Busca

vidaintensavida.com

poemas e reflexões da vida cotidiana

Categoria

maturidade

Precisa ser

PRECISA SER
Pode ser belo para tocar, mas precisa ser especial para encantar
Pode ser triste até machucar, mas precisa ser profundo para conseguir curar
Pode ter sido bom para apertar o peito, mas precisa ser saudade para rasgá-lo
Pode ser sorriso para alegrar, mas precisa ser verdadeiro para ser felicidade
Podem ser lágrimas que deixam dúvidas e mágoas, mas precisam ser esclarecidas e vir da alma pra irrigar
Pode ser o caminho difícil, mas precisa ter flores para enfeitar
Pode ser abraço que aquece, mas precisa ser aconchegante para envolver vidas
Pode ser amigo que acompanhe, mas precisa ser leal para ser duradouro
Pode ser o que for, mas apenas a certeza do amor dado e, principalmente recebido,
É capaz de promover mudanças significativas
Dentro ou fora de nós!
Alda M S Santos

Maturidade

MATURIDADE

A maturidade nos premia com algumas habilidades

Alguns bônus que nos fazem compensar os ônus

A capacidade de ter para o mundo um novo olhar

De poder em cada beleza nos demorar

Enquanto a vida se impõe e nos exige ação até sem pensar

Viver, criar família, correr, trabalhar

Mecanização do viver, do dever, do fazer

A maturidade nos permite mais o refletir, o curtir, o ser

Não é crítica ou olhar de censura à juventude

Tampouco de supervalorização da maturidade

É apenas um repensar, uma mudança de atitude

Aquela que nos faz ter com tudo mais boa vontade

Tudo, no final das contas, depende de onde se olha

O quanto da vida é intensidade ou “chove e não molha”

Para saber aquilo que em cada fase se pode ver

Não há outro jeito a não ser naquele lugar poder viver

Alda M S Santos

Marcas mais bonitas

MARCAS MAIS BONITAS

Viver é desenvolver a fundamental habilidade

De organizar nossas marcas profundas ou superficiais

Aquelas que todos nós temos, querendo ou não

De fazer com que as dolorosas fiquem menos aparentes

De colocar em nossa vitrine emocional

Aquelas que nos fazem parecer mais felizes

Porque felicidade atrai felicidade

De nada adianta mostrar tantas dores e cicatrizes

Vestir nosso manequim de cinza e seus matizes

Só servirá para atrair a maldade

Expor o que nos machuca atrai negatividade ou piedade

Mas deixar sob luzes ou melhor ângulo

Nossas marcas mais bonitas de um amor bem vivido

Nossos frisos nos rosto dos sorrisos de prazer

De uma vitória merecida, de uma conquista pessoal

De um trauma vencido, de saúde emocional

Só nos trará aquilo que merecemos como viventes dessa nau

Quem nos ama e conhece bem enxerga fundo

E o melhor que podemos extrair daqui não é material

É emocional e pessoal…

Alda M S Santos

No ponto certo

NO PONTO CERTO
Café, passado na hora, quentinho, cheiro delicioso e convidativo
Sementes, mudas, raízes, brotos, galhos, flores, frutos maduros
Depois de aparentemente prontos para consumo
Os grãos precisam ser colhidos
Colocados para secar, socar, torrar, moer
Para, ainda assim, passar por água fervente, ser coado
Até podermos saborear o delicioso cafezinho…
Colhê-los antes da hora seria perda de tempo, desperdício
Esperar demais ele seca, murcha, passa do ponto, apodrece e cai
Verde demais ou apodrecido não dá pó, não faz café
O mesmo se dá conosco
Todas as fases que passamos são para chegarmos ao ponto certo de “consumo”
Quantas vezes parecemos maduros e prontos
Não aceitamos a parte dolorosa do secar, torrar, moer
Sem saber que o melhor ainda está por vir?
Laranjas só dão suco se espremidas
Grãos de café só valem se maduros, torrados e moídos
Pessoas só chegam à alegria e sabedoria da maturidade
Quando são o “café” quente e animador para si e para os outros
Quando não negam e encaram as etapas dolorosas do viver
Como parte do se tornar “eu”.
Somos eternos cafezais num constante florir, frutificar, colher, secar, torrar, moer, repousar
E virarmos cafezinho saboroso
Verde, maduro, seco, no ponto certo…e a vida segue…
Qual seu ponto ideal?
Aceitam um café?
Alda M S Santos

De corpo e alma

DE CORPO E ALMA

A cada corpo cabe sua beleza, atraente e transitória

Aquela “trabalhada” nas atitudes de cuidado

De alimentação saudável, de sono tranquilo, belezas “malhadas” nas academias

A cada alma a sua beleza encantadora e eterna

Aquela “malhada” nas atitudes de amor para consigo

E, principalmente, para com o outro

No trabalho produtivo e prazeroso

No reconhecimento e gratidão de todo amor recebido

Na alegria bumerangue percebida em cada afeto doado

E que reflete melhor no corpo, no sorriso sincero, na pele viçosa

Na autoconfiança que encanta outras almas

Valem mais que aquelas adquiridas no “puxa-ferro” das academias…

Só seremos completamente belos, quando nos entendermos unos: corpo, mente e alma

Uno que se une a outro uno tornando -se duo, sem perder a unidade

E essa consciência só vem com atitudes de amor compartilhadas com todos que nos rodeiam

Todos que passam por nossas vidas e oferecemos o melhor de nós

Sem qualquer cobrança…

Alda M S Santos

Maturidade

MATURIDADE

Que faz a maturidade?

Ensina a silenciar, a saber a hora de se calar, mesmo a contragosto,

Ou leva à ousadia de dizer tudo que quiser ou precisar, evitando sufocar,

E assumindo as consequências do dito, sem medos?

Que faz a maturidade?

Ensina a caminhar em passos mais lentos, sabendo que devagar também se chega,

Ou faz com que se tenha mais urgência, querendo viver o que ficou para trás, percebendo que o tempo urge?

Que faz a maturidade?

Ensina a ser mais cauteloso, respeitoso, evitando decepções a si e sofrimento aos outros,

Ou faz ter mais autoconfiança, agindo sem receios?

Que faz a maturidade?

Ensina a ser forte, resiliente, não deixando-se abater por qualquer coisa,

Ou torna-se mais sensível e frágil, magoando-se facilmente e chorando por quase tudo?

Que faz a maturidade?

Ensina a cuidar melhor de si e dos próprios desejos,

Ou a valorizar mais o outro, a protegê-lo, a cuidar de quem se aproxima?

Que faz a maturidade?

Ensina a ser mais paciente e tolerante,

Ou a exigir essa paciência e tolerância do outro?

Uma coisa é certa, todos dizem que a maturidade chega sem percebermos,

Que ao atravessarmos essa ponte, não tem volta…

Mas só não chega lá quem morre antes!

Então, viver ao máximo cada fase, sendo mais compassivo consigo mesmo, é o segredo!

Alda M S Santos

Metamorfose

METAMORFOSE

Fechados num casulo invisível, isolados do mundo de fora

Consumindo aos poucos as reservas acumuladas em si.

Assim são todos em processos de transformação.

Metamorfoseando-se!

Trancados em si mesmos, vão evoluindo para emergir um novo ser.

Muitos têm barreiras que impedem o acesso às boas reservas,

Acessam apenas o negativo, as culpas, angústias e medos,

Deixam de lado o amor recebido, doado, os sorrisos, as vitórias…

Aqueles momentos pelos quais vale uma vida inteira.

E, assim, as boas energias evaporam, não são aproveitadas Ficam frágeis, o casulo murcha.

Esse casulo doente precisa de interferência externa.

Precisa de um toque de amor,

De um sopro de vida…

Precisa de metamorfose!

Alda M S Santos

Ser ou estar atraente

SER OU ESTAR ATRAENTE

“Tenho 50 anos, porque tenho que estar sempre atraente” -pergunta Salma Hayek

Não temos, se não quisermos estar por nós mesmas, não para o outro.

 E não é por ter 50, 40, 30, 20 ou 80 anos…

Cada idade traz sua beleza, leveza, desejo de estar bem.

 E é a isso que devemos dar importância.

Cuidar de nós como um todo deve fazer parte em qualquer idade. 

O corpo é apenas uma parte desse todo.

Ele pode estar belo e malhado.

 A pele macia como pêssego.

O rosto liso, sem rugas…

Cabelos brilhantes e longos.

Mas,  e o brilho do olhar, a bondade do coração, a clareza mental, a paz na alma?

Estar atraente faz bem para a autoestima. 

Porém, se precisar estar atraente fisicamente para manter esses daí, que realmente são fundamentais, algo está ligeiramente distorcido.

Ser atraente envolve algo muito além do corpo! 

Alda M S Santos
http://cenapop.virgula.uol.com.br/2017/08/10/138423-aos-50-anos-salma-hayek-desabafa-ao-falar-sobre-boa-forma-por-que-tenho-que-estar-sempre-atraente/

Criança

CRIANÇA
O bom em ser criança

É que a idade delas nunca importa

Tá liberado rir ou chorar

Amar e demonstrar

Qualquer erro é engraçadinho

E a sinceridade nunca é punida.

Se quiserem, basta estender os bracinhos

Ou fazer um meigo beicinho,

Que um delicioso colinho as acolhe…

Soubessem disso antes, jamais quereriam crescer.

Essa é a falha irremediável da infância,

Com a qual sofremos até hoje…

Alda M S Santos

Bola pra frente

BOLA PRA FRENTE
A maturidade diminui nossas urgências em algumas coisas. Porém, se algo estiver fora dos eixos, essa urgência só aumenta com a ideia de que o tempo está ficando mais e mais curto…
Algumas coisas queremos para agora, outras para ontem, e há ainda aquelas que para nunca!
Só nós podemos fazer essa escolha!
Escolha feita, agir, curtir e “bola” pra frente, pois o jogo só acaba aos 45′ do segundo tempo.
Alda M S Santos

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: