Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

Família

Todas iguais?

TODAS IGUAIS?
Dizem que são todas iguais
Mudam apenas o endereço
Todos têm, grande ou pequena
Barulhenta, bagunçada ou organizada
Carinhosa ou contida, briguenta ou emotiva
Uns rebeldes, uns nerds, uns amorosos
Uns solícitos, outros carentes
Tanto faz, é sua!
Sua família!
Não invada as dos outros
Não permita invasões na sua
Cuide bem dela, seja grato
Cultive, irrigue de amor
É tudo que de mais real e verdadeiro
Você tem por aqui…
É aquilo que Dele recebemos
É onde começa e termina tudo
É onde toda mudança ou continuidade é possível
São iguais nas bênçãos infinitas, no amor do Pai
Foi numa família que Ele veio para nos ensinar a amar
Família Santa: Jesus, Maria e José
A Eles confiamos nossa família
Nele depositamos nossas esperanças!
Alda M S Santos

Ele vai…

ELE VAI…

Uma vida construída no amor, por amor
Sem receitas ou tutoriais, um simples sensor
Ativando sorrisos ou lágrimas, curador
Ora na vida ator, autor, espectador

Fortalecendo raízes, criando asas
Despertando vontades, acendendo brasas
Permitindo aos poucos o voo alto
É a vida nos tomando de assalto

Segue o curso, a roda da vida gira
Causa alegria, expectativa, nostalgia
Controversas emoções buscam harmonia

O amor que recebeu certamente levará
Amor cresce e multiplica quanto mais se dá
Ele vai, ele volta, tem aqui seu lugar…

Alda M S Santos

Com vocês

COM VOCÊS
Desde que a gente esteja junto
Podemos ir para qualquer lugar
Não há fera que possamos temer
Enfrentamos dragões e a fúria do mar
Nenhuma ferida irá, por muito tempo, nos fazer sofrer…
Desde que a gente esteja junto
É belo e pacífico o escuro da noite sem luar
Certos que um abraço gostoso irá nos aquecer
E trará sempre um sorriso para nos acalmar
Somos diversão, trabalho, oração, prazer…
Desde que a gente esteja junto
Nenhum trabalho ou carga irá nos abater
Somos um time escalado por Ele para vencer
Somos presentes, pedimos responsabilidade,  cuidado e proteção
Do inicio ao fim, juntos,
Ainda nas adversidades e momentos de tensão
Somos uma família, uma equipe do coração…
Alda M S Santos

No mesmo lugar

NO MESMO LUGAR

São seis filhos, tantos netos

Vários bisnetos e até uma tataraneta

Mas ela não queria ir com eles morar

Dizia: “aqui é meu lugar”

Agora, 96 anos, não teve jeito

Foi com uma das filhas ficar

Lúcida, esperta, mas nesse mundo tão mau

Não dá pra facilitar!

Tantos queriam levá-la para perto

Poder dela com carinho cuidar

Mas nenhum podia ir com ela morar

A casa ainda está no mesmo lugar

Mas falta vida ali

Ela não mora mais lá

Mas a sentimos em todo lugar…

Salvo quando vem filho de longe visitar

Aí ela vem para sua casa cuidar

Mas o terreiro não é mais o mesmo

Aquele que sempre me encantou

Está tão árido!

A fonte secou, a cacimba soterrou

Roseira reclamou, o galo não cantou

Galinheiro caiu, a horta murchou

Ainda há uns pássaros na goiabeira

Que se adonaram do lugar

E reclamam quando a gente vem passear

Mas agora vou aproveitar

Estamos aqui, ela também

E aqui ela veio conosco ficar…

Assim será até quando Deus nos permitir

Poder em seu colo descansar

E, a bem da verdade, nosso coração é que é seu lugar..

Alda M S Santos

A casa só para nós

A CASA SÓ PARA NÓS

A casa tão pequena antes

Para tanto barulho e bagunça

Hoje parece grande e silenciosa

Vocês não estão aqui a correr

A disputar nossa atenção, nosso colo

A cair pelos cantos, a pedir “brinca comigo”

Queríamos tanto um espaço para nós

Que só vinha tarde da noite

Quando o sono já nos derrubava

Hoje a casa é toda para nós

Não há brinquedos pelo chão

Não há riscos na parede

Tudo arrumadinho e organizado

Não há risadas altas, choros dengosos

O cobertor não está no sofá da sala

A TV nos desenhos animados e vídeo-game

Os primos não vêm dormir juntos e fazer bagunça

Cadernos e livros não estão sobre a mesa

Aguardando a lição ser feita

Temos a sala, os quartos, cozinha, banheiros e quintal só para nós

Hoje essa casa que é toda para nós

Parece estranha aos nossos olhos saudosos

Podemos dormir, tomar banho, namorar quando quisermos

Sem sermos interrompidos por um pedido qualquer

Não precisamos sair correndo a levá-los para a escola

Para o futebol, o inglês a informática

Podemos dormir a noite toda

Vocês não vêm se infiltrar entre nós na cama

Fugindo dos pesadelos que curávamos com beijinho

Entregamos o cuidado de vocês a Deus

Cuja proteção está em toda parte

Já não saímos mais os quatro juntos para tudo

Hoje temos a casa toda para nós

Vocês estão buscando o mundo que tanto ensinamos

Com sabedoria, amor, bondade e responsabilidade

Estamos imensamente felizes e gratos a Ele

Peito inflado de amor e orgulho

Casa vazia, só para nós…

Agora o que queremos é um tempo só com vocês

A casa cheia de vocês…

Felizes ficamos quando vocês a preenchem novamente

Hoje somos nós que pedimos

“Brinca comigo”?

Mas sabemos que “nós quatro” sempre estaremos juntos

Ainda que em espaços, casas ou momentos diferentes

Casa feliz é casa cheia de amor

De gente que compartilha as dores e alegrias do viver…

Alda M S Santos- uma mãe

Aborto: (in)coerência?

ABORTO: (IN)COERÊNCIA?

Defendes tanto direitos femininos

Igualdade, equidade, equiparação social, profissional

Direitos e deveres iguais e tal

Como pode ser contra o aborto?

O corpo não é dá mulher, afinal?

Não é “meu corpo, minhas regras?”

Não é muito incoerente?- questionaram-me

Usando argumentos em defesa da vida da mãe

Do futuro da criança que é indesejada

Tudo bem, acontece uma distração ou descuido

Mas deve-se arcar com a responsabilidade do ato

Defendo direitos do ser humano: homens ou mulheres

Nenhum é mais ou melhor que o outro

Simplesmente por ser homem ou mulher

Talvez pelas lutas e conquistas …

E a mulher é historicamente inferiorizada e desrespeitada

Injustamente!

Defendo a preservação da vida, de todos, para todos

E aborto é assassinato, pensado e calculado

Uma vida interrompida precocemente

Sem ter direito qualquer de defesa

E não é a mulher que aborta

Todo aborto inclui, no mínimo, pai e mãe

São ambos responsáveis da mesma forma

“Meu corpo, minhas regras”

Não pode ser superior à vida de um inocente

A partir do momento que a manutenção de direitos próprios

Envolve e fere outra vida

Que não pode responder por si

Esses direitos caem por terra

A vida é prioridade! Sempre!

Devemos defendê-la a qualquer custo

Se ela estiver dentro de nós

Somos mais responsáveis ainda!

Eu tive o direito de nascer, gerei vidas que amo

Não tenho o direito de impedir o nascimento de outro ser

Sou coerente com o amor e a vida que prego

A todos os seres humanos!

Por isso digo NÃO a homens e mulheres que abortam

Legalmente ou não…

Alda M S Santos

Todas iguais?

TODAS IGUAIS?

Dizem que são todas iguais

Mudam apenas o endereço

Todos têm, grande ou pequena

Barulhenta, bagunçada ou organizada

Carinhosa ou contida, briguenta ou emotiva

Uns rebeldes, uns nerds, uns amorosos

Uns solícitos, outros carentes

Tanto faz, é sua!

Sua família!

Não invada as dos outros

Não permita invasões na sua

Cuide bem dela, seja grato

Cultive, irrigue de amor

É tudo que de mais real e verdadeiro

Você tem por aqui…

É aquilo que Dele recebemos

É onde começa e termina tudo

É onde toda mudança ou continuidade é possível

São iguais nas bênçãos infinitas, no amor do Pai

Foi numa família que Ele veio para nos ensinar a amar

Família Santa: Jesus, Maria e José

A Eles confiamos nossa família

Nele depositamos nossas esperanças!

Alda M S Santos

Não existe ex-pai, não existe ex-filho

NÃO EXISTE EX-PAI, NÃO EXISTE EX-FILHO

Ex-marido é comum de se ver, uniões que terminaram

E trazem consigo um “carona” triste, os ex-pais, ou ex-filhos

Nada pode tornar um homem um ex-pai

Nada pode tornar uma criança um ex-filho

Há homens que abrem mão dessa responsabilidade, dessa bênção

Há filhos que abrem mão desse convívio por carência e revolta

Há mulheres que dificultam essa relação

O papel do pai é dele, não há substitutos, ainda que outros tentem

O vazio sempre existirá no coração infantil

O vazio, cedo ou tarde, corroerá a alma do pai

Não importa se ele é carinhoso, bravo, sério, brincalhão, super-herói

Todos lamentam perder, esteja ele deste ou do outro lado da vida

Ainda que alguma guerreira ou outro homem o tenha feito

Não existe filho sem pai, não biologicamente falando

Impedir que essa relação ocorra, independente do motivo

É cruel, contraproducente, ineficaz, desumano

Um crime contra a humanidade, contra a sociedade como um todo

Sem querer apontar culpados, quase nunca há só um

Apenas lembrar que é preciso preservar

Essa relação especial onde todos aprendem

É na família que Deus colocou todas as suas esperanças na humanidade…

Feliz dia dos pais, dos filhos/pais, dos pais/avós

Presentes e ausentes…nesse ciclo infinito

Especial aos “pais” da minha vida, queridos e amados!

Alda M S Santos

Rumo certo ou à deriva?

RUMO CERTO OU À DERIVA?

Tão claro, tão certo, a princípio seguimos o rumo de olhos fechados

Carregamos qualquer peso, corremos, caminhamos

Mergulhamos, sem saber nadar

Saltamos qualquer obstáculo dignos de atletas

Voamos, se preciso for…

Enfrentamos leões, caminhamos sobre brasas

Sorrimos, choramos, vibramos, mas o rumo a seguir não deixa dúvidas

O barco segue seu curso sem bússolas

Dores, doenças, tristezas, não há, ou são superadas rapidamente

Qualquer pirata ou atravessador é vencido

Os caminhos podem variar, mas o rumo é certo!

Criar os filhos, bênçãos que recebemos como presentes

Que nos foram confiados e são tão dependentes de nós

Não deixa qualquer dúvida quanto ao caminho a seguir

É tudo por eles, para eles e pronto!

Saúde, educação, diversão, tudo em função deles

Ter vidas para cuidar é um objetivo nobre que nos motiva e dá sentido ao existir!

De repente, eles aprenderam o ensinado, ficaram independentes

Não precisam mais tanto de nós, buscam seus próprios rumos

E nosso rumo que era tão claro fica meio nublado

Nosso barco fica meio à deriva

Um mundo tão cheio parece se esvaziar, o peito aperta muitas vezes

As dores, doenças e tristezas já não passam tão rapidamente

Reaprender caminhos leva tempo, acostumar-se a não tê-los grudados, idem

Encontrar o rumo novamente, sem tantos “afazeres”, até automáticos, demora

Mas a certeza de tê-los deixado num caminho tranquilo

Nos permite ter paz e orgulho

Sensação de dever cumprido!

Novos rumos aparecerão…e o farol estará sempre aqui.

Alda M S Santos

Gerações em crise

GERAÇÕES EM CRISE

Uma geração de pais em dívida

Outra de filhos sem referência

Qual será a geração do futuro?

Uma que trabalha incansavelmente para dar “tudo” que não teve aos filhos

Outra que recebe tudo nas mãos quase sem esforço

Uma que cumpriu deveres e lutou muito para conquistar o que tem

Outra que conhece tão bem seus direitos quanto desconhece seus deveres

Uma que obedecia, silenciosa, ao simples olhar dos pais

Outra que não tem referência, não sabe a quem prestar contas

Uma que passou muitas dores e faltas, ouviu “não”, chorou, aprendeu na luta do dia a dia

Outra cujos pais pedem para tirar o pipoqueiro da porta da escola para não ter que dizer “não” aos filhos

Uma que tinha pais “severos” e rígidos, e amigos de sua idade

Outra cujos pais são amigos em excesso e falta-lhe os pais

Uma geração que abriu as portas do mundo no muque ou no coração

Outra que espera que o mundo se adapte a elas, se abra para elas

Quando isso não acontece o desconhecem: adoecem, se matam, matam os outros…

Passamos de uma geração de deveres e regras

A uma geração de muitos direitos e “livre”de deveres

Ambas sofridas, ambas perdidas, ambas gritando por socorro

Necessário é aproveitar o que ambas têm de bom, de corajoso, de amoroso

Descartar o que não funciona em cada uma delas

Se nossa família não é tanto assim, se pensamos não ser nosso problema

Felizmente, há exceções, ajudemos a quem precisa, a quem está perdido

Poderemos vir a ficar no caminho de quem não sabe perder ou ouvir um não

Urge buscar um equilíbrio, dosar direitos e deveres

Aprender a lidar com culpas, responsabilidades e frustrações

Ou não teremos nem pais e nem filhos saudáveis para sustentar o que vier…

Alda M S Santos

Amor nunca fica velho

AMOR NUNCA FICA VELHO!

Pode ter 70, 80, 90 anos, nunca envelhece!

Nunca fica velho(a), aquele(a) que passou conosco os anos

Que esteve ao nosso lado enquanto uma ruga se prendia lá, dona do pedaço

E uns fios brancos brotavam cá, rebeldes

Que foi se encurvando enquanto dividia conosco os pesos de nossas dores

Ou as batidas do coração já fraco de tanto pulsar por nossas alegrias, tristezas e medos

Nunca fica velho aquele olhar que menos vê

Mas ainda brilha por nós, enxerga, percebe, identifica

Não envelhece um corpo que nos aqueceu, nos acolheu

Nos deu colo, nos empurrou para frente, nos amou…

Nunca fica velho aquele que caminha mais lentamente

Ou não ouve mais tão bem, fala pouco

Mas ainda caminha conosco mesmo de longe, escuta melhor nossos silêncios

Canta conosco baixinho nossa trilha sonora

Nunca envelhecem aqueles que amamos: cônjuges, pais, irmãos, amigos, filhos, não importa

Nunca estão velhos o bastante para irem embora, nos deixar

Nunca estamos velhos o bastante para saber perdê-los

Simplesmente, porque amor não envelhece, tem fases, renova-se

E, se envelhecesse, seria como vinho, cada dia melhor

E nos embriagaríamos!

Alda M S Santos

Apenas isso…

APENAS ISSO…

Por sermos humanos demais, com tudo que esse título carrega

De bom ou de ruim

Cobramos mais daqueles a quem mais oferecemos

Exigimos deles muito além do que pedimos aos demais

Daqueles pelos quais mais nos sacrificamos

Aqueles a quem mais amamos,

Dos quais mais precisamos

Que estão ou deveriam estar conosco todo o tempo…

Talvez a lógica dissesse para exigir menos, já que lhes dedicamos amor

Que o amor é paciente, compreensivo, incondicional…

Mas somos humanos demasiadamente, limitados e imperfeitos excessivamente

E pensar mais no outro que em nós nem sempre impera

Um olhar atravessado de quem amamos rasga o peito como adaga, mais que o de um “qualquer”

Uma palavra ou silêncio inoportunos por quem demos tudo nos evisceram dolorosamente …

Quem disse que amor humano é perfeito, que sabe de tudo?

Amor objetiva nos fazer melhor do que somos

Apenas isso…

Alda M S Santos

Fases da vida

FASES DA VIDA

Se parássemos antes para refletir, avaliar

Talvez fosse mais fácil entender e aceitar as fases da vida, seus ciclos

Estar “no comando” da vida, ser quem segura o leme acarreta preocupação, ocupação, responsabilidade

Adultos guiando o caminho dos filhos pequenos, contando com ajuda e experiência dos próprios pais…

Mudar de fase implica reconhecer que as crianças cresceram, sabem dirigir sozinhas suas vidas

Que nossos pais envelheceram, precisam mais de nós

E que nós já não somos “soberanos”, tão fortes e “infalíveis”

Ver nossos filhos segurando o leme de suas vidas com confiança gera um misto de amor e orgulho

Mas também de certa “inutilidade” e medo

Eles se tornaram aquilo que queríamos, ou não, mas dói um pouco saber que foi tão rápido, que não curtimos o bastante

Decepcioná-los seria o fim para nós, mesmo que não sejamos mais seus super-heróis

Ficamos meio vazios, órfãos, “sem perspectiva”

“Perdemos” os filhos pequenos que tanto precisavam de nós

E nossos pais que tanto nos ajudaram agora precisam de ajuda, de colo…

Encaixar-nos nessa perspectiva gera sensação de que a maior parte da vida já foi embora…

Aceitar com bom humor e fé essas novas nuances é o melhor meio de mudar de fase sem grandes danos

Passar para o banco de trás e olhar a vida desse ângulo

Desfazer os nós da dúvida que apertam a garganta

Focar nos laços de afeto que permanecem nos corações

Aceitar tranquilamente que não temos mais controle de tudo

Aliás, nunca tivemos, apenas essa ilusão acabou…

Tudo são fases, fizemos um bom trabalho, outras virão!

Alda M S Santos

São José: Protetor das famílias

SÃO JOSÉ: PROTETOR DAS FAMÍLIAS

Aquele que aceitou a honra de ser esposo da mãe de Cristo

Aquele que assumiu o papel de pai e educador do Filho de Deus

Que a Ele ensinou os primeiros passos, as palavras, a profissão

Aquele que amou e lutou por sua diferente família

Que foi o líder da Família de Deus na terra

Aquele que é o Protetor das Famílias

A quem, junto com o Pai, Filho e Espírito Santo, admiramos e pedimos a bênção para todas as famílias do mundo!

Alda M S Santos

Família: laboratório do mundo

FAMÍLIA: LABORATÓRIO DO MUNDO

O que quisermos fazer pelo mundo

Façamos primeiro por e para nossas famílias

Nelas desenvolvemos nossos dons, crescemos

É um mundo em miniatura onde enfrentamos de quase tudo

Não há ilusões!

Família é escola da vida, reflexo dela

Coisas maravilhosas e odiosas acontecem dentro de famílias

Enfrentamos ciúmes, inveja, rebeldias, crises, alegrias

Diversidade de opiniões, habilidades diversas, disputas

Ensinamos, aprendemos, nos reconstruímos, amamos, perdoamos

Se o que queremos para o mundo não funcionar num ambiente reduzido em que deveria prevalecer o amor

Mudemos de tática, ou destruiremos a nós mesmos, nossas famílias, as demais famílias, o mundo…

Uma família não se destrói ou se constrói por um só

Todos somos responsáveis, dentro ou fora delas!

O mesmo se aplica ao mundo…

Construir um mundo melhor implica em amar, respeitar e construir a família que nos foi confiada!

Alda M S Santos

Por quê?

POR QUÊ?

Por que conseguimos ajudar a tanta gente

E não conseguimos ser tão úteis aos mais próximos de nós?

Por que conseguimos estender uma mão que é acolhida por tantos

E aqueles que mais amamos a ignoram ou não veem nela o conforto?

Por que o abraço do “desconhecido” aquece mais?

Por que as palavras mais sábias vêm de fora?

Santo de casa não faz milagre?

Será que veem em nós a obrigação de amar e acolher?

Por quê?

Será que somos vistos com nossas falhas e incapacidades

Aquele lado por demais humano, normal, corriqueiro

E não pelas nossas qualidades e capacidade de acolhimento?

Por que será que é tão mais simples ajudar os outros, aconselhar

Que conseguir ajudar, inclusive, a nós mesmos?

Por quê?

Alda M S Santos

Pais Heróis

PAIS HERÓIS

Sempre ouvimos de nossos pais: quando tiverem seus filhos irão entender o que é ser pai e mãe.

E é verdade! Desde que fui mãe entendo melhor meus pais.

Quando crianças eles são nossos super-heróis, vencem os inimigos e nos defendem de tudo e todos, nos protegem.

Quando adolescentes ou jovens essa capa de herói cai e os criticamos. Até odiamos, às vezes! 

Nos sentimos frustrados por eles nos terem enganado!

Não vencem tudo, percebemos! Não podem nos defender de tudo! São frágeis e errados em muita coisa! Contraditórios, falíveis! 

Não podem mais tirar os monstros de debaixo da cama! 

Tudo fica mais difícil!

Quando somos pais, o dia-a-dia vai nos mostrando e reconstruindo a capa dos pais-heróis novamente. 

Não têm super poderes, visão de longo alcance, peito de aço, velocidade flash, super carros, aviões ou qualquer coisa do tipo.

Têm uma visão que antecipa nossos sofrimentos ou sucessos, um peito paradoxal, forte e frágil, que aguenta nossas alegrias e lágrimas, a velocidade da luz e da oração para nos amparar.

Usam as próprias pernas, o próprio corpo apenas e um único super poder: o amor incondicional.

Esses super-heróis nos dão “quase nada”, podemos pensar, mas nos dão tudo que têm. 

E como qualquer super-herói, nos dariam a vida se preciso fosse.

Sempre serão nossos super-heróis, para sempre, com 30 ou 90 anos!

E, se olharmos bem, os olhos deles têm o alcance que precisam: nossa alma! 

A todos eles, os pais, os “pães”, meu abraço e agradecimento.

Alda M S Santos

Raízes

RAÍZES

As folhas podem cair

Os galhos se quebrar, 

Flores rarearem, 

Mas se as raízes forem fortes, 

Cedo ou tarde os frutos aparecem…

E trazem de volta a alegria.

Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: