Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Tag

auto-imagem

Camuflagens

CAMUFLAGENS
Habilidade de passar despercebido onde quer que esteja
Meio de se proteger, assemelhando-se ao ambiente para não chamar a atenção
Tornar-se um igual a tantos outros iguais
Apagar algum brilho ou cor, acender outras
Gritar onde se grita, silenciar onde tudo é silêncio,
Ser cinza onde tudo é cinzento, desligar-se onde tudo está em off
Mexe daqui, mexe dali, e…pronto!
Tudo homogêneo, nada se destaca, todos uniformizados
Um bloco de iguais!
O risco é acabar esquecendo o que se é
E, na tentativa de se autoproteger ou agradar aos outros,
Acabar por não ser mais nem um e nem outro…
Pior, perder até o prazer de ser o que se é!
Alda M S Santos

Nunca desistir de mim

NUNCA DESISTIR DE MIM
Não desistir de mim, esse é o trato
Não importa o que eu fizer
Ou o estado de minhas emoções
Se estiver forte e vitoriosa
Ou frágil e chorosa
Se estiver contente e esperançosa
Ou carente e nada amorosa
Se agir com sabedoria ou cometer uma burrada apocalíptica
Não desistir de mim, esse é o trato
Quando sou a fortaleza em que os outros se apoiam
Ou quando sequer tenho forças para chorar
Ser minha maior amiga sempre
Daquelas que acariciam, elogiam, incentivam
Mas que também ralham, puxam as orelhas, e nunca abandonam
Não desistir de mim, esse é o trato
Não posso parar, estacionar
Preciso prosseguir, cuidando para não cair
Consciente que estarei dando o melhor de mim…
Pois só assim poderei merecer o melhor dos outros
Não desistir de mim, nunca!
Esse é o trato!
Alda M S Santos

A cor da solidão

A COR DA SOLIDÃO

Solidão tem cor, tem cheiro, sabor
Solidão tem até som, talvez de cachoeira
E não é sempre cinza, pode até ser prata
Tampouco é silêncio total, às vezes é musical

A solidão tem a cor que a gente pinta
O cheiro que a gente guarda
O som que toca dentro da gente
Solidão é estado de espera

Solidão pode até ser barulhenta
Tocar uma música suave
Pode ter cheiro de saudade
E ser da cor verde ou magenta

Solidão é a vida que não desistiu
Que não quer mais tanta gente
Fica com quem quis, persistiu
Que resolveu morar mais dentro da gente…

A cor da solidão é a cor que nosso amor-próprio pinta…

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: