prisão que acaba por excluir

Ou te colocam além ou aquém
Daquilo que você realmente é
E, você, se não ficar atento
Se perde, tentando ser o que não quer

Rótulos nos limitam, travam
Ignoram que a vida é evolução
Impedem o agir da emoção, da razão

Quero a liberdade de ser eu
Se houver conceitos, que sejam meus
E, se quiser, você pode uni-los aos teus

Alda M S Santos

Sonhei com você

SONHEI COM VOCÊ

Sonhei com você essa noite e tive saudades

Você estava trajando um lindo sorriso, vinha no mar

Carregava a vida com uma leveza tão doce

Que a gente queria partilhar e ficar junto

Até os momentos tristes você sabia contornar

Com cuidado para ninguém machucar

Era meio autossuficiente, autoconfiante

Nada na vida parecia sugar sua energia

Era amor, despertava amor, causava um certo furor

Havia muitos que dependiam do seu calor, do seu labor

Era luz, brilhava e inveja, por vezes, despertava

Quase nada temia, viver era uma intensa alegria

Eu olhava para você e olhava para mim

Éramos a mesma pessoa, ontem e hoje

A mesma mulher, mesmo que diferentes

Perdemos partes no caminho, ganhamos outras

Mas em algum momento algo mudou, amadureceu

Talvez tenha sido nos momentos em que a vida doeu

Por vezes não sei bem quem sou eu

Mas sigo ainda com energia, uma certa magia

Acendendo o sorriso, abrindo os braços

Oferecendo colo, ouvidos, abrigo

Ocultando os medos em segredo, atrás de abraços

Tentando levar amor onde há descompasso, necessidade

Reabastecendo assim meu ciclo vital de bondade

Você desapareceu, aqui fiquei eu

Mas o essencial de você aqui permaneceu

Prometo seguir no amor, não te decepcionar!

Prazer rever você!

Alda M S Santos

Mais no meu blog vidaintensavida.com

Ainda não sei

AINDA NÃO SEI…
Ainda não sei…
Sou apenas um ser errante perdido nessa galáxia. Talvez fosse perfeita noutra dimensão.
Ainda não sei …
Se inferior ou superior a esta. Sei apenas que tantas vezes me sinto perdida por aqui.
Ainda não sei…
Sobra-me algo? Falta-me algo? Sei apenas que minha “kriptonita” não vale de nada por aqui, exceto como arma contra mim mesma.
Ainda não sei…
Tantas diferenças com meus iguais, tantas semelhanças com meus desiguais!
Onde está o “erro”?
Ainda não sei…
Igualo-me a eles? Peço que se igualem a mim?
Ainda não sei…
Precisamos ser iguais?
Sei apenas que não saber, dói! Angustia!
Mas sei de uma coisa importante: sendo ou não daqui, é aqui que estou.
Enquanto estiver por aqui, darei o melhor de mim. E tentarei obter o melhor dos outros.
Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: